Redes sociais virtuais na sociedade da informação e do conhecimento: economia, poder e competência informacional

Autores

  • Edna Angelo Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2016v21n46p71

Palavras-chave:

Redes sociais virtuais, Economia da informação, Competência informacional

Resumo

Este artigo tem como objetivo fazer um apanhado teórico a respeito das redes sociais virtuais a fim de contextualizar sua conjuntura na sociedade contemporânea. Conclui-se que por meio das redes sociais virtuais, certamente o usuário não será capaz de dominar o universo informacional tornando-se autônomo para designar habilidades ligadas ao uso da informação e criando soluções para seus problemas para se denominar competente informacional. No entanto, pode se apresentar como uma porta de entrada para interagir com a tecnologia e procurar novas fontes de informação, rumo à aquisição de novos conhecimentos. O mundo "business", por sua vez (empresas e marcas), caminha para encará-la de forma cada vez mais séria e profissional. É aí que está à comunicação da nova "era do conhecimento": será no mundo virtual que os consumidores e marcas dialogarão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edna Angelo, Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais

MBA em Marketing. Bibliotecária do Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais. E-mail: ednasangelo@yahoo.com.br

Referências

AGUIAR, Sonia. Redes sociais e tecnologias digitais de informação e comunicação: relatório final de pesquisa. Rio de Janeiro: Nupef/RITs, 2006. Disponível em: http://www.nupef.org.br/downloads/rel_nupef_redes_2006.pdf. Acesso em: 21 jun. 2007.

AUN, Marta Pinheiro; MOURA, Maria Aparecida. A construção de indicadores nacionais de acesso público aos meios digitais: princípios e perspectivas. In: AUN, Marta Pinheiro (org.) Observatório da Inclusão digital: descrição e avaliação dos indicadores adotados nos programas governamentais de infoinclusão. Belo Horizonte: Gráfica Orion, 2007. cap. 1.

BARRETO, Angela Maria. O fator humano e o desenvolvimento de competências nas unidades de informação. Perspectiva em Ciência Informação, Belo Horizonte, v.10, n.2, p.194-207. jul;dez. 2005.

BELLUZZO, Regina Célia Baptista. A competência em informação: um fator de integração entre a biblioteca e a escola. In: Congresso Brasileiro de Biblioteconomia, Documentação e Ciência da Informação CBBD, 21, Curitiba, 2005. Anais. Curitiba: CBBD, 2005. CDROM.

BRAMAN, Sandra. Information Technology, National Identity, & Social Cohesion – A Report of The Project on Technology Futures and Global Power, Wealth, and Conflict. Washington: The CSIS Press, 2005.

BRUCE, Christine. The seven faces of information literacy. Adelaide: Auslib Press, 1997. Disponível em: http://sky.fit.qut.edu.au/~bruce/inflit/faces/faces1.php. Acesso em: 13 mai. 2007.

CAPRA, Fritjot. Redes sociais. Wikipedia. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Redes_sociais. Acesso em: 01 mai. 2007.

CASTELLS, Manuel. Outro mundo: a era da intercomunicação. Le Monde Diplomatique. Ago. 2006. Disponível em: http://diplo.uol.com.br/2006-08,a1379. Acesso em: 22 mai. 2007.

DRUCKER, F. Peter. Sociedade Pós-Capitalista. 3 ed. São Paulo: Pioneira, 1993.

DUDZIAK, Elisabeth Adriana. Information literacy: princípios, filosofia e prática. Ciência da Informação, Brasília, v. 32, n. 1, p. 23-35, jan./abr. 2003.

DUDZIAK, Elisabeth Adriana. Information Literacy: uma revolução silenciosa, diferentes concepções para a competência em informação. 2002.

FERREIRA, Sueli Mara Soares Pinto. A biblioteca digital com foco no desenvolvimento das competências informacional e científica na comunidade. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE BIBLIOTECAS DIGITAIS, 3., 2005, São Paulo. Disponível em: http://hdl.handle.net/1904/19299. Acesso em: 16 mai. 2007.

FIALHO, Janaina Ferreira; MOURA, Maria Aparecida. A formação do pesquisador juvenil. Perspectiva em Ciência Informação, Belo Horizonte, v.10, n.2, p.194-207. jul;dez. 2005.

INFLANET International Federation of Library Associations and Institutions. Faróis da sociedade da informação: declaração de Alexandria sobre a competência informacional e aprendizado ao longo da vida. Alexandria: IFLA: UNESCO, 2008 Disponível em: http://www.ifla.org/III/wsis/BeaconInfSsoc-pt.html. Acesso em: 19 fev. 2016.

LASTRES, Helena M.M.; CASSIOLATO, José E; ARROIO, Ana. Conhecimento, sistema de inovação e desenvolvimento. Rio de Janeiro: UFRJ; Contraponto, 2005.

MIRANDA, Silvânia Vieira. Identificando competências informacionais. Ciência da Informação, Brasília, v.33, n.2, p.112-122, mai/ago. 2004.

SERRES, Michel. A comunicação contra a cultura: entre a Disneylândia e os ayatolás. Alceu 8. v.4, n.8, jan./jun, 2004. Disponível em: http://publique.rdc.puc-rio.br/revistaalceu/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=87&sid=17&tpl=printerviewas. Acesso em: 03 jun. 2007.

SILVA, Lídia Loureiro da. Globalização das Redes de Comunicação: uma reflexão sobre as implicações cognitivas e sociais. Biblioteca online de ciência da comunicação. 1999. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/_esp/autor.php?codautor=63. Acesso em: 29 mai. 2007.

ZARIFIAN, Philippe. O modelo da competência: trajetória histórica, desafios atuais e propostas. São Paulo: Senac, 2003. 192 p.

Publicado

2016-04-28

Como Citar

ANGELO, Edna. Redes sociais virtuais na sociedade da informação e do conhecimento: economia, poder e competência informacional. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 21, n. 46, p. 71–80, 2016. DOI: 10.5007/1518-2924.2016v21n46p71. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2016v21n46p71. Acesso em: 19 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.