A quarta revolução e a necessária reinvenção da Biblioteconomia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2021.e75961

Palavras-chave:

Futuro da biblioteca, Tendências para Biblioteconomia, Quarta revolução

Resumo

Objetivo: Discutir sobre a reinvenção da Biblioteconomia no contexto da quarta revolução.

Método: O estudo foi caracterizado como descritivo e utilizou como métodos a revisão de literatura, a análise bibliográfica e documental.

Resultados: Apresenta um panorama sobre a quarta revolução, promovida pelas tecnologias digitais, e seus impactos no mundo do trabalho. Observa que, diante da crescente facilidade de acesso à internet, as bibliotecas estão dividindo seu espaço de provedor de fontes de informação e verifica a persistência do perfil tecnicista do bibliotecário. Discorre sobre a desconexão entre a formação superior e as exigências atuais e potenciais do mercado de trabalho do bibliotecário contemporâneo no Brasil.

Conclusões: Recomenda-se repensar o ensino na graduação em Biblioteconomia e promover a aprendizagem continuada para que os bibliotecários desenvolvam e atualizem competências informacionais e tecnológicas.

Referências

ALMEIDA JÚNIOR, O. F. Sociedade e Biblioteconomia. São Paulo: Pólis, APB, 1997.

ARAÚJO, C. A. Á. Correntes teóricas da Biblioteconomia. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação. São Paulo, v. 9, n. 1, p. 41-58, jan./dez. 2013. Disponível em: https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/247. Acesso em: 15 jul. 2019.

ARAÚJO, C. A. Á. O pensamento funcionalista na Arquivologia, na Biblioteconomia e na Museologia. Ponto de Acesso, Salvador, v. 9, n. 2, p. 2-29, ago. 2015. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/6995. Acesso em : 15 jul. 2019.

ASSIS, T. B. Perfil profissional do bibliotecário: atual e desejado. In: RIBEIRO, Anna Carolina Mendonça Lemos; FERREIRA, P. C. G. (Org.). Bibliotecário do século XXI: pensando o seu papel na contemporaneidade. Brasília: Ipea, 2018. p. 13-31. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=32855&Itemid=433. Acesso em: 17 jul. 2019.

BARRETO, A. Os agregados de informação: memórias, esquecimento e estoques de informação. DataGramaZero – Revista de Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v. 1, n. 3, p. 1-13, ago. 2000.

BARROS, C. M.; CUNHA; M. V.; CAFÉ, L. M. A. Estudo comparativo dos currículos dos cursos de Biblioteconomia no Brasil. Informação & Informação, Londrina, v. 23, n. 1, p. 290-310, jan./abr. 2018. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/24524. Acesso em: 18 jul. 2019.

BRASIL. Lei no. 4.084, de 30 de junho de 1962. Dispõe sobre a profissão de bibliotecário e regula seu exercício. Brasília, 1962. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/1950-1969/L4084.htm. Acesso em: 15 nov. 2019

BRAYNER, C. A biblioteca de Foucault: reflexões sobre ética, poder e informação. São Paulo: É realizações, 2018.

CARVALHO, J. Tópicos em biblioteconomia e ciência da informação: epistemologia, política e educação. Rio de Janeiro: Agência Biblioo, 2016.

ECO, U.; CARRIÈRE, J. Não contem com o fim do livro. Rio de Janeiro: Record, 2010.

DUDZIAK, E. A. Information literacy: princípios, filosofia e prática. Ciência da Informação, Brasília, v. 32, n. 1, p. 23-35, jan./abr. 2003. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/download/8194. Acesso em: 18 jul. 2019.

FGV. Fundação Getúlio Vargas. Escola de Administração de Empresas de São Paulo. Centro de Tecnologia de Informação Aplicada da EAESP. Pesquisa anual do uso de TI. 29. ed. São Paulo: FGV, 2018. Disponível em: https://eaesp.fgv.br/ensinoeconhecimento/centros/cia/pesquisa. Acesso em: 25 abr. 2020.

GALINDO, M.; LIMA, A. K. A. O impasse: a formação em Ciência da Informação? In: FARIAS, Gabriela Belmont. Interlocuções e novas perspectivas na educação em Ciência da Informação. São Paulo: ABECIN Ed., 2018. p. 71-87.

HARNAD, S. Post-Gutemberg Galaxy: The Fourth Revolution in the Means of Production of Knowledge, Public-Acces Computer Systems Review 2 (1): p. 39-53. 1991. Disponível em: http://cogprints.org/1580/1/harnad91.postgutenberg.html. Acesso em: 05 dez. 2019.

HARNAD, S. Scholarly Skywriting and the Prepublication Continuum of Scientific Inquiry. Psychological Science, p. 342-343. 1990. Disponível em: http://cogprints.org/1581/1/harnad90.skywriting.html. Acesso em: 04 dez. 2019.

