Reflexões a partir da análise bibliométrica sobre tipos documentais, fluxos informacionais e avaliação de documentos

Autores

  • Natália Marinho do Nascimento Faculdade de Filosofia e Ciências - Unesp, Marília
  • Marta Lígia Pomim Valentim Faculdade de Filosofia e Ciências - Unesp, Marília
  • María Manuela Moro Cabero Universidade de Salamanca

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2017v22n50p59

Resumo

Considerando que as organizações produzem grande quantidade de documentos e informações que nem sempre são gerenciados e tratados, principalmente ao se observar o momento atual, em que os documentos são produzidos em âmbito digital, acredita-se que estudar as possibilidades de gerenciamento dos documentos e informações digitais pode garantir diferenciais competitivos para as organizações. Nessa perspectiva, investigar os elementos que uma vez inter-relacionados podem trazer vantagem significativa para as organizações se faz necessário. O objetivo deste trabalho consiste em analisar as citações em documentos da literatura da área de Ciência da Informação, a partir das seguintes palavras-chave: tipos documentais, fluxos informacionais e avaliação, a fim de observar quais autores pesquisam sobre as referidas temáticas e se apresentam algum tipo de relação entre as três temáticas destacadas. No que tange aos procedimentos metodológicos, utilizou-se a análise bibliométrica, mais especificamente a análise de citação. Observou-se que são poucos autores que trabalham com as temáticas supracitadas e que os estudos existentes não estabelecem uma relação entre elas. Dessa maneira, evidencia-se a importância de estudos que investiguem e reflitam sobre essa inter-relação e o impacto desta para as organizações empresariais.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Natália Marinho do Nascimento, Faculdade de Filosofia e Ciências - Unesp, Marília

Cursando doutorado em Ciência da Informação; Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP;

Mestra em Ciência da Informação; Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP; 

Bacharela em Arquivologia; Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP.

Marta Lígia Pomim Valentim, Faculdade de Filosofia e Ciências - Unesp, Marília

Pós-Doutorado pela Universidad de Salamanca, Espanha. Livre-Docente em Informação, Conhecimento e Inteligência Organizacional pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), Brasil. Doutora em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP), Brasil. Mestra em Ciência da Informação pela PUC-Campinas, Brasil. Professora da Universidade Estadual Paulista (Unesp/Marília), Brasil.

María Manuela Moro Cabero, Universidade de Salamanca

Doutora em História pela Universidade de Salamanca, Espanha. Professora da Universidade de Salamanca, Espanha.

Referências

ARQUIVO NACIONAL (BRASIL). Conselho Nacional de Arquivos Classificação, temporalidade e destinação de documentos de arquivo: relativos às atividades-meio da administração pública/Arquivo Nacional. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2001.

INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. ISO 15489-1: Information and Documentation. Records Management. Concepts and principles. Genebra, 2016.

ASOCIACIÓN Española de Normalización y Certificación. UNE-ISO 30301: 2011. Información y documentación. Sistemas de gestión para los documentos. Requisitos. Madrid, AENOR, 2011.

BELLOTTO, H. L. Arquivo: estudos e reflexões. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014.

BERNARDES, I. P. Como avaliar documentos de arquivo. São Paulo: Arquivo do Estado, 1998.

CAMARGO, A. M. de A.; BELLOTTO, H. L. (Coord.). Dicionário de terminologia arquivística. São Paulo: AAB-SP/Secretaria de Estado de Cultura, 1996.

CASTELLS, M. O espaço de fluxos. In: ________. A sociedade em rede. 6.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001. v.1; Cap.6; p.467-521

CERMEÑO MARTORELL, LL.; RIVAS PALÁ, E. Valorar y seleccionar documentos. Quées y cómo se hace. Gijón: Trea; 2010.

CHIAVENATO, I. Introdução à teoria geral da administração: uma visão abrangente da moderna administração das organizações. 7.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

HEREDIA HERRERA, A. Lenguaje y vocabulário archivísticos. Algo más que un diccionario. Sevilla: Junta de Andalucía. Consejería de Cultura; 2011.

HERNÁNDEZ OLIVERA, L.; MORO CABERO, M. Procedimientos de valoración documental. Salamanca: ACAL, 2002.

MONTEIRO, N. A.; VALENTIM, M. L. P. Necessidades informacionais e aprendizagem no ciclo de vida de um projeto. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas (SP), v.5, p.53-66, 2008.

RODRIGUES, A. C. Diplomática contemporânea como fundamento metodológico da identificação de tipologia documental em arquivos. São Paulo: USP, 2008. 258f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em História Social – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas – Universidade de São Paulo (USP).

SCHELLENBERG, T. R. Avaliação dos Documentos Públicos Modernos. In: ________. Arquivos Modernos: princípios e técnicas. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

VALENTIM, M. L. P. Ambientes e fluxos de informação. In: ________ (Org.). Ambientes e fluxos de informação. São Paulo: Polis: Cultura Acadêmica, 2010. p.13-22.

VILLARDEFRANCOS ÁLVAREZ, M. del C. La identificación de flujos de información: una herramienta obligada para lagestión de información. In: CONGRESOINTERNACIONAL DE INFORMACIÓN (Info'2002), La Habana, Memoria… Cuba: Biomundi: IDICT, 2002.

Downloads

Publicado

2017-09-06

Como Citar

Nascimento, N. M. do, Valentim, M. L. P., & Moro Cabero, M. M. (2017). Reflexões a partir da análise bibliométrica sobre tipos documentais, fluxos informacionais e avaliação de documentos. Encontros Bibli: Revista eletrônica De Biblioteconomia E Ciência Da informação, 22(50), 59-75. https://doi.org/10.5007/1518-2924.2017v22n50p59

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)