Análise da Lei de Biot-Savart em comparação com a força entre elementos de corrente de Ampère

Autores

  • Hugo Shigueo Tanaka dos Santos Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência e a Matemática, Universidade Estadual de Maringá
  • Daniel Gardelli Universidade Estadual de Maringá

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2017v34n3p864

Palavras-chave:

Força entre Elementos de Corrente de Ampère, Experimento de Ørsted, História da Ciência

Resumo

Atualmente, utilizamos a lei de Biot-Savart, e também a força de Grassmann, para estudar os efeitos do campo magnético e observamos que esta força aparentemente não satisfaz ao princípio da ação e reação. Em contrapartida, a força de Ampère sempre satisfaz a este princípio explicitamente e sempre na forma forte. O presente trabalho faz uma análise histórica do desenvolvimento destas duas equações de força, que foram desenvolvidas a partir de interpretações do experimento de Ørsted. Também faz uma análise comparativa entre as duas equações a fim de verificar se ambas fornecem o mesmo resultado e mostrar que a expressão de Grassmann, de fato, não satisfaz ao princípio da ação e reação. A força de Ampère, além de sempre obedecer ao princípio da ação e reação na forma forte, explica os fenômenos a partir da ação a distância, que é mais simples de ser observada e possui muitos outros resultados poderosos, não só no eletromagnetismo. Para realizar a comparação entre as duas abordagens, calculamos a força que um fio retilíneo infinito exerce em uma espira de material condutor, ambos com corrente.

Biografia do Autor

Hugo Shigueo Tanaka dos Santos, Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência e a Matemática, Universidade Estadual de Maringá

Licenciado em Física pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Atualmente, é mestrando no Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência e a Matemática na UEM. Atua nas áreas de Mecânica Relacional, eletrodinâmica de Weber, eletrodinâmica de Ampère e História, Epistemologia e Ética da Ciência.

Daniel Gardelli, Universidade Estadual de Maringá

Possui graduação no curso de Licenciatura em Física pela Universidade Estadual de Campinas (1998), mestrado em Ensino de Ciências (Modalidade Física) pela Universidade de São Paulo (2004) e doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência e a Matemática da Universidade Estadual de Maringá (2014). Tem experiência na área de História da Física e Ensino de Física em Nível Médio e Superior, atuando principalmente nos seguintes temas: História da Ciência, Filosofia da Ciência e Epistemologia da Ciência.

Downloads

Publicado

2017-12-08

Edição

Seção

História e Filosofia da Ciência