Uma Caminhada pela Cidade: reflexões sobre informação e memória na cidade a partir de um poema de Charles Baudelaire

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2019v24n54p135

Palavras-chave:

Informação, Cidade Urbana, Cidade, Espaço de Memória, A Uma passante, Charles de Baudelaire, Artefato infor-comunicacional memorialístico

Resumo

O caminhar pela cidade, numa analogia com o ato de escrever, é um traçar de percursos e trajetórias construindo a tessitura informacional dos sujeitos no espaço da cidade, por meio dos caminhos delineados pelo citadino, enquanto ator social. Este artigo apresenta uma reflexão sobre a construção da informação através do ato de caminhar pelas ruas da cidade urbana a partir da análise do poema de Charles Baudelaire “A Uma Passante” perpassando pela compreensão da cidade como espaço de representação e enquanto artefato infor-comunicacional memorialístico e de expressão cultural dos sujeitos sociais através de uma revisão de literatura fundamentada na inter-relação Informação / Memória. Trata-se de fragmentos da fundamentação teórica que embasarão uma proposta de tese em construção desenvolvida no âmbito de um programa de Ciência da Informação.

Biografia do Autor

Tahis Virginia Gomes da Silva, UFPB

Graduada em Educação Artística/UFPB (Licenciatura Plena - habilitação em Artes Plásticas /2000); Bacharel em Biblioteconomia/UFPB (2007); Mestre em Ciência da Informação/PPGCI/UFPB (2011); Doutoranda em Ciência da Informação/PPGCI/UFPB, área de concentração Informação, Conhecimento e Sociedade, na linha 1 Informação, Memória e Sociedade (2017-); Bibliotecária-documentalista da Universidade Federal da Paraíba - lotada no Centro de Ciências da Saúde (2008-); Atualmente Coordenadora da Biblioteca Setorial do CCS/UFPB (2017-).

José Mauro Matheus Loureiro, UNIRIO;UFPB

Bacharel em Museologia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (1980), Mestrado (1996) e Doutorado (2000) em Ciência da Informação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e estágio Pós-Doutoral em Antropologia Social (PPGAS/MN/UFRJ). Atualmente é Professor Associado IV da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro e Professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba. Tem experiência na área de Ciência da Informação atuando principalmente nos temas informação, memória, ciência e cultura material.

Referências

ALMEIDA, C.C. de; GUIMARAES, J.A.C. Peirce e a ciência da informação: considerações preliminares sobre as relações entre a obra peiceana e a organização da informação. VIII ENANCIB –ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 8,2007. Anais eletrônicos... Salvador, 2007. Disponível em: www.VIIIenancib.com.br. Acesso em: 15 maio 2009.

ARAÚJO, V. M. R. H. de. Informação: instrumento de dominação e de submissão. Ci.In., Brasília, v. 20, n. 1, p. 37-44, jan./jun. 1991. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/414/414. Acesso em: 20 jul. 2018.

ASSMANN, A. T. Locais. In: ___________. Espaços de recordação: formas e transformações da memória cultural. Campinas: Unicamp, 2001.

AZEVEDO NETTO, C. X. de. Cultura, Identidade e Cultura material: a visão arqueológica. In: CAVIGNAC, J. Memória, Vivência, n.28, p.265-275, 2005.

______________. Informação e memória: as relações na pesquisa. Revista História em Reflexão, Dourados, UFGD, v. 1, n. 2, p. 1-19, jul./ dez. 2007.

BAUDELAIRE, C. As Flores do Mal. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, [1985]. Tradução, introdução e notas de Ivan Junqueira.

__________. LES Flores Del mal [As Flores do Mal] - Introducción, traducción em verso y notas por Carlos Pujol. [Bruxelas]: Planeta, [1865]. Disponível em: https://docente.ifrn.edu.br/paulomartins/livros-classicos-de-literatura/as-flores-do-mal-de-charles-baudelaire Acesso em: 12 fev. 2018.

BAUMAN, Z. Tempo e Espaço. In: _____________. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar, [2014], p. 107-247. [tradução Plínio Dentzien].

BENJAMIN, W. Baudelaire e a Modernidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2015. [Tradução João Barrento].

BURKE, P. Uma história social do conhecimento: de Gutenberg a Diderot. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

BURKLAN, M. What kind of scince can information sciense be? Journal of the American Society for Information Science and Tecnology, v.63, n.1, p.1-7, jan. 2012. Disponível em: https://onlinelibrary-wiley.ez15.periodicos.capes.gov.br/doi/epdf/10.1002/asi.21656. Acesso em: 30 out. 2018.

