O Capacitismo e suas formas de opressão nas ações do dia a dia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2023.e93040

Palavras-chave:

Capacitismo, Formas de capacitismo, Inclusão Social, Ciência da Informação, Diversidade

Resumo

Objetivo: O acesso à informação, ao conhecimento a respeito de determinado assunto é fundamental para a eliminação de preconceitos, comportamentos discriminatórios, entre outras questões. Neste sentido, o estudo tem como proposta  apresentar o capacitismo e suas formas de opressão instituídas na sociedade. 

Método: Teórico-reflexivo, fundamentado por uma revisão de literatura de natureza exploratória com abordagem qualitativa nos moldes de um ensaio.

Resultado: Por intermédio de um estudo teórico, de cunho ensaístico, ressaltamos que comportamentos capacitistas podem acontecer de forma subliminar por meio de demonstrações ditas piedosas ou de expressões preconceituosas revestidas de caráter filantrópico relacionadas às características físicas ou mentais de indivíduos considerados deficientes. O capacitismo também se revela de forma explícita por meio de expressões e olhares ofensivos e distanciamento corporal.

Conclusões: Conhecer, via acesso às informações, essas formas de desrespeito às diversidades humanas, constitui-se no primeiro passo rumo à desconstrução do capacitismo em uma sociedade que almeja ser inclusiva. De acordo com esse quadro,  evidenciamos o papel da Ciência da Informação na disseminação de conhecimentos acerca da temática, bem como no emprego determos de cunho ético, em seus produtos documentários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandra Regina Moitinho Lage, Londrina State University

- Mestre em Ciência da Informação, Universidade Estadual de Londrina, Departamento de Ciência da Informação, Londrina-PR, Brasil.

- Doutoranda em Ciência da Informação, Universidade Estadual de Londrina, Departamento de Ciência da Informação, Londrina-PR, Brasil.

https://orcid.org/0000-0003-4769-2975

Rosane Suely Alvares Lunardelli, Londrina State University

- Professora Associada do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina UEL), Departamento de Ciência da Informação, Londrina-PR, Brasil.

- Pós-Doutorado em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba - UFPB

- Doutora em Estudos da Linguagem, pela Universidade Estadual de Londrina - UEL

http://orcid.org/0000-0002-5405-072X

Tatiana Tissa Kawakami, Londrina State University

- Mestre em Ciência da Informação, Universidade Estadual de Londrina, Departamento de Ciência da Informação, Londrina-PR, Brasil.

- Doutoranda em Ciência da Informação, Universidade Estadual de Londrina, Departamento de Ciência da Informação, Londrina-PR, Brasil.

https://orcid.org/0000-0001-6303-2016

Referências

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. O que é Ciência da Informação. Belo Horizonte: KMA, 2018.

AUGUSTIN, Ingrid Renata Lopes. Concepções de membros do Conselho Municipal de Educação acerca da educação da pessoa com deficiência intelectual. 2012. 113f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Educação) - Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, 2012. Disponível em: https://repositorio.ucs.br/xmlui/handle/11338/644?show=full. Acesso em: 11 out. 2022.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília, DF: Presidência da República, 2015. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-018/2015/lei/l13146.htm. Acesso em: 01 out. 2022.

DICIONÁRIO Anti Capacitista. 2022. Disponível em: http://blog.nubank.com.br/tag/capacitismo/. Acesso em: 21 set. 2022.

FRANÇA, Tiago Henrique. Modelo Social da Deficiência: uma ferramenta sociológica para a emancipação social. Lutas Sociais, São Paulo, vol.17, n.31, p.59-73, jul./dez. 2013. DOI: https://doi.org/10.23925/ls.v17i31.25723.Disponível em: https://www4.pucsp.br/neils/revista/vol%2031/tiago-henrique-franca.pdf. Acesso em: 01 out. 2022.

FOUCAULT, Michel. Os Anormais. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

FOUCAULT, Michel. Segurança, território e população. São Paulo: Martins

Fontes, 2008.

FREIRE, Gustavo Henrique de Araújo. Ciência da Informação: temática, histórias e fundamentos. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 11, n. 1, p. 6-19, 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pci/a/rPpchWXW8kKL8tYQ36tJH4w/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 12 fev. 2023.

FROHLICH, Raquel; LOPES, Maura Corcini. Serviços de apoio à inclusão escolar e a constituição de normalidades diferenciais. Revista Educação Especial, Santa Maria, v.31, n.63, p.995-1008, out./dez. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1984686X33074. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/33074/pdf. Acesso em: 30 set. 2022.

