A produção de artigos de ensino de Física no estado do Acre: motivações e avanços

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2021.e74584

Palavras-chave:

Revisão Sistemática, Acre, Ensino de Física, Produção Científica

Resumo

Este trabalho apresenta uma revisão sistemática, no período de 2005 a 2019, da produção de artigos de Ensino de Física no Acre. A revisão sistemática permite uma revisão de literatura com rigor científico. A produção científica dessa área no estado iniciou no ano de 2015 e, desde então, os temas mais pesquisados em Ensino de Física no Acre são: atividades lúdicas (30%), formação docente (25%), Tecnologias da Informação e Comunicação – TICs – (25%), atividades experimentais (15%) e avaliação (5%). Dos 20 trabalhos selecionados, 60% foram produzidos por licenciandos e 40% por discentes dos mestrados profissionais existentes na UFAC, o Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física (MNPEF Polo-59) e o Mestrado Profissional em Ensino de Ciências e Matemática (MPECIM). Notou-se que o PIBID, residência pedagógica e os mestrados profissionais contribuem para a mudança de atitude dos docentes e licenciados. Além disso, ficou evidente a contribuição da Universidade Pública para a produção científica.

Biografia do Autor

Eloi Benicio de Melo Junior, Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas

Doutorando em Física pelo Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas - CBPF. Mestrado em Física pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC-Rio (2020). Graduado em Licenciatura em Física pela Universidade Federal do Acre - UFAC (2018). Tem experiência em Instrumentação Científica e Ensino de Física.

Área de interesse: Pesquisa em Ensino de Física com ênfase em formação docente, atividades experimentais, TICs e simulação. 

Marcelo Castanheira da Silva, Universidade Federal do Acre

Centro de Ciências Biológicas e da Natureza - UFAC

Atividade Profissional: Professor da Universidade Federal do Acre (UFAC) desde 2006 na área de Física. Atividades de Pesquisa: Ensino de Física e Ensino de Ciências e Matemática. Atuação em Programas de Pós-Graduação: Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física (MNPEF - polo 59), Mestrado Profissional em Ensino de Ciências e Matemática (MPECIM) e Programa de Doutorado em Educação em Ciências e Matemática (PPGECEM) da Rede Amazônica de Educação em Ciências (REAMEC). Vice-coordenador do curso de Licenciatura em Física.

Referências

ALBUQUERQUE, E. M et al. Produção científica e tecnológica das regiões metropolitanas brasileiras. Revista de Economia Contemporânea, v. 9, n. 3, p. 615-642, set./dez, 2005.

ALBUQUERQUE, E. M et al. A Distribuição Espacial da Produção Científica e Tecnológica Brasileira: uma Descrição de Estatísticas de Produção Local de Patentes e Artigos Científicos. Revista Brasileira de Inovação, v. 1, n. 2, p. 225-251, jul./dez. 2009.

AMORIM, A. M. A. et al. Jogo de mímica para o ensino de propagação do calor: condução, convecção e irradiação. Revista Prática Docente, v. 3, n. 1, p. 158-170, jan./jun. 2018.

ARAÚJO, E. S.; SANTOS, B. M. Jogo das grandezas: um recurso para o ensino de física. Revista do Professor de Física, v. 2, n. 2, p. 73-83, 2018.

BARROS, T. R.; DIAS, W. S. Práticas experimentais de Física a distância: Desenvolvimento de uma aplicação com Arduino para a realização do Experimento de Millikan remotamente. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 41, n. 4, p. e20190049.1- e20190049.8, 2019.

BENNETT, J. et al. Mixed methods, mixed outcomes? Combining a RCT and case studies to research the impact of a training programme for primary school Science teachers. International Journal of Science Education, v. 41, n. 4, p. 490-509, 2019.

BORGES, A. T. Novos rumos para o laboratório escolar de ciências. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 19, n. 3, p. 291-313, jan. 2002.

BOZZO, G. et al. Imaging and studying standing waves with a homemade Melde-type apparatus and information and communication technology (ICT). The Physics Teacher, v. 57, n. 9, p. 612-615, 2019.