CATROGA, F. Memória, história e historiografia. Lisboa: Quarteto, 2001.

CERTEAU, M. de. Terceira Parte – Práticas de Espaço. In:______________. A invenção do cotidiano: artes de fazer. 22.ed. Petrópolis: Vozes, [2014], p.157-196. [tradução Ephraim Ferreira Alves].

DEBORD, G. A Sociedade do espetáculo. [S.L]: Coletivo Periferia, 2003.

DIEHL, A. A. Memória e identidade: perspectivas para a história. In:______________. Cultura historiográfica, memória, identidade e representação. Bauru, SP: EDUSC, 2002, p.111 -136.

FARRADANE, J. Knowledge, information, and information science. Journal of Information Science, v. 2, p. 75-80, 1980.

FREIRE, G. H. de A.; FREIRE, I.M. Introdução à Ciência da Informação. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2009.

HALBWACHS, M. A Memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2008, p. 224p. [tradução de Beatriz Sidou].

LE GOFF, Jacques. Memória. In: __________. História e memória. 4.ed. Campinas: UNICAMP, 1996, p.423-477.

__________. Documento/Monumento. In: __________. História e memória. 4.ed. Campinas: UNICAMP, 1996, p. 535-549.

__________. Por amor às cidades: conversas com Jean Lebrun. São Paulo: Unesp, [1998]. [tradução Reginaldo Carmello Corrêa de Morais].

LOUREIRO, J.M.M. Informação, Memória E Patrimônio: breves considerações. In.: AZEVEDO NETTO, C.X. (Org.) Informação, patrimônio e memória: diálogos interdisciplinares. João Pessoa: Editora da UFPB, 2015, p. 97 -107.

LYNCH, K. A Imagem da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 2006, p.88-92; 145-148. [Tradução Jefferson Luiz Camargo].

MCGARRY, K. O Contexto dinâmico da informação: uma análise introdutória. Brasília, DF: Briquet de Lemos/Livros, 1999, p. 1-30.

MENESES, U.B. de. Identidade cultural e arqueologia. In: Bose, A. (org.) Cultura Brasileira: temas e situações. 4. ed. São Paulo: Ática, 2002, p. 182-190.

OLIVEIRA, B. M. J. F.; AZEVEDO NETTO, C.X. de. Artefatos como elemento de memória e identidade da cultura popular: um olhar sob a perspectiva da arqueologia social. In: FECHINE, I.; SEVERO, I. (Orgs.). Cultura popular: nas teias da memória. João Pessoa: Editora Universitária, 2007, p. 27-51.

PINHEIRO, L.V. R. Gênese da Ciência da Informação: os sinais anunciadores da área. In.: AQUINO, M. A.(Org.). O Campo da Ciência da Informação. 2.ed. João Pessoa: Editora Universitária, 2011, p. 59-92.

RIBEIRO, R. R. Nos Jardins do tempo: memória e história na perspectiva de Pierre Nora. [S.L.: s,n., 2000].

ROBREDO, J. Da Ciência da Informação revisitada aos sistemas humanos de informação. Brasília: Thesaurus; SSRR Informações, 2003.

SILVA, A. M. da. Informação e Cultura; Informação e Conhecimento. In:__________. A Informação: Da compreensão do fenômeno e construção do objeto científico. Santa Maria da Freira: Edições Apontamento, 2006, p. 15 -41.

SOUZA, G. M. de. A Cidade sob um olhar – educação patrimonial e o ensino superior: experiências para o debate. In: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - Paraíba; TOLETINO, A. B.; BRAGA, E. O. (Org.). Educação patrimonial [recurso eletrônico]: práticas e diálogos interdisciplinares. João Pessoa – PB: IPHAN-PB; Casa do Patrimônio da Paraíba, 2017, p. 13-27 (Caderno temático; 6). Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/. Acesso: 28 jul. 2017.

ZEMAN, J. Significado Filosófico da Noção de Informação. In: COLÓQUIOS FILOSÓFICOS INTERNACIONAIS DE CAHIERS DE ROYAUMONT. O Conceito de informação na ciência contemporânea. [S.L.]: Paz e Terra, 1970, p.154179. [Tradução de Maria Helena Kühner].

Downloads

Publicado

2019-01-04