Protocolo Verbal em Grupo e a pesquisa brasileira em Organização e Representação do Conhecimento

Autores

  • Roberta Cristina Dal'Evedove Tartarotti Universidade Estadual Paulista - UNESP.
  • Paula Regina Dal'Evedove Universidade Federal de São Carlos - UFSCar.
  • Mariângela Spotti Lopes Fujita Universidade Estadual Paulista - UNESP.

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2017v22n48p41

Palavras-chave:

Protocolo Verbal em Grupo, Análise bibliométrica, Pesquisa qualitativa, Organização e Representação do Conhecimento

Resumo

http://dx.doi.org/10.5007/1518-2924.2017v22n48p41

A fim de viabilizar a coleta de dados qualitativa de natureza introspectiva, alguns estudos em Ciência da Informação são conduzidos por meio do Protocolo Verbal. A opção pela técnica decorre da viabilidade de serem ampliados os estudos de observação, em sua maioria relacionados aos processos mentais dos sujeitos de pesquisa em atividades de leitura. Como forma de contribuir para a exploração do Protocolo Verbal em pesquisas na área de Organização e Representação do Conhecimento e oferecer subsídios para o correto emprego da técnica em destaque, o objetivo deste artigo é apresentar o Protocolo Verbal em Grupo, suas principais vantagens e desvantagens como técnica qualitativa de coleta de dados, caracterizar a comunidade científica brasileira na temática por meio de indicadores bibliométricos de produção e ligação, bem como apresentar exemplos de sua aplicabilidade em pesquisas nacionais. A análise desenvolvida viabilizou a identificação de aspectos relevantes da produção científica na modalidade em destaque, cujos resultados contribuem para o direcionamento de pesquisas futuras pela comunidade científica da Ciência da Informação. Conclui que a modalidade do Protocolo Verbal em Grupo contribui como técnica introspectiva e interativa de coleta de dados ao propiciar resultados consistentes para um conjunto significativo de pesquisas em que foi utilizada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberta Cristina Dal'Evedove Tartarotti, Universidade Estadual Paulista - UNESP.

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UNESP.

Paula Regina Dal'Evedove, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar.

Professora do Departamento de Ciência da Informação e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação.

Mariângela Spotti Lopes Fujita, Universidade Estadual Paulista - UNESP.

Professora Titular do Departamento de Ciência da Informação e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação.

Referências

BOCCATO, V. R. C. Avaliação do uso de linguagem documentária em catálogos coletivos de bibliotecas universitárias: um estudo sociocognitivo com protocolo verbal. // 303 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) - Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2009.

BOCCATO, V. R. C; FERREIRA, E. M. Estudo comparativo entre o grupo focal e o protocolo verbal em grupo no aprimoramento de vocabulário controlado em fisioterapia: uma proposta metodológica qualitativa-cognitiva. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, Brasil, v. 5, n. 1, p. 47-68, mar. 2014.

CARVALHO, I. C. L. A socialização do conhecimento no espaço das bibliotecas universitárias. Rio de Janeiro: Interciência, 2004.

CAVALCANTI, M. C. I-n-t-e-r-a-ç-ã-o leitor-texto: aspectos de interpretação pragmática. // Campinas: Unicamp, 1989.

ERICSSON, K. A.; SIMON, H. A. Verbal reports on thinking. In: Faerch, C.; Kasper, C. (Ed.). Introspection in second language research. Clevedon: Multilingual Matters, 1987. p. 24–54.

FUJITA, P. L. Protocolo Verbal: técnica qualitativa para observação de estratégias de leitura aplicada ao design da informação de bulas de medicamento. In: Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento de Design, 8, 2008, São Paulo. Anais...São Paulo: AEND, 2008.

FUJITA, M. S. L. (Org.). A indexação de livros: a percepção de catalogadores e usuários de bibliotecas universitárias. Um estudo de observação do contexto sociocognitivo com protocolos verbais. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009.

FUJITA, M. S. L.; AGUSTIN LACRUZ, M. DEL C.; GÓMEZ DIAZ, R. A. Situação atual da indexação nas tarefas bibliotecárias. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 17, p. 94-109, 2012.

FUJITA, M. S. L.; CERVANTES, B. M. N. Abordagem cognitiva do protocolo verbal na confirmação de termos para a construção de linguagem documentária em inteligência competitiva. In: Valentim, M. L. P. (Org.). Métodos qualitativos de pesquisa em Ciência da Informação. São Paulo: Polis, 2005, v. 1, p. 29-57.

FUJITA, M. S. L.; NARDI, M. I. A.; FAGUNDES, S. A. Observing documentary reading by verbal protocol. Information Research, v. 4, n. 3, 2003.

