Por um entendimento retórico-funcional da categoria modalidade em função argumentativa

Léia Cruz Menezes

Resumo


O objetivo deste artigo é propor diálogo entre os postulados de duas perspectivas teórico-metodológicas: a Nova Retórica, com ênfase nos estudos empreendidos por Perelman e Olbrechts-Tyteca ([1958], 1996) e a Linguística de base funcional, com ênfase nos estudos empreendidos por Hengeveld e Mackenzie (2008), na compreensão da categoria modalidade em função argumentativa. Defendemos que esse diálogo viabiliza o entendimento dos modos de atuação das expressões linguísticas modalizadoras na construção do discurso argumentativo, o qual, em termos retóricos, caracteriza-se como construto linguístico que tem, como ponto de partida, o acordo do auditório sobre premissas nas quais aquele que argumenta alicerça seu discurso e conduz a conclusões autorizadas por justificativas – técnicas argumentativas.


Palavras-chave


modalidades; Nova Retórica; linguística funcionalista.

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-8412.2012v9n1p47

Direitos autorais

Creative Commons License

Esta publicação está regida por uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Fórum Linguístico, ISSNe 1984-8412, Florianópolis (Santa Catarina), Brasil