Lei de Lotka: um olhar sobre a produtividade dos autores na literatura brasileira de finanças

Autores

  • Ricardo Batista Cândido Mestre em Administração pela UMESP e professor de Economia e Finanças da ESAMC http://orcid.org/0000-0002-6162-0209
  • Fábio Gallo Garcia Professor do Programa de Pós-Graduação em Administração da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
  • Anderson Luiz Saber Campos Professor do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Metodista de São Paulo (UMESP) https://orcid.org/0000-0001-9313-4857
  • Elmo Tambosi Filho Professor do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Metodista de São Paulo (UMESP) http://orcid.org/0000-0001-6848-8370

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2018v23n53p1

Palavras-chave:

Finanças, Produtividade em pesquisa, Bibliometria, Lei de Lotka

Resumo

No Brasil, as pesquisas em finanças tiveram início há cerca de 60 anos, entretanto, são poucos os estudos que analisaram essa produção e que, ao fazê-lo, se apropriaram devidamente das leis e princípios bibliométricos. Buscando satisfazer a essa lacuna, a presente pesquisa investiga o nível de produtividade dos pesquisadores na literatura de brasileira de Finanças aplicando, para tanto, a Lei de Lotka, calculada pelo modelo do Poder Inverso Generalizado e utilizando duas formas de contagem: direta e completa. O corpus foi composto por 873 artigos digitais, publicados em 24 conceituados periódicos nacionais, classificados nos estratos Qualis/CAPES A2, B1 e B2 da Área de Administração, Ciências Contábeis e Turismo, entre 2005 e 2014. Verificou-se, inicialmente, que o número de colaborações cresceu continuamente nos últimos anos e que a configuração de três autores vem se tornando a mais frequente. A produtividade dos pesquisadores, quando feita pela contagem completa (n=-2,23), foi superior à contagem direta (n=-2,89), mostrando um efeito favorável da produção em regime de colaboração, entretanto, o elevado número de pesquisadores com apenas uma publicação demonstra ser uma barreira a ser superada.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Batista Cândido, Mestre em Administração pela UMESP e professor de Economia e Finanças da ESAMC

Doutorando, em regime especial, pela FEA/USP; Mestre em Administração (UMESP), MBA Executivo em Finanças de Mercado (UNICID), Bacharel em Ciências Econômicas (UNISANT’ANNA), atuando, há 15 anos, na docência do ensino superior com concentração nas disciplinas: Econometria, Estatística II e III, Matemática Financeira, Macro e Microeconomia e Análise de Conjuntura Econômica; com experiência na coordenação de cursos de graduação bacharelado e tecnológicos. Pesquisador associado ao Núcleo Interinstitucional de Pesquisas sobre Aprendizagem (NIPA), que reúne pesquisadores da FEA-USP, FEA-PUCSP e UMESP.

Fábio Gallo Garcia, Professor do Programa de Pós-Graduação em Administração da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Professor da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas e da Pontíficia Universidade Católica de São Paulo. Possui graduação em Engenharia, graduação em Administração de Empresas, mestrado em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas - SP (1985), doutorado em Finanças pela Fundação Getúlio Vargas - SP (2002) e parte pela Univerty of Texas at Austin. Doutorando em Filosofia na PUC/SP. Atualmente é sócio da Tutóia COnsutoria e sócio da LGM Consultoria e Repres. Ltda, sócio - diretor Sinalização e Arte Comunicação Visual Ltda, Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Administração Financeira, atuando principalmente nos seguintes temas: Assimetria Informacional, Finanças Internacionais, Finanças Comportamentais.

Anderson Luiz Saber Campos, Professor do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Metodista de São Paulo (UMESP)

Graduação em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Itajubá (1994), mestrado em Administração de Empresas pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2007) e doutorado em Administração de Empresas pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2011).  Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Administração Financeira, atuando principalmente nos seguintes temas: estrutura de capital, folga financeira, painel de dados, e avaliação de empresas.

Elmo Tambosi Filho, Professor do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Metodista de São Paulo (UMESP)

Graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Santa Catarina (1996), Mestrado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (1997), Doutorado em Doutorado Sandwiche - Cleveland State University (2002), Doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003) e Pós-Doutorado pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (2007). Professor do Programa de Mestrado da Universidade Metodista de São Paulo até Fevereiro de 2018. Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Administração Financeira, atuando principalmente nos seguintes temas: econometria, mercado financeiro, portfolio, mercado de capitais e mercados emergentes. Orientador de Mestrado e Editor-Chefe da Revista Organizações em Contexto ISSN 1982-8756 até Fevereiro de 2018

Referências

ALVARADO, R. U. A produtividade dos autores na literatura de enfermagem um modelo de aplicação da lei de Lotka. Informação & Sociedade: Estudos, v. 16, n. 1, p. 63–78, 2006.

ALVARADO, R. U. A Lei de Lotka e a Produtividade dos Autores. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2007.

ARAÚJO, C. A. Bibliometria : evolução histórica e questões atuais. Em Questão, v. 12, n. 1, p. 11–32, 2006.

