A Arte de documentar a natureza em relatos de viagem às Cataratas do Iguaçu (BRASIL e ARGENTINA, 1883-1914)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2020.e75476

Palavras-chave:

Relatos de viagens, Cataratas do Iguaçu (Brasil), Cataratas do Iguaçu (Argentina), Paisagem, Memória

Resumo

Objetivo: Reflete sobre o aspecto documental dos relatos de viagens na constituição de paisagens naturais a partir de pesquisa sobre as Cataratas do Iguaçu. Os documentos analisados são relatos de viagens publicados no Brasil e na Argentina entre os anos de 1883 e 1914. Investiga como os viajantes e exploradores que visitaram as cataratas entre os séculos XIX e XX conceberam o território disputado por Brasil e Argentina desde o período colonial. Especificamente, objetivou-se: identificar a tipologia documental, caracterização técnica e possíveis aproximações dos relatos de viagem com a “arte da Bibliografia”; apresentar concepções de “Natureza”, “Recursos naturais”, e “Paisagem” presentes nas narrativas dos viajantes.

Método: Pesquisa exploratória, bibliográfica e documental por meio do método histórico.

Resultado: Apontamentos técnicos acerca da tipologia documental “relatório de viagem” e sua relação com a Bibliografia. Reflexões teóricas sobre memória e paisagem na interface dos registros documentais.

Conclusões: Conforme apresentado no evento “A Arte da Bibliografia” (2019) foram destacadas as imagens e as descrições da paisagem, utilizadas como recurso discursivo de empoderamento dos Estados Nacionais em disputa pelo território da fronteira.

Biografia do Autor

Cezar Karpinski, Universidade Federal de Santa Catarina - Departamento de Ciência da Informação - Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação

Professor Associado I da Universidade Federal de Santa Catarina - Departamento de Ciência da Informação. Bacharel em Filosofia, mestre e doutor em História. Atuação e pesquisa na área de Ciência da Informação, nas interfaces: Informação e Memória; Estudos históricos e epistemológicos da Ciência da Informação; História dos Arquivos e das Bibliotecas; Patrimônio cultural, natural e documental; Ciência da Informação e Interdisciplinaridade; Informação e Movimentos Sociais. Na área de História é especialista em História e Meio Ambiente, Rio Iguaçu (Séculos XIX e XX), Patrimônio Ambiental, Cataratas e Parque Nacional do Iguaçu, Hidrelétricas e História Oral. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação e Membro do Grupo de Pesquisa Organização do Conhecimento e Gestão Documental.

Keitty Rodrigues Vieira, Universidade Federal de Santa Catarina. Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação.

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PGCIN) pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC / 2017-2019)com graduação em Biblioteconomia e Habilitação em Gestão da Informação pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC / 2013 - 2016). Atualmente é membro do Grupo de Pesquisa Organização do Conhecimento e Gestão Documental - KOD (UFSC). Possui interesse nas áreas relacionadas aos estudos históricos e epistemológicos da Biblioteconomia e Ciência da Informação, organização e representação do conhecimento e da informação.

Referências

ACADEMIA NACIONAL DE LA HISTORIA. História argentina contemporânea: 1862-1930. Buenos Aires: El Ateneu, 1965-1967.

ALENTEJO, E. Bibliografia: caminhos da história contada e da história vivida. Informação & Informação: Londrina, v. 20, n. 2, maio/ago. 2015. p. 20-62. Disponível em: http://

www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/23124/pdf_58. Acesso em: 24 jun. 2020.

AMBROSETTI, J. B. Segundo viagem a Missiones por el Alto Parana e Iguazú. Boletin Del Instituto Geográfico Argentino. Buenos Aires, [1893].

ARAUJO, N. C.; FACHIN, J. Evolução das fontes de informação. Biblos: Revista do Instituto de Ciências Humanas e da Informação. v. 29, n. 1, 2015. Disponível em: https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/5463/3570. Acesso em: 24 jun. 2020.

BACHELARD, G. A poética do espaço. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

BECKER, H. S. Falando da Sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2009.

BERGSON, H. Matéria e Memória: ensaio sobre a relação do corpo com o espírito. São Paulo: Martins e Fontes, 2006.

