Abordagens contemporâneas sobre avaliação em Arquivologia e Ciência da Informação: macroavaliação, avaliação do fluxo informacional e modelo indício-evidência-prova

Lisiane Braga Ferreira, Moisés Rockembach

Resumo


Aborda o tema avaliação da informação em Arquivologia e Ciência da Informação, que sofre influências por um cenário atual em que passamos a conviver com o paradigma pós-custodial. Contextualizamos o surgimento da avaliação enquanto prática arquivística e a transição de um novo paradigma. Destacamos a emergência de três fenômenos, a partir da consciência de anomalias existentes nas teorias sobre avaliação da informação/documentação: o primeiro relacionado á análise do contexto da produção documental, utilizando para isto de uma abordagem pós-moderna; um segundo fenômeno relacionado á análise do fluxo informacional e uma abordagem da Ciência da Informação inter e transdisciplinar e, por fim, um terceiro fenômeno relacionado á análise conceitual da informação como valor de prova, enquanto discurso emancipador da Arquivologia como campo disciplinar e uma abordagem a partir de um Modelo Indício-Evidência-Prova. Pesquisa exploratória com abordagem teórica, predominantemente qualitativa, envolvendo analisar a produção bibliográfica nacional e internacional sobre o tema. Concluímos com a importância da pesquisa na área, destacando a pouca literatura sobre o tema com o viés pós-custodial e possibilidade de suscitar novos questionamentos que podem quebrar o status quo estabelecido na avaliação em Arquivologia, levando a discutir o papel das Instituições e do profissional frente às tecnologias.

Palavras-chave


Avaliação da informação; Arquivologia; Ciência da Informação; Fenômenos; Paradigmas

Texto completo:

PDF/A

Referências


BERTALANFFY, Ludwig Von. Teoria geral dos sistemas. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1977.

BRUYNE, Paul de; HERMAN, Jacques e SCHOUTHEETE, Marc de. Dinâmica da pesquisa em ciências sociais: os pólos da prática metodológica. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1977

CASTELLS, Manuel. A Sociedade em rede. Volume I. 8a edição. Tradução de Roneide Venâncio Majer. São Paulo: Paz e Terra, 2005.

COOK, Terry What is past is prologue: A history of archival ideas since 1898, and the future paradigm shift. Archivaria, 43, spring 1997.

______ Archival appraisal and collection: issues, challenges, new approaches. NARA 2 Auditorium: College Park, Md., USA. 22 April 1999.

______Macroappraisal in theory and practice: origins, characteristics, and implementation in canada, 1950-2000 Archival Science n.5, 2005.p.101-161.

DICIONÁRIO ELETRÔNICO DE TERMINOLOGIA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO (DELTCi). Vitória, E.S.: Porto: DCI – CCEJ da UFES, SAJCC da FLUP – CETAC.Media, 2007. Disponível em: < https://paginas.fe.up.pt/~lci/index.php/1668>.Acesso em 28 abr. 2016

GIL, Fernando. Acentos. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 2005.

______. Modos da evidência. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 1998.

______. Provas. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 1988.

______. Tratado da evidência. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 1996.

GINZBURG, Carlo. “Chaves do mistério: Morelli, Freud e Sherlock Holmes.” ECO, Umberto (Org.) SEBEOK, Thomas O Signo de Três. São Paulo: Perspectiva. p. 90- 129, 1991.

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e historia. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

HAM, F. Gerald. Archival strategies for the post-custodial era. The American Archivist, v.44, n. 3, 1981.

JENKINSON, Hilary. A manual of archive administration. Oxford:Clarendon Press, 1922

KUHN, Thomas Samuel. A estrutura das revoluções científicas. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 1996.

LIBRARY AND ARCHIVES CANADA. Appraisal Methodology: Macro-Appraisal and Functional Analysis. Disponível em: . Acesso em 18 maio, 2016.

MORIN, Edgar. Introdução ao Pensamento Complexo. Lisboa: Instituto Piaget, 1990

MORFAUX, Louis-Marie, LEFRANC, Jean. Novo Dicionário da filosofia e das Ciências Humanas. Lisboa: Instituto Piaget, 2005

MULLER, Samuel. FEITH, Johan. FRUIN, Robert. Manual de arranjo e descrição de arquivos. Tradução de Manoel Adolpho Wanderley. Disponível em: . Acesso em 26 abr. 2016.

RIBEIRO, Fernanda. Novos caminhos da avaliação de informação. (2005). Disponível em:

. Acesso em 28 abr. 2016.

______A Arquivística como disciplina aplicada no campo da Ciência da Informação. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, João Pessoa, v. 1, n.1, p. 59-73, jan./jun. 2011.

RIBEIRO, Fernanda; SILVA, Armando Malheiro da. A avaliação em arquivística: reformulação teórico-prática de uma operação metodológica. Lisboa: Páginas A&B, 2000.

______A avaliação de informação: uma operação metodológica. Lisboa: Páginas A&B, 2004.

ROCKEMBACH, Moisés. Modelo de evidência da informação em plataformas digitais: estudo exploratório no âmbito da ciência da informação. Porto, 2012. Tese (Doutorado em Informação e Comunicação em Plataformas Digitais) - Universidade do Porto / Universidade de Aveiro

______Evidência da Informação em plataformas digitais: da reflexão teórica à construção de um modelo. Informação Arquivística, v. 2, p. 89-109, 2013.

______Evidência da Informação no contexto dos arquivos digitais.Pontodeacesso, v.9, n.2, 2015. Disponível em: Acesso em 12 mar. 2016.

ROUSSEAU, Jean-Yves; COUTURE, Carol. Os fundamentos da disciplina arquivística. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1998.

SCHELLENBERG, Theodore Roosevelt. Modern Archives: principles and techniques. Chicago: The Society of American Archivists, 2003. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2016.

SILVA, Armando Malheiro da; et al. Arquivística: teoria e prática de uma ciência da informação. Porto: Ed. Afrontamento, 1998.




DOI: https://doi.org/10.5007/1518-2924.2017v22n50p31



Direitos autorais 2017 Lisiane Braga Ferreira, Moisés Rockembach

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1518-2924.

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By  (mais informação)