Concepções