BLATTMANN, U. Fontes de Informação: Primárias, Secundárias e Terciárias. 2015. Disponível em: http://bibci.wikidot.com/fontes-primarias. Acesso em: 24 jun. 2020.

CARLI, D. T. de. O documento histórico como fonte de preservação da memória. Ágora: Arquivologia em debate, Florianópolis, v. 23, n. 47, 2013. p. 183-197. Disponível em: https://agora.emnuvens.com.br/ra/article/view/454/pdf_23. Acesso em: 24 jun. 2020.

CAVALCANTE, L. E. Os percursos da memória: a exposição virtual cartes postales du Québec d’antan como fonte de informação histórica. Informação & Sociedade: Estudos. João Pessoa, v. 17, n. 3, set./dez. 2007. p. 99-105. Disponível em: https://

periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/976/1590. Acesso em: 24 jun. 2020.

ECCE LIBER: Filosofia, Linguagem e Organização dos Saberes. Seminário Internacional A Arte da Bibliografia. Breve história do evento. Disponível em: https://www.ecceliber.org/historia-do-evento. Acesso em: 24 jun. 2020.

KARPINSKI, C. História do Rio Iguaçu: navegação, cataratas e hidrelétricas. Balti [Moldova]: Novas Edições Acadêmicas, 2017.

KARPINSKI, C. et al. Levantamento, catalogação e digitalização de fontes históricas sobre as Cataratas do Iguaçu (1850-1910). Encontros Bibli,v. 23, p. 99-111, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2018v23nespp99/36932. Acesso em: 25 jun. 2020.

KARPINSKI, C. Patrimônio natural, documentação e pesquisa. Transinformação, v. 30, p. 314-323, 2018. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/download/117799. Acesso em: 25 jun. 2020.

KARPINSKI, C; MATIAUDA. Paisagem e fronteira nas questões territoriais entre Argentina e Brasil (1860-1914). Revista NUPEM, Campo Mourão, v. 9, n. 17, p. 72 - 85, maio/ago. 2017. Disponível em: http://revistanupem.unespar.edu.br/index.php/nupem/article/view/321/297. Acesso em: 01 jul. 2020.

LISTA, R. El território de las Missiones. Buenos Aires: Imprenta “La Universidad”, 1883.

MAGALHÃES, M. H. de A. Fontes de informação geográfica. In: CAMPELLO, B. S.; CALDEIRA, P. da T. (Orgs.). Introdução às fontes de informação. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2008. p. 53-66.

METHFESSEL, A. Cataratas del Iguazú. 1892. Óleo sobre tela, color. 75 x 175 cm. Museu de La Plata. Disponível em: http://www.fcnym.unlp.edu.ar/museo/arte/methfessel_1.htm. Acesso: 30 jun. 2009.

NAXARA, M. R. C. Cientificismo e sensibilidade romântica: em busca de um sentido explicativo para o Brasil no século XIX. Brasília: Editora da UnB, 2004.

OLIVEIRA, A. Panorama dos saltos do Iguaçu ou Santa Maria [1905]. Fotografia p & b. 40 x 23 cm. In. SILVEIRA NETTO, M. A. Do guayra aos saltos do Iguassú. Coritiba: Typographia do Diario Official, 1914, entre p.90 e 91.

PRADO, M. L. C. América Latina no Século XIX: tramas, telas e textos. São Paulo: Edusp; Bauru: Edusc, 1999.

RICOEUR, P. A memória, a história e o esquecimento. Campinas: Editora Unicamp, 2007.

SCHAMA, S. Paisagem e memória. São Paulo: Companhia das letras, 1996.

SILVEIRA NETTO, M. A. Do guayra aos saltos do Iguassú. Coritiba: Typographia do Diario Official, 1914.

Downloads

Publicado

2020-11-30

Como Citar

Karpinski, C., & Vieira, K. R. (2020). A Arte de documentar a natureza em relatos de viagem às Cataratas do Iguaçu (BRASIL e ARGENTINA, 1883-1914). Encontros Bibli: Revista eletrônica De Biblioteconomia E Ciência Da informação, 25(Especial), 01-19. https://doi.org/10.5007/1518-2924.2020.e75476