BRASIL. Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Portaria nº. 1.122, de 19/03/2020. Define as prioridades, no âmbito do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), no que se refere a projetos de pesquisa, de desenvolvimento de tecnologias e inovações, para o período 2020 a 2023. Brasília: 2020a. Disponível em: http://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-1.122-de-19-de-marco-de-2020-249437397. Acesso em: 05 mai. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº. 34, de 09/03/2020. Dispõe sobre as condições para fomento a cursos de pós-graduação stricto sensu pela Diretoria de Programas e Bolsas no País da CAPES. Brasília: 2020b. Disponível em: http://www.in.gov.br/web/dou/-/portaria-n-34-de-9-de-marco-de-2020-248560278. Acesso em: 05 mai. 2020.

CALADO, H. C.; ROSA, M. I. P. Formação de professores de Física e interdisciplinaridade: episódios de refração de políticas em narrativas de reforma curricular. Ciência & Educação, v. 25, n. 2, p. 523-538, 2019.

CAPES. Critérios de Classificação Qualis – Ensino. 2016. Disponível em: https://www.gov.br/capes/pt-br/centrais-de-conteudo/documentos/avaliacao/arquivo_qualis.pdf. Acesso em: 24 mai. 2020.

CAPES. Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID. CAPES, 2018a. Disponível em: http://www.capes.gov.br/educacao-basica/capespibid. Acesso em: 05 mai. 2020.

CAPES. Programa de Residência Pedagógica. CAPES, 2018b. Disponível em: http://www.capes.gov.br/educacao-basica/programa-residencia-pedagogica. Acesso em: 05 mai. 2020.

CARDOSO, L. R.; PARAÍSO, M. A. Álbum fotográfico: um mapa de cenários discursivos na produção acadêmica brasileira sobre aulas experimentais de ciências. Ciência & Educação, v. 20, n. 1, p. 83-115, 2014.

CHEN, M. et al. How to promote Chinese primary and secondary school teachers to use ICT to develop high quality teaching activities. Educational Technology Research and Development, v. 67, n. 6, p. 1593-1611, 2019.

COSTA, S. S.; SANTOS, B. M. Tópicos de física estudados no Ensino Médio por ingressantes no curso de licenciatura em física. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological, v. 4, n. 2, p. 202-210, 2017.

der GRAAF, J. et al. A combined approach to strengthen children’s scientific thinking: direct instruction on scientific reasoning and training of teacher’s verbal support. International Journal of Science Education, v. 41, n. 9, p. 1119-1138, 2019.

DESSBESEL, R. S.; SILVA, S. C. R; SHIMAZAKI, E. M. O processo de ensino e aprendizagem de Matemática para alunos surdos: uma revisão sistemática. Ciência & Educação, v. 24, n. 2, p. 481-500, 2018.

DUARTE, A. F.; NEMER, K. L. V. B. Aprendizagem móvel da Física: uma experiência didática sobre eletromagnetismo no Ensino Médio da rede pública no Estado do Acre. Revista do Professor de Física, v. 3, n. 2, p. 34-49, 2019.

ENPEC. XI ENPEC Florianópolis – SC. Florianópolis: 2017. Disponível em: http://www.abrapecnet.org.br/enpec/xi-enpec/. Acesso em: 21 mai. 2020.

ESTEVES, W. A.; SILVA, M. C. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological, 2019.

FERNANDES, G. W. R.; RODRIGUES, A. M.; FERREIRA, C. A. Módulos temáticos virtuais: uma proposta pedagógica para o ensino de ciências e o uso das TICs. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 32, n. 3, p. 934-962, 2015.

GALVÃO, C. M.; SAWADA, N. O.; TREVIZAN, M. A. Revisão sistemática: recurso que proporciona a incorporação das evidências na prática da enfermagem. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 12, n. 13, p. 549-556, mai/jun 2004.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GOMES, B. G.; CARMO, G. L.; SANTOS, B. M. Música como recurso didático para o ensino de impulso e quantidade de movimento. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological, v. 5, n. 2, p. 215-224, 2018.

GONÇALVES, M. H.; ARAUJO, L. E. E.; RODRIGUES, V. Lentes de gelatina. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 42, n. 11, p. e20190095.2 – e20190095.6, 2020.

HADAD, I. H.; CASTANHEIRA, M. Bobina de Tesla de estado sólido aplicada no ensino de Física. 1. ed. Riga: Novas Edições Acadêmicas, 2019.

