Atividades experimentais e o ensino de Física para os anos iniciais do Ensino Fundamental: análise de um programa formativo para professores

Autores

  • Grazielle Rodrigues Pereira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, Campus Mesquita, RJ
  • Livia Mascarenhas de Paula Instituto Oswaldo Cruz, Espaço Ciência InterAtiva do Instituto Federal do Rio de Janeiro
  • Kely Cristina Marciano Soares Instituto Oswaldo Cruz, Espaço Ciência InterAtiva do Instituto Federal do Rio de Janeiro
  • Lilian Mascarenhas de Paula Espaço Ciência InterAtiva do Instituto Federal do Rio de Janeiro, Escola Municipal Rui Barbosa, Nova Iguaçu, RJ
  • Robson Coutinho-Silva Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Espaço Ciência Viva do Instituto Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2016v33n2p579

Resumo

Os avanços da Ciência e da Tecnologia são de grande importância para a modernização da sociedade e se faz necessário a introdução dos primeiros conceitos científicos desde os anos iniciais de escolarização, visando fomentar na criança o interesse por assuntos relacionados à Ciência. Nesse sentido, no presente trabalho investigamos a inserção do ensino de Física junto aos anos iniciais do ensino fundamental, bem como avaliamos os resultados da introdução de módulos de Física em um programa formativo para professores dos anos iniciais sobre suas práticas docentes. Nos módulos de Física foram empregadas diferentes metodologias que consistiram em realização de atividades experimentais, debates e grupos de discussão. Participaram deste estudo 41 docentes, que foram sujeitos às técnicas para avaliação; questionário, grupo focal, fotografias e observação participante. Depois da análise dos dados, constatamos a ausência de temas relativos à Física durante as aulas de Ciências, com o predomínio do ensino da Língua Portuguesa e Matemática em detrimento do ensino de Ciências. Após a participação dos docentes no programa formativo, verificamos mudanças profícuas na prática dos mesmos, que em massa passaram a introduzir o ensino de Ciências/Física nas suas aulas. Ademais, seus alunos foram motivados intrinsecamente, despertando assim o interesse dessas crianças por assuntos relativos ao ensino da Física. Por fim, este trabalho nos possibilitou desconstruir as concepções dos professores acerca da impossibilidade de se ensinar Física para a criança, bem como apontou para a necessidade de ampliação na oferta de programas formativos nas áreas de Ciências para os anos iniciais da formação básica.

Biografia do Autor

Grazielle Rodrigues Pereira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, Campus Mesquita, RJ

Doutora em Ciências Biológicas (Biofísica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2014), Mestre em Ensino de Biociências e Saúde (Instituto Oswaldo Cruz/FIOCRUZ), Licenciada em Física pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2004). Desde 2005, atua como docente no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

Livia Mascarenhas de Paula, Instituto Oswaldo Cruz, Espaço Ciência InterAtiva do Instituto Federal do Rio de Janeiro

Possui graduação em Tecnologia em Produção Cultural pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (2010) e mestrado em Ensino em Biociências e Saúde do IOC/FIOCRUZ (2013). Atualmente cursa o Doutorado em Ensino em Biociências e Saúde do IOC/FIOCRUZ. É colaboradora no Espaço CIência Viva.

Kely Cristina Marciano Soares, Instituto Oswaldo Cruz, Espaço Ciência InterAtiva do Instituto Federal do Rio de Janeiro

Graduada em Licenciatura em Física pelo Instituto Federal do Rio de Janeiro e atualmente cursa o mestrado em Ensino em Biociências e Saúde pelo Instituto Oswaldo Cruz - IOC/FIOCRUZ. É colaboradora do Espaço Ciência InterAtiva do IFRJ.

Lilian Mascarenhas de Paula, Espaço Ciência InterAtiva do Instituto Federal do Rio de Janeiro, Escola Municipal Rui Barbosa, Nova Iguaçu, RJ

Professora do Município de Nova Iguaçu - RJ. Atualmente cursa a graduação em Pedagogia e é colaboradora do Espaço Ciência InterAtiva do IFRJ.

Robson Coutinho-Silva, Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Espaço Ciência Viva do Instituto Federal do Rio de Janeiro

Possui graduação em Licenciatura em Física pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1984), doutorado em Ciências Biológicas (Biofísica) pelo Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho da Universidade Federal do Rio de Janeiro (1996) e Pós-Doutorado pelo Royal Free and University College Medical School, Londres (2000-2002). Professor Associado IV, lotado no Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho na Universidade Federal do Rio de Janeiro. É chefe do Laboratório de Imunofisiologia e Vice- Presidente do Clube Brasileiro de Purinas. Atualmente é presidente do Espaço Ciência Viva.

Downloads

Publicado

2016-09-08

Edição

Seção

Relatos e propostas de experiências didáticas