HEGGIE, J. Who benefits from big data? Science & Innovation. National Geographic. 8 jan. 2019. Disponível em: https://www.nationalgeographic.com/science/2018/12/partner-content-big-data-benefits/?cmpid=org=ngp::mc=ps::src=facebook::cmp=sp_bayer::add=fbch20190114-sp_bayer-big-data-benefits::rid=&kwp_0=1120438. Acesso em: 1 maio 2019.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal 2017: PNAD Contínua. IBGE, 2018. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=2101631. Acesso em: 25 abr. 2019.

ITU. International Telecommunication Union. Measuring the Information Society Report. Geneva: ITU Publications, 2018. v. 1. (Statistical reports). Disponível em: https://www.itu.int/en/ITU-D/Statistics/Documents/publications/misr2018/MISR-2018-Vol-1-E.pdf. Acesso em: 15 abr. 2019.

JESUS, D. L.; CUNHA, M. B. A biblioteca do futuro: um olhar em direção ao passado. Informação & Informação, Londrina, v. 24, n. 1, p.01-31, jan./abr. 2019a. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/34617. Acesso em: 2 jan. 2020.

JESUS, D. L.; CUNHA, M. B. A biblioteca do futuro: um olhar em direção ao presente. Informação & Informação, Londrina, v. 24, n. 3, p. 311-334, set./dez. 2019b. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/38022. Acesso em: 2 jan. 2020.

LIMA, A. K. Tendências para a Biblioteconomia: reflexões sobre o futuro da biblioteca universitária brasileira. 2020. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2020.

LINKEDIN. Profissões emergentes 2020. 2019. Disponível em: https://business.linkedin.com/content/dam/me/business/en-us/talent-solutions/emerging-jobs-report/Emerging_Jobs_Report_Brazil.pdf. Acesso em: 24 jan. 2020.

OCTAVE Uzanne’s “The end of books” (1894). The Public Domain Review, 201-. Disponível em: https://publicdomainreview.org/collection/octave-uzannes-the-end-of-books-1894#0-0. Acesso em: 20 jun. 2020.

ORTEGA Y GASSET, J. Misión del bibliotecário. México: Consejo Nacional para la Cultura y las artes, 2005. Colección Biblioteca del Bibliotecario.

RETRATOS da leitura no Brasil. 4. ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2016. Disponível em: http://prolivro.org.br/home/index.php/atuacao/25-projetos/pesquisas/3900-pesquisa-retratos-da-leitura-no-brasil-48. Acesso em: 30 abr. 2019.

ROMANI, B. Uso da inteligência artificial pode aumentar desemprego no Brasil, diz FGV. Estadão. 17 maio 2019. Disponível em: https://link.estadao.com.br/noticias/inovacao,desemprego-pode-subir-ate-4-pontos-percentuais-com-adocao-de-inteligencia-artificial-diz-fg,70002833283 . Acesso em: 28 maio 2019.

SCHWAB, K. The Fourth Industrial Revolution: What it means and how to respond. Foreign Affairs. 12 dez. 2015. Disponível em: https://www.foreignaffairs.com/articles/2015-12-12/fourth-industrial-revolution. Acesso em: 26 fev. 2019.

SILVA, A. A. O. R.; FUJINO, A. Formação e trabalho do profissional da informação: trajetórias no Brasil. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 19., 2018, Londrina. Anais [...]. Londrina: UEL, 2018. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/res/v/102372. Acesso em: 19 set. 2019.

SILVA, J. L. C.; SILVA, R. L. Biblioteca, luta de classes e o posicionamento da Biblioteconomia brasileira: algumas considerações. Em Questão, Porto Alegre, v. 16, n. 2, p. 203-217, jul./dez. 2010. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/16023. Acesso em: 15 fev. 2019.

SUSSKIND, R.; SUSSKIND, D. The future of the professions: How technology will transform the work of human experts. Oxford: Oxford University Press, 2015.

TARGINO, M. G. A Biblioteca do século XXI: novos paradigmas ou meras expectativas. Informação & Sociedade, João Pessoa, v. 20, n. 1, p. 39-48, jan./abr. 2010. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/2645. Acesso em: 15 fev. 2019.

UZANNE, O. The end of books. Adelaide: University of Adelaide, 2014. Disponível em: https://ebooks.adelaide.edu.au/u/uzanne/octave/end/. Acesso em: 20 abr. 2020.

WORLD Economic Forum. The future of jobs: Employment, skills and workforce strategy for the Fourth Industrial Revolution. 2016. Disponível em: http://www3.weforum.org/docs/WEF_Future_of_Jobs.pdf. Acesso em: 28 mar. 2019.

Downloads

Publicado

2021-01-04

Como Citar

Ascoli, A., & Galindo, M. (2021). A quarta revolução e a necessária reinvenção da Biblioteconomia. Encontros Bibli: Revista eletrônica De Biblioteconomia E Ciência Da informação, 26, 01-21. https://doi.org/10.5007/1518-2924.2021.e75961

Edição

Seção

Artigo