FUJITA, M. S. L.; RUBI, M. P. Educação à distância para formação do bibliotecário de bibliotecas universitárias do consórcio CRUESP em Política de indexação: perspectivas de conteúdo e aplicação de protocolo verbal em grupo. In: Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias, 2006, Salvador. Anais do XIV Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias. Salvador, 2006.

FUJITA, M. S. L.; RUBI, M. P. Protocolo Verbal como metodologia sociocognitiva para coleta de dados e recurso pedagógico em sala de aula. In: Marcelino, M. L; Maia, G. Z. A.; Labegalini, A. C. F. B. (Eds.). Pesquisa em educação: passo a passo. Marília: Edições M3T Tecnologia e Educação, 2007. p. 143-154.

GONÇALVES, M. C. A indexação em catálogos on-line de bibliotecas universitárias na percepção de usuários integrantes de grupos de pesquisa: uma contribuição ao desenvolvimento de política de indexação na rede de bibliotecas da UNESP. 140 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista; FAPESP, Marília, 2008.

HAASTRUP, K. Using thinking aloud and retrospection to uncover learners lexical inferencing procedures. In: Faerch, C.; Kasper, G. (Eds). Introspection in second language research. Clevedon: Multilingual Matters LTD, 1987.

HOSENFIELD, C. A preliminary investigation of the reading strategies of successful and nonsuccessful second language learners. System, v. 5, p. 110-123, 1977.

INÁCIO, M. de O. (2012). Avaliação da indexação em bibliotecas universitárias: uma aplicação em catálogos online. 157 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2012.

JOB, I. (2008). Estudos cognitivos e a representação do conhecimento na ciência da informação. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v. 13, n. 2, p. 365-378, jul./dez. 2008.

KATO, M. A. No mundo da escrita: uma perspectiva psicolinguística. São Paulo: Ática, 1995. (Fundamentos).

KOCHANI, A. P. Formulação de política de indexação para coordenadorias de comunicação social em ambiente universitário: indicadores de diretrizes para análise e representação de assuntos. 171f. Dissertação (Mestrado em Ciência, Tecnologia e Sociedade) – Universidade federal de São Carlos.

KOCHANI, A. P.; BOCCATO, V. R. C.; RUBI, M. P. Política de indexação para clippings: otimização do tratamento temático em coordenadorias de comunicação social brasileiras. Revista Interamericana de Bibliotecología, v. 35, n. 3, p. 257-273, 2012.

LOPES, C. E.; ABIB, J. A. D. Teoria da percepção no behaviorismo radical. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 18, n. 2, p. 129-137, 2002.

NARDI, M. I. A. A metáfora e a prática de leitura como evento social: instrumentos do pensar a Biblioteconomia do futuro. 272 f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem) – Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 1999.

OLSHAVSKY, J. E. Reading as problem solving: an investigation of the strategies. Reading Research Quarterly, v. 12, p. 654-674, 1976-1977.

RADFORD, J.; BURTON, A. Thinking: its nature and development. London: John Wiley e Sons, 1974.

RIBAS. A. F. P.; MOURA. M. L. S de. (2011). Abordagem sociocultural: algumas vertentes e autores. Psicologia em Estudo, v. 11, n. 1, P. 129-138, jan./abr. 2006.

RUBI, M. P. A política de indexação na perspectiva do conhecimento organizacional. 135 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista; CAPES, Marília, 2004.

RUBI, M. P. Política de indexação para construção de catálogos coletivos em bibliotecas universitárias. 169f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2008.

RUBI, M. P.; FUJITA, M. S. L.; BOCCATO, V. R. C. Del conocimiento tácito al explicito: elaboración de un manual de política de indización en bibliotecas universitárias. Scire (Zaragoza), v. 18, p. 67-74, 2012.

SANTOS. C. A. da S. As unidades de informação dos Institutos Federais no apoio ao desenvolvimento da ciência e da tecnologia: um estudo de percepção sociocognitiva com o uso do protocolo verbal em grupo. 248 f. Dissertação (Mestrado em Ciência, Tecnologia e Sociedade). Universidade Federal de São Carlos, 2012.

Publicado

2017-01-01

Como Citar

TARTAROTTI, Roberta Cristina Dal’Evedove; DAL’EVEDOVE, Paula Regina; FUJITA, Mariângela Spotti Lopes. Protocolo Verbal em Grupo e a pesquisa brasileira em Organização e Representação do Conhecimento. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 22, n. 48, p. 41–58, 2017. DOI: 10.5007/1518-2924.2017v22n48p41. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2017v22n48p41. Acesso em: 19 abr. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)