GUGEL, Maria Aparecida. A pessoa com deficiência e a sua relação com a história da humanidade. AMPID (Associação Nacional dos Membros do Ministério Público de Defesa dos Direitos dos Idosos e Pessoas com Deficiência), 2008. Disponível em: http://www.ampid.org.br/ampid/Artigos/PD_Historia.php. Acesso em: 01 out. 2022.

MEDEIROS, João Bosco. Redação Científica: a prática de fichamentos, resumos, resenhas. 3.ed. São Paulo: Atlas, 1997.

MELLO, Anahi Guedes de. Gênero, Deficiência, Cuidado e Capacitismo: uma análise antropológica de experi6encias Narrativas e Observações Sobre Violência Contra Mulheres Com Deficiência. 2014. 260f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/156881?show=full. Acesso em: 01 out. 2022.

MELLO, Anahi Guedes de. Deficiência, incapacidade e vulnerabilidade: do capacitismo ou a preeminência capacitista e biomédica do Comitê de Ética em Pesquisa da UFSC. Ciência & Saúde Coletiva [online]. Rio de Janeiro,v.21, n.10, p.3265-3276, out. 2016. https://doi.org/10.1590/1413-812320152110.07792016. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/J959p5hgv5TYZgWbKvspRtF/?format=pdf Acesso em: 01 out. 2022.

MELLO, Letícia Souza; CABISTANI, Luiza Griesang. Capacitismo e lugar de fala: repensando barreiras atitudinais. Revista da Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, n.23, p.118–139, abr. 2019. Disponível em: https://revistadpers.emnuvens.com.br/defensoria/article/view/112/97. Acesso em: 01 out. 2022.

SAMPAIO, Thiago da Silva; FERREIRA, Vitor Siqueira. Modelos de deficiência/ Modelos de deficiência. Revista Brasileira de Desenvolvimento, Curitiba, v.5, n.11, p.25676-25683, nov. 2019. DOI: https://doi.org/10.34024/pensata.2020.v9.11100. Disponível em: https://brazilianjournals.com/ojs/index.php/BRJD/article/view/4719/4353. Acesso em: 02 out. 2022.

SANTOS, Larissa Xavier dos. Deficiência para um dicionário marxista: a política capacitista de uma palavra. Pensata: Revista dos Alunos do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da UNIFESP, São Paulo, v.9, n.2, fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.34024/pensata.2020.v9.11100

Disponível em: http://periodicos.unifesp.br/index.php/pensata/article/view/11100. Acesso em: 1 out. 2022.

SASSAKI, Romeu Kazumi. Como chamar as pessoas que têm deficiência. In.: SASSAKI, Romeu Kazumi. (Org.) Vida independente: História, movimento, liderança, conceito, filosofia e fundamentos. São Paulo: RNR, 2003. p.12-16.

SASSAKI, Romeu Kazumi. Capacitismo, incapacitismo e deficientismo na contramão da inclusão. Reação: Revista Nacional de Reabilitação, São Paulo, v.96, n.7, p10-12, jan./fev. 2014. Disponível em: https://revistareacao.com.br/wp-content/uploads/2018/05/ED96.pdf. Acesso em: 02 out. 2022.

SERON, Bruna Barboza; SOUTO, Elaine Cappellazzo; MALAGODI, Bruno Marson; GREGUOL, Márcia. O esporte para pessoas com deficiência e a luta anticapacitista – dos estereótipos sobre a deficiência à valorização da diversidade. Movimento: Revista de Educação Física da UFRGS, Porto Alegre, v. 27, p.e27048, p.1-16, jan./dez. 2021. DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.113969. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/113969. Acesso em: 2 out. 2022.

SILVA, Armando Malheiro da. A informação: da compreensão do fenómeno e construção do objecto científico. Porto: Afrontamento, 2006.

SKLIAR, Carlos. A invenção e a exclusão da alteridade “deficiente” a partir dos significados da normalidade. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 24, n.1, p.15-32, jul./dez.1999. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/55373/33644 . Acesso em: 02 out. 2022.

VENDRAMIN, Carla. Repensando mitos contemporâneos: o capacitismo. In: III Simpósio Internacional Repensando Mitos Contemporâneos. Anais...Sofia: Entre o saber e o não saber nos processos artísticos e culturais. Memória, experiência e invenção, UNICAMP, Campinas, p.16-25, ago. 2019. Disponível em: https://www.publionline.iar.unicamp.br/index.php/simpac/article/view/4389/4393. Acesso em: 01 out. 2022.

Publicado

2023-08-15

Como Citar

LAGE, Sandra Regina Moitinho; ALVARES LUNARDELLI, Rosane Suely; TISSA KAWAKAMI, Tatiana. O Capacitismo e suas formas de opressão nas ações do dia a dia. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 28, p. 1–20, 2023. DOI: 10.5007/1518-2924.2023.e93040. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/93040. Acesso em: 29 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.