BOROKHOVICH, K. A.; BRICKER, R. J.; SIMKINS, B. J. Financial Management’s Sucess as an Academic Journal. Financial Management, v. 28, n. 3, p. 76–82, 1999.

CAMARGOS, M. A. DE; COUTINHO, E. S.; AMARAL, H. F. O Perfil da Área de Finanças do EnANPAD: Um Levantamento da Produção Científica e de suas Tendências entre 2000-2004. XXX Encontro da ANPAD. Anais...2005

CAMARGOS, M.; SILVA, W.; DIAS, A. Análise da produção científica em finanças entre 2000-2008: um estudo bibliométrico dos encontros da ANPAD. XXXIII Encontro da ANPAD. Anais...2009

COSTA-NETO, P. L. DE O. Estatística. 1. ed. São Paulo: Edgard Blücher, 1977.

COX, R. A K.; CHUNG, K. H. Patterns of Productivity in the Finance Literature: A Study of the Bibliometric Distributions. The Journal of Finance, v. 45, n. 1, p. 301–309, 1990.

DRESDEN, A. A report on the scientific work of the Chicago section. Bulletin of the American Mathematical Society, v. 28, n. 6, p. 303–307, 1922.

FONSECA, E. N. Bibliometria: Toeria e Prática. 1. ed. São Paulo: Cultrix: Editora da Universidade de São Paulo, 1986.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GUEDES, L. S. G.; BORSCHIVER, S. Bibliometria: uma ferramenta estatística para a gestão da informação e do conhecimento, em sistemas de informação, de comunicação e de avaliação científica e tecnológica. CINFORM–Encontro Nacional de Ciência da Informação. Anais...2005

HECK, J. L.; COOLEY, P. L. Prolific Authors in the Finance Literature : A Half Century of Contributions. Journal of Finance Literature, v. 1, n. 1992, p. 1–23, 2002.

HECK, J. L.; COOLEY, P. L.; HUBBARD, C. M. Contributing Authors and Institutions to the Journal of Finance: 1946-1985. Journal of Finance, v. 41, n. 5, p. 1129–1140, 1986.

HERLING, L. H. D.; LIMA, M. V. A. DE; MORITZ, G. D. O. Finanças corporativas: sua organização e base epistemológica. III Colóquio Internacional de Epistemologia e Sociologia da Ciência da Administração. Anais...2013Disponível em: <http://www.coloquioepistemologia.com.br/anais2013/ANE113.pdf>

LEAL, R. P. C.; OLIVEIRA, J. DE; SOLURI, A. F. Perfil da pesquisa em finanças no Brasil. Revista de Administração de …, p. 91–104, 2003.

LÉXICA, SPHINX. Sistema para pesquisa e análise de dados. Porto Alegre: http://www. sphinxbrasil. com, 2000.

LOTKA, A. J. The freq distrib of scientific productivity. Journal of the Washington Academy of Sciences, v. 16, n. 12, p. 317–323, 1926.

MATTOS, P. L. C. L. DE. “Bibliometria”: a metodologia acadêmica convencional em questão. RAE eletrônica, v. 3, n. 2, p. 0–0, 2004.

PAO, M. L. Lotka’s Law: a testing procedure. Processing and Management, v. 21, n. 4, p. 305–320, 1985.

POTTER, W. G. Lotka’s Law Revisited. Library Resources & Technical Services, v. 30, n. 1, p. 21–40, 1981.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa Social: Métodos e Técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2015.

SIEGEL, S. Estatística não-paramétrica para as ciências do comportamento. 1a ed. São Paulo: McGraw-Hill, 1975.

SPLITTER, K.; DA ROSA, C. A.; BORBA, J. A. Uma Análise das Características dos Trabalhos “Ditos” Bibliométricos Publicados no EnANPAD entre 2000 e 2011EnANPAD. [s.l: s.n.].

TEIXEIRA, M. L. M.; IWAMOTO, H. M.; MEDEIROS, A. L. Estudos bibliométricos (?) em administração: discutindo a transposição de finalidade. Administração: Ensino e Pesquisa, v. 14, n. 3, p. 423–452, 2013.

VASCONCELOS, M. P. B. et al. Produção científica brasileira em finanças no período 2000-2010. RAE- Revista de Administração de Empresas, v. 53, n. 1, p. 46–55, 2013.

VERGARA, S. C. Projetos e Relatórios de Pesquisa em Administração. 15. ed. São Paulo: Atlas, 2014.

WESTON, J. F. Finanças de Empresas: campo e metologia. 1a ed. São Paulo: Atlas, 1977.

Publicado

2018-09-06

Como Citar

CÂNDIDO, Ricardo Batista; GARCIA, Fábio Gallo; SABER CAMPOS, Anderson Luiz; FILHO, Elmo Tambosi. Lei de Lotka: um olhar sobre a produtividade dos autores na literatura brasileira de finanças. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 23, n. 53, p. 1–15, 2018. DOI: 10.5007/1518-2924.2018v23n53p1. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2018v23n53p1. Acesso em: 27 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.