Infraestrutura e serviços de gestão de dados de pesquisa: uma avaliação no âmbito da Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2022.e85188

Palavras-chave:

Dados de Pesquisa, Gestão de Dados de Pesquisa, Research Infrastructure Self-Evaluation, RISE

Resumo

Objetivo: Compreender o processo de autoavaliação da infraestrutura e oferta de serviços de gestão de dados de pesquisa, por meio do diagnóstico da Universidade Estadual Paulista utilizando a ferramenta de autoavaliação Research Infrastructure Self-Evaluation.

Método: A pesquisa de cunho exploratória, aplicada e de natureza qualitativa, que se constituiu na autoavaliação realizada junto à Universidade Estadual Paulista, com o uso do Research Infrastructure Self-Evaluation, gerando um spider chart, visando avaliar a infraestrutura e a oferta de serviços de gestão de dados de pesquisa. A coleta de dados consistiu na aplicação do Research Infrastructure Self-Evaluation, tendo como resultado o mapeamento das práticas de gestão de dados de pesquisa na Instituição.

Resultado: A partir do mapeamento foi possível a análise dos pontos fortes e necessidades de melhoria da infraestrutura de apoio à gestão de dados de pesquisa na Universidade Estadual Paulista, possibilitando à Instituição verificar aspectos que demandam investimentos, visando aperfeiçoar a infraestrutura e os serviços de apoio ao pesquisador.

Conclusões: A partir da autoavaliação e da análise dos aspectos relacionados à gestão de dados de pesquisa, foi possível identificar os pontos fortes, dentre os quais se destaca a atenção institucional para políticas que, embora generalista, pode ser aplicada à gestão de dados de pesquisa. Por outro lado, para que a infraestrutura e os serviços de gestão de dados de pesquisa sejam adequadamente estruturados é necessário um olhar global da Universidade Estadual Paulista para todos os aspectos que compõem a gestão dos dados de pesquisa, conforme estruturado no modelo Research Infrastructure Self-Evaluation e, por meio do resultado da autoavaliação investir no preenchimento de lacunas ora existentes e saná-las em benefício do pesquisador, dos seus resultados de pesquisa, da comunidade científica, da sociedade e da própria instituição.

 

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Referências

AKERS, K. G.; DOTY, J. Research data management practices and perspectives: Differences among the arts and humanities, social sciences, medical sciences, and basic sciences. International Journal of Digital Curation, v. 8, n. 2, p. 5-26, 2013. Disponível em: https://doi.org/10.2218/ijdc.v8i2.263. Acesso em: 20 nov. 2020.

BHIDE, A. Como os empreendedores constroem estratégias que dão certo. In: Harvard Business Review. Empreendedorismo e estratégia. Rio de Janeiro: Campus, 2002.

BRASIL. Lei nº 13.709, de 14 de agosto de 2018. Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). Diário Oficial da União, Brasília, DF, 15 ago. 2018. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2018/lei/L13709.htm. Acesso em: 17 nov. 2020.

BRASIL. Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. Altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 20 fev. 1998. Seção 1. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9610.htm. Acesso em: 17 nov. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprovar as seguintes diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html. Acesso em: 27 nov. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016. Esta Resolução dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais cujos procedimentos metodológicos envolvam a utilização de dados diretamente obtidos com os participantes ou de informações identificáveis ou que possam acarretar riscos maiores do que os existentes na vida cotidiana, na forma definida nesta Resolução. Disponível em: https://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/22917581. Acesso em: 27 nov. 2020.

HEDSTROM, M. Digital preservation: a time bomb for digital libraries. Computers and the Humanities, Michigan, U.S.A, n. 31, p. 189–202, 1998. Disponível em: http://deepblue.lib.umich.edu/bitstream/handle/2027.42/42573/?sequence=1. Acesso em: 28 nov. 2020.

FAPESP. Gestão de Dados. Disponível em: https://fapesp.br/gestaodedados. Acesso em: 23 nov. 2020.

GILLILAND, A. J. Setting the stage. In: BACA, M. (ed.). Introduction to metadata. Los Angeles: Getty, 2008. p. 1-19. Disponível em: https://www.getty.edu/publications/intrometadata/setting-the-stage/. Acesso em: 19 nov. 2020.

