Abordagem histórico-didática para o ensino da Teoria Eletrofraca utilizando simulações computacionais de experimentos históricos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2020v37n1p242

Palavras-chave:

Abordagem Didática, Ensino de Física, Teoria Eletrofraca, Simulação Computacional de Experimentos Históricos

Resumo

Este artigo apresenta uma proposta didática para o Ensino Superior, voltada para a discussão de temas de Física Moderna Contemporânea, que inclui a abordagem da Teoria Eletrofraca por meio de uma composição histórica dessa teoria e simulações computacionais dos experimentos históricos que contribuíram no processo de unificação das interações eletromagnéticas e fracas. Esta proposta foi elaborada com base teórica e metodológica nos princípios de abordagens histórico-didáticas, da teoria de Aprendizagem Significativa, Didática das Ciências e Unidades Didáticas. A análise de questionários e de diagramas de Gowin, utilizados para avaliar a efetividade de ensino da proposta didática, evidencia indícios positivos na aprendizagem dos alunos em relação aos conteúdos científicos e em relação à Natureza da Ciência. 

Biografia do Autor

Márcia da Costa, Universidade Estadual do Centro Oeste

Doutora e Mestra em Ensino de Ciências e Educação Matemática pela Universidade Estadual de Londrina, UEL. Graduada em Física Licenciatura pela Universidade Estadual do Centro-Oeste. Atualmente é professora colaboradora na Universidade Estadual do Centro-Oeste, atuando nos seguintes tópicos: História e Filosofia da Ciência, Inserção de Física Moderna no Ensino Médio, Física de Partículas, Questões de Gênero na Comunidade Científica e Softwares para o Ensino de Física.

Irinéa de Lourdes, Universidade Estadual de Londrina

Graduada em Física, modalidade Licenciatura, pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1987), mestra em Ensino de Ciências (Modalidade Física e Química) pela Universidade de São Paulo (1992), doutora em Filosofia pela Universidade de São Paulo e Université Paris VII (1999), com pós-doutorado em Ciência, Tecnologia e Sociedade no Massachusetts Institute of Technologie (MIT), no período de 2009/2010. Atualmente é Professora Associada no Departamento de Física da Universidade Estadual de Londrina.

Referências

ADÚRIZ-BRAVO, A.; IZQUIERDO, Y. M. Acerca de la didáctica de las ciencias como disciplina autónoma. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, Vigo, v. 1, n. 3, p. 130-140, 2002.

AUSUBEL, D. P. Aquisição e retenção de conhecimentos: Uma perspectiva cognitiva. Tradução: TEODORO, V. D. Lisboa: Editora Plátano, 2003. 243 p.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Trad. RETO, L. A.; PINHEIRO, A. São Paulo: Edições 70, 2011.

BATISTA, I. L. Uma adoção da História e Filosofia da Ciência no desenvolvimento dos saberes docentes interdisciplinares. In: BATISTA, I. L. (Org). Conhecimentos e saberes na educação em ciências e matemática. Londrina: Editora Eduel, 2016. p. 157-167.

BATISTA, I. O ensino de teorias físicas mediante uma estrutura histórico-filosófica. Ciência & Educação, v. 10, n. 3, p. 461-476, 2004.

CACHAPUZ, A. F. PRAIA, J.; JORGE, M. Da Educação em Ciência às orientações para o ensino de Ciências: um repensar epistemológico. Ciência & Educação, Bauru, v. 10, n. 3, p. 363-381, dez, 2004.

CACHAPUZ, A.; PRAIA, J.; PÉREZ, G. D.; CARRASCOSA, J.; MARTÍNEZ-TERRADES, F. A emergência da didáctica das ciências como campo específico de conhecimento. Revista Portuguesa de Educação, Minho, v. 14, n. 1, p. 155-195, 2001.

CHANG, H. How historical experiments can improve scientific knowledge and science education: the cases of boiling water and electrochemistry. Science & Education, v. 20, p. 317-341, 2011.

COSTA, M. experimentos históricos em ambiente virtual: uma abordagem histórico-didática a respeito da teoria eletrofraca para o estudo de física de partículas no ensino superior. 2019. 423 f. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) - Universidade Estadual de Londrina, Londrina.

GOWIN, D. B.; ALVAREZ, M. A. The art of educanting with V diagrams. Cambridge Universit Press, 2005. 231 p.

HEERING, P. Analysing unsuccessful experiments and instruments with the replication method. Éndoxa, Madrid, n. 19, p. 315-40, 2005.

LEDERMAN, N. G., ABD-EL-KHALICK, F. Avoiding de-Natured Science: Activities That Promote Understandings of the Nature of Science. In: MCCOMAS, W. F (Ed). The nature of science in science education: Rationales and strategies. Dordrecht, The Netherlands: Kluwer Academic Publishers, 1998, p. 83-126.

METZ, D.; STINNER, A. A role for historical experiments: capturing the spirit of the itinerant lecturers of the 18th century. Science & Education, v. 16, n. 6, p. 613-624, 2007.

MOREIRA, M. A. Mapas conceituais e diagramas V. Porto Alegre, 2006.

NETO, J. S.; CAVALCANTI, C. J. H.; OSTERMANN, F. Estratégias discursivas adotadas por professores em formação na compreensão do fenômeno da complementaridade em atividades didáticas mediadas pelo interferômetro virtual de Mach-Zehnder. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, São Paulo, v. 15, n. 2, p. 293-320, mai/ago. 2015.

PEREIRA. P. A.; OSTERMANN, F. Sobre o ensino de física moderna e contemporânea: uma revisão da produção acadêmica recente. Investigação em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 14, n. 3, p. 393-420, dez. 2009.

VALADARES, J. Organizadores gráficos facilitadores da Aprendizagem Significativa: Diagramas em Vê e Mapas conceituais. Coleção Educação e Desenvolvimento. Lisboa: UIED, 2014.

ZABALA, A. A Prática educativa: como ensinar. Tradução: Ernani F. da F. Rosa. Porto Alegre: Artmed, 1998. 224 p.

Downloads

Publicado

2020-04-06

Edição

Seção

Relatos e propostas de experiências didáticas