HADAD, I. H.; MELO JUNIOR, E. B. M; SILVA, M. C. Simulação computacional no ensino de capacitância para cursos de graduação. Caderno de Física da UEFS, v. 16, n. 1, p. 1202.1-16, 2018.

HECK, M. F. Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (SAEB): compreendendo a realidade educacional. Revista Eletrônica Científica Ensino Interdisciplinar, v. 4, n. 11, p. 410-422, 2018.

LEE, H.; LONGHURST, M.; CAMPBELL. T. Teacher learning in technology professional development and its impact on student achievement in Science. International Journal of Science Education, v. 39, n. 10, p. 1282-1303, 2017.

LIBÂNEO, J. C. Didática. 1. ed. Cortez, 1994.

MELO JUNIOR, E. B. M; SILVA, M. C. Ensino dos processos de eletrização no 3º ano do Ensino Médio usando as teorias cognitivistas de Vygotsky e de Ausubel aliadas a atividades experimentais. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological, v. 4, n. 2, p. 167-201, 2017.

MELO JUNIOR, E. B. M.; SOUZA, C. A. L; SILVA, M. C. A olimpíada brasileira de física das escolas públicas no Acre: resultados e influência da vulnerabilidade socioeconômica. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, v. 7, n. 3, p. 152-175, 2019.

MOREIRA, B. W. S. et al. O Jogo da Velha sobre Mecânica: Relato de Experiência. Destaques Acadêmicos, v. 11, n. 4, p. 18-35, 2019.

MOURA, G. T. M.; MELO JUNIOR, E. B. M.; SILVA, M. C. Modelos mentais de conceitos de movimento por estudantes do primeiro ano do Ensino Médio. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological, v. 6, n. 2, p. 123-148, 2019.

OLIVEIRA, A. G. et al. Uso de experimentos de física em turmas de educação de jovens e adultos. Caderno de Física da UEFS, v. 13, n. 2, p. 2202.1-13, 2015.

OLIVEIRA, I. et al. Estudo das propriedades do Diodo Emissor de Luz (LED) para a determinação da constante de Planck numa maquete automatizada com o auxílio da plataforma Arduíno. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 42, n. 09, p. e20190105.1- e20190105.9, 2020.

PEDERSEN, H. et al. An experimental system for studying the plane pendulum in physics laboratory teaching. European Journal of Physics, v. 41, n. 1, p. 1-23, 2020.

PEREIRA, R. F.; FUSINATO, P. A.; NEVES, M. C. D. Desenvolvendo um jogo de tabuleiro para o ensino de física. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, VII, 2009. Anais...

PEREIRA, T. Z. M.; SILVEIRA, C. A produção acadêmica da região norte: uma análise na ata do xi encontro nacional de pesquisa em educação em ciências. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, v. 7, n. 2, p. 2445-260, jul./dez 2019.

PERRENOUD, P. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens - entre duas lógicas. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

PhET, Interactive Simulations. Simulações Interativas de Ciências e Matemática. 2020. Disponível em: https://phet.colorado.edu/pt_BR/. Acesso em: 24 mai. 2020.

PHYPHOX, Physical Phone Experiments. Your smartphone is a mobile lab. Disponível em: https://phyphox.org/. Acesso em: 24 mai. 2020.

RAMOS, L. et al. An experiment to observe Stevin’s law with an Arduino. Physics Education, v. 55, p. 1-4, 2020.

REGO, W. R. S.; SILVA, M. C.; PERALTA, M. J. A. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological, v. 5, n. 2, p. 167-183, 2018.

REIS, J. S. et al. Ensino de Termologia com aplicação do jogo “Caminhos Termométricos”. Física na Escola, v. 16, n. 2, p. 57-61, 2018.

REZENDE, F.; OSTERMANN, F. Olimpíadas de ciências: uma prática em questão. Ciência & Educação, v. 18, n. 1, p. 245-256, 2012.

RIKALA, J. Designing a Mobile Learning Framework for a Formal Educational Context. 2015. 241 f. Dissertação (Mestrado) - University of Jyväskylä, Faculty of Information Technology, Jyväskylä.