HIGMAN, R.; BANGERT, D.; JONES, S. Three camps, one destination: the intersections of research data management, FAIR and Open. Insights, v. 32, n. 1, p. 18. 2019. DOI: http://doi.org/10.1629/uksg.468. Disponível em: https://insights.uksg.org/articles/10.1629/uksg.468/#. Acesso em: 19 nov. 2020.

JONES, S. et al. Data management planning: How requirements and solutions are beginning to converge. Data Intelligence, v. 2, n. 1-2, p. 208-219, 2020. Disponível em: Disponível em: http://www.data-intelligence-journal.org/p/49/ Acesso em 20 nov. 2020.

MÁRDERO ARELLANO, M. Á. Preservação de documentos digitais. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 33, n. 2, p. 15-27, maio/ago. 2004. Disponível em: http://www.brapci.ufpr.br/download.php?dd0=9026. Acesso em: 26 nov. 2020.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT. OECD principles and guidelines for access to research data from public funding. Paris: OECD Publishing, 2007. Disponível em: https://doi.org/10.1787/9789264034020-en-fr. Acesso em: 14 nov. 2020.

RANS, J. WHYTE, A. Using RISE the Research Infrastructure Self-Evaluation Framework. 2017. Edinburgh: Digital Curation Centre. Disponível em: www.dcc.ac.uk/guidance/how-guides. Acesso: 30 nov. 2020.

SALES, L.; SAYÃO, L. F. Uma proposta de taxonomia para dados de pesquisa. Conhecimento em Ação, Rio de Janeiro, v. 4, n. 1, jan./jun. 2019. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/rca/article/view/26337. Acesso em: 23 out. 2020.

SANTOS, E. A.; SILVA, C. E. Os modelos de plano de negócios e sua relevância para sustentabilidade das micro e pequenas empresas. Revista Brasileira de Administração Científica, Aquidabã, v.3, n.1, p.37‐62, 2012. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Carlos_Silva43/publication/233747518_Os_modelos_de_plano_de_negocios_e_sua_relevancia_para_sustentabilidade_das_micro_e_pequenas_empresas/links/5918bbd6aca27200fe52f207/Os-modelos-de-plano-de-negocios-e-sua-relevancia-para-sustentabilidade-das-micro-e-pequenas-empresas.pdf. Acesso em 30 nov. 2020.

SAYÃO, L. F. Uma outra face dos metadados: informações para a gestão da preservação digital. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Florianópolis, v. 15, n. 30, p. 1-31, 2010. Disponível em: http://www.brapci.ufpr.br/download.php?dd0=12621. Acesso em: 18 nov. 2020.

SAYÃO, L. F.; SALES, L. Guia de gestão de dados de pesquisa para bibliotecários e pesquisadores. Rio de Janeiro: CNEN/IEN, 2015. Disponível em: http://www.aben.com.br/Arquivos/420/420.pdf. Acesso em: 29 out. 2020.

SPARC Europe. Evaluate your RDM Offering. Disponível em: https://sparceurope.org/evaluate-your-rdm-offering/ Acesso: 30 nov. 2020.

STRASSER, C; COOK, R.; MICHENER, W.; BUDDEN, A. Primer on data management: what you always wanted to know. California: CDL, 2012. Disponível em: https://escholarship.org/uc/item/7tf5q7n3#page-1. Acesso em: 29 out. 2020.

TORINO, E.; ROA-MARTINEZ, S. M.; VIDOTTI, S. A. B. G. Dados de pesquisa: disponibilização ou publicação? In: SHINTAKU, Milton; SALES, Luana Farias; COSTA, Michelli (org.). Tópicos sobre dados abertos para editores científicos. Botucatu, SP: ABEC, 2020. p. 183-201. Disponível em: http://200.19.73.81:8080/jspui/handle/1/4725. Acesso em: 23 out. 2020.

WHYTE, A.; TEDDS, J. Making the case for research data management. DCC Briefing Papers. Edinburgh: Digital Curation Centre. Disponível em: https://www.dcc.ac.uk/guidance/briefing-papers/making-case-rdm. Acesso em: 15 nov. 2020.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2022-07-07

Como Citar

Torino, E., Brito, J. F. ., Trevisan, G. L. ., & Vidotti, S. A. B. G. (2022). Infraestrutura e serviços de gestão de dados de pesquisa: uma avaliação no âmbito da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Encontros Bibli: Revista eletrônica De Biblioteconomia E Ciência Da informação, 27(1), 1-28. https://doi.org/10.5007/1518-2924.2022.e85188

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)