As variações terminológicas no contexto dos arquivos pessoais: uma análise das denominações utilizadas por instituições públicas brasileiras

Autores

  • Bruna Pimentel Lopes Universidade de Brasília
  • Georgete Medleg Rodrigues Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2018v23n53p87

Palavras-chave:

Arquivos pessoais, Arquivos pessoais de escritores, Entidades custodiadoras de acervos arquivísticos, Terminologia arquivística

Resumo

Considerando-se a frequência do uso de termos como “coleções”, “papéis pessoais” e “manuscritos” para representar os arquivos pessoais, este artigo tem como objetivo identificar quais são os termos utilizados por entidades públicas brasileiras, mantenedoras de arquivos pessoais de escritores, para se referir a esse tipo de acervo. Para tanto, utiliza-se o método de pesquisa documental e a análise dos dados mediante estratégia comparativa de vinte instituições públicas. Verificou-se a existência de onze denominações distintas utilizadas pelas entidades analisadas para designar os arquivos pessoais de escritores, o que permite concluir a existência não só de diversas práticas para o tratamento desses acervos, mas uma dificuldade em percebê-los como conjuntos documentais arquivísticos.

Biografia do Autor

Bruna Pimentel Lopes, Universidade de Brasília

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade de Brasília - UnB.

Georgete Medleg Rodrigues, Universidade de Brasília

Doutora em História pela Université de Paris (Paris IV – Sorbonne). Professora do Curso de Graduação em Arquivologia e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da
Universidade de Brasília – UnB.

Referências

ARQUIVO NACIONAL (BRASIL). Dicionário brasileiro de terminologia arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005.

BELLOTTO, H. L. Arquivos permanentes: tratamento documental. 4. Ed. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

CAMARGO, Ana Maria de Almeida. Arquivos pessoais são arquivos. Revista do Arquivo Público Mineiro, Belo Horizonte, v. 45, n. 2, p. 26-39, jul./dez. 2009.

CAMARGO, A. M. A.; GOULART, S. Tempo e circunstância: a abordagem contextual dos arquivos pessoais: procedimentos metodológicos adotados na organização dos documentos de Fernando Henrique Cardoso. São Paulo: Instituto Fernando Henrique Cardoso, 2007.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS (BRASIL). NOBRADE: Norma Brasileira de Descrição Arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2006.

COOK, T. Arquivos pessoais e arquivos institucionais: para um entendimento comum da formação da memória em um mundo pós-moderno. Estudos históricos, Rio de Janeiro, v. 11, n. 21, p. 129-150, 1998.

COSTA, C. M. L. A política nuclear nos arquivos pessoais. In: ABREU, A. A. A democratização no Brasil: atores e contextos. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

COX, R. Arquivos pessoais: um novo campo profissional: leituras, reflexões e reconsiderações. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2017.

FRAIZ, P. A. dimensão autobiográfica dos arquivos pessoais: o arquivo de Gustavo Capanema. Estudos Históricos, v. 11, n. 21, p. 59-88, 1998.

HERRERA, A. H. Archivistica general: teoria y pratica. Sevilla: Diputación Provincial de Sevilla, 1991.

HEYMANN, L. Q. O lugar do arquivo: a construção do legado de Darcy Ribeiro. Rio de Janeiro: Contracapa / FAPERJ, 2012.

KAUARK, F. Metodologia da pesquisa: guia prático. Itabuna: Via Litterarum, 2010.

LODOLINI, E. Archivística: princípios y problemas. Madrid: ANABAD, 1993.

PAES, M. L. Arquivo: teoria e prática. Rio de Janeiro: FGV, 2004.

MACDONALD, S.; HEADLAM, N. Research methods handbook: introductory guide to research methods for social research. United Kingdom: CLES, 2010.

MARQUES, R. Arquivos literários: teorias, histórias, desafios. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2015.

OLIVEIRA, L. M. V. Descrição e pesquisa: reflexões em torno dos arquivos pessoais. Rio de Janeiro: Móbile, 2012.

PAYNE, G.; PAYNE, J. Key concepts in social research. London: SAGE Publications, 2004.

SILVA, E. P.; MELO, M. T. A dispersão de fundos de arquivos pessoais. Revista do Arquivo Geral da cidade do Rio De Janeiro, Rio de Janeiro, n.10, p.91-102, 2016.

SANTOS, P. R. E. dos. Arquivos de cientistas: gênese documental e procedimentos de organização. São Paulo: Associação de Arquivistas de São Paulo, 2012.

SILVA, M. C. S. M. E. Presentación: os arquivos pessoais e os desafios para os arquivistas. In: GARCIA, N.; SILVA, M. C. S. M.(Org.). Archivos personales: experiencias de organización y gestión. Córdoba: Editorial de la Red de Archiveros Graduados de Córdoba, 2017.

Downloads

Publicado

2018-09-06

Como Citar

Lopes, B. P., & Rodrigues, G. M. (2018). As variações terminológicas no contexto dos arquivos pessoais: uma análise das denominações utilizadas por instituições públicas brasileiras. Encontros Bibli: Revista eletrônica De Biblioteconomia E Ciência Da informação, 23(53), 87-95. https://doi.org/10.5007/1518-2924.2018v23n53p87