ROCHA, Y. G. M.; SANTOS, B. M.; PINHEIRO, A. R. C. Percepções dos Alunos de Física da Ufac sobre o curso. Debates em Educação, v. 11, n. 25, p. 107-122, set./dez, 2019.

SAMPAIO, R. F.; MANCINI, M. C. Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Brazilian Journal of Physical Therapy, v. 11, n. 1, p. 83-89, jan./fev 2007.

SANTOS, B. M.; PINHEIRO, A. R. C.; ROCHA, Y. G. M. Contribuições E Limitações Sobre A Realização Do I Congresso De Física Do Acre. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological, v. 6, n. 2, p. 40-54, 2019.

SANTOS, B. M.; GOMES, M. R. S.; SOUZA, G. L. C. Relato de experiência: o uso de experimentos e mnemônicos no ensino de circuitos elétricos para alunos da zona rural. Educação Básica Revista, v. 4, n. 2, p. 311-320, 2018.

SANTOS, B. M. et al. Formação Inicial de Professores de Física na UFAC: As Contribuições e Limitações do PIBID. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological, v. 5, n. 2, p. 201-214, 2018.

SANTOS, G. et al. Sequência de ensino investigativa para o ensino da lei de Hooke e movimento harmônico simples: uso do aplicativo Phyphox, o simulador Phet e GIF’s. Revista de Enseñanza de la Física, v. 31, n. 2, p. 97-108, 2019.

SCHUHMACHER, V. R. N.; FILHO, J. P. A.; SCHUHMACHER, E. As barreiras da prática docente no uso das tecnologias de informação e comunicação. Ciência & Educação, v. 23, n. 3, p. 563-576, 2017.

SIDONE, O. J. G; HADDAD, E. D.; MENA-CHALCO, J. P. A ciência nas regiões brasileiras: evolução da produção e das redes de colaboração científica. TransInformação, v. 28, n. 1, p. 15-31, jan./abr, 2016.

SILVA, J. B; SALES, G L; CASTRO, J B. Gamificação como estratégia de aprendizagem ativa no ensino de Física. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 41, n. 4, p. e20180309, 2019.

SILVEIRA, D. T.; CÓRDOVA, F. P. Pesquisa Científica. In: GERHART, T. E.; SILVEIRA, D. T. Métodos de pesquisa. 1. ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009. p. 31-43.

SOARES, A. A.; REIS, T. O. Studying Faraday’s law of induction with a smartphone and personal computer. Physics Education, v. 54, p. 1-7, 2019.

SOUZA, G. A. P.; SANTOS, B. M.; GHIDINI, A. C. Experiências da extensão universitária na formação de professores de ciências. Scientia Naturalis, v. 1, n. 5, p. 130-139, 2019.

TRAN, T.-B. et al. Learning to teach inquiry with ICT. Physics Education, v. 53, n. 1, p. 015003, 2017.

UFAC. I Congresso de Física no Acre – Pesquisas Físicas na Amazônia Ocidental. 2018. Disponível em: http://www.ufac.br/site/eventos/i-congresso-de-fisica-do-acre. Acesso em: 24 mai. 2020.

UnBNOTÍCIAS. I Encontro Regional do Centro-Oeste/Norte MNPEF. Brasília: 2019. Disponível em: https://www.noticias.unb.br/component/agenda/agenda/2565. Acesso em: 22 mai. 2020.

UNIR. VIII Encontro de Física de Rondônia. Rondônia: 2019. Disponível em: http://www.fisicajp2.unir.br/evento/exibir/729. Acesso em: 25 mai. 2020.

USP. 15 universidades públicas produzem 60% da ciência brasileira. Jornal da USP, 2019. Disponível em: https://jornal.usp.br/universidade/politicas-cientificas/15-universidades-publicas-produzem-60-da-ciencia-brasileira/. Acesso em: 05 mai. 2020.

WERLE, F. O. C. (Org.). Avaliação em larga escala: foco na escola. São Leopoldo: Oikos; Brasília: Liber Livro, 2010.

WU, B; HU, Y.; WANG, M. Scaffolding design thinking in online STEM preservice teacher training. British Journal of Educational Technology, v. 50, n. 5, p. 2271-2287, 2019.

Downloads

Publicado

2021-09-20

Edição

Seção

Ensino e aprendizagem de Ciências/Física