Correntes teóricas da Arquivologia

Carlos Alberto Ávila Araújo

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/1518-2924.2013v18n37p61

 

A Arquivologia se constituiu, como disciplina científica, no final do século XIX, a partir da consolidação de um modelo custodial e patrimonialista. No século XX, desenvolveram-se diversas teorias, sistematizadas neste texto em quatro eixos, ampliou seu escopo de estudos e problematizações. Como efeito desta ampliação, desenham-se perspectivas contemporâneas com modelos sistêmicos, abarcando diferentes tipos de arquivos, preocupadas com o contexto sociocultural dos arquivos e também inserindo nas práticas as tecnologias digitais.


Palavras-chave


Arquivologia; Epistemologia da Arquivologia; Correntes teóricas da Arquivologia

Texto completo:

PDF-A

Referências


ALBERCH I FUGUERAS, R. et al. Archivos y cultura: manual de dinamización. Gijón: Trea, 2001.

ÁVILA, R. F.; SOUSA, R. T. A aporia dos estudos de comportamento informacional na Arquivística. Cenário Arquivístico, v. 4, n. 1, p. 41-53, jan./jun. 2011.

BLAIS, G.; ENNS, D.; RICHAN, D. Out of the Ivory Tower: public programming in Canadian archives. In: Canadian Archives in 1992. Ottawa: Canadian Council of Archives, 1992, p. 135-156.

BLAYA PEREZ, C.; MENEZES, P. L. O usuário e o direito à informação. Ponto de Acesso, v. 1, n. 2, p. 49-69, jul./dez. 2007.

CASWELL, M. Khmer Rouge archives: accountability, truth, and memory in Cambodia. Archival Science, v. 10, n. 1, p. 25-44, 2010.

COEURÉ, S.; DUCLERT, V. Les archives. Paris: La Découverte, 2001.

COLOMBO, F. Os arquivos imperfeitos: memória social e cultura eletrônica. São Paulo: Perspectiva, 1992.

CONWAY, P. Facts and frameworks: an approach to studying users and archives. American Archivist, v. 49, P. 393-407, 1986.

COOK, T. What is past is prologue: a history of archival ideas since 1898, and the future paradigm shift. Archivaria, v. 43, p. 17-63, 1997.

COUTURE, C. et al. Les fonctions de l’archivistique contemporaine. Québec: Presses de l’Université du Québec, 1999.

COX, R. Personal archives and a new archival calling: readings, reflections and ruminations. Duluth: Litwin, 2008.

DELGADO GÓMEZ, A.; CRUZ MUNDET, J.R. El archivo como construcción social. Candelaria: Asarca, 2010.

DELSALLE, P. Une histoire de l'archivistique. Sainte-Foy: Presses de l'Université du Québec, 2000.

DOLLAR, C. Archival theory and information technologies: The impact of information technologies on archival principles and methods. Macerata: University of Macerata, 1992.

DOOLEY, J. Subject indexing in context. American Archivist, v. 55, p. 344-354, 1992.

DOWLER, L. The role of use in defining archival practice and principles: a research agenda for avaialbility and use of records. American Archivist, v. 51, p. 74-95, 1988.

DUCHEIN, M. Obstacles to the access, use and transfer of information from archives: a RAMP study. Paris: Unesco – General Information Programm; Unisist, 1983.

DURANTI, L. Diplomatics: new uses for an old science. Archivaria, v. 28, p. 6-24, 1989.

DURANTI, L.; EASTWOOD, T.. Protecting eletronic evidence: a progress report on a research study and its methodology. Archivi & computer, v. 3, p. 213-250, 1995.

FONSECA, M. O. Arquivologia e ciência da informação. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2005.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Uma outra memoria é possível. Petrópolis: Vozes, 2008.

HARRIS, V. Archives and justice: a South African perspective. Society of American Archivists, 2007.

JARDIM, J. M. Sistemas e políticas públicas de arquivos no Brasil. Niterói: EdUff, 1995.

JARDIM, J.M., FONSECA, M.O. Estudos de usuários em arquivos: em busca de um estado da arte. Datagramazero, v. 5, n. 5, out. 2004.

JARDIM, J. M.; FONSECA, M. O. (orgs). A formação do arquivista no Brasil. Niterói: EdUff, 1999.

JIMERSON, R. (Ed.). American archival studies: readings in theory and practice. Chicago: The Society of American Archivists, 2000.

JIMERSON, R. Redefining archival identity: meeting user needs in the information society. American Archivist, v. 52, p. 332-340, 1989.

KOLSRUD, O. The Evolution of Basic Appraisal Principles- Some Comparative Observations. American Archivist, v. 55, p. 26-39, 1992.

LOPES, L. C. A nova arquivística na modernização administrativa. Rio de Janeiro: Papéis e Sistemas, 2000.

MATTAR, E. (org). Acesso à informação e política de arquivos. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2003.

MONTGOMERY, B. Archiving human rights: the records of amnesty international, USA. Archivaria, v. 39, p. 108-131, 1995.

PINKETT, H. American archival theory: the state of the art. American Archivist, v. 44, n. 3. p. 217-222, 1981.

PUGH, M. J. The illusion of omniscience: subject access and the reference archivist. American Archivist, v. 45, 1982, p. 33-44.

RIBEIRO, F. O acesso à informação nos arquivos. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian; MCT; MCEC, 2003.

SCHELLENBERG, T. Arquivos modernos: princípios e técnicas. Rio de Janeiro: Editora FGV, 1973.

SCHWARTZ, J.; COOK, T. Archives, records and power: the making of modern memory. Archival Science, v. 2, p. 1-19, 2002.

SILVA, A. M. et al. Arquivística: teoria e prática de uma ciência da informação. Porto: Afrontamento, 1998.

SILVA, D. A. Arquivos: uma abordagem inicial sobre o termo “usuário”. Cenário Arquivístico, v. 4, n. 1, p. 9-21, jan./jun. 2011.

SILVA, E. P. A trajetória da arquivologia: três visões sobre os arquivos. In: III Congresso Nacional de Arquivologia. Rio de Janeiro: Executiva Nacional das Associações Regionais de Arquivologia, 2008.

SOUSA, R. Classificação. In: SANTOS, V.; INNARELLI, H.; SOUSA, R. Arquivística: temas contemporâneos. São Paulo: Senac, 2007.

TANODI, A. Manual de archivología hispanoamericana: teorias y principios. Córdoba: Universidad Nacional de Córdoba, 1961.

THOMASSEN, T. Uma primeira introdução à arquivologia. Arquivo & Administração, Rio de Janeiro, v. 5, n. 1, p. 5-16, 2006.




DOI: https://doi.org/10.5007/1518-2924.2013v18n37p61



Direitos autorais 2013 Carlos Alberto Ávila Araújo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1518-2924.

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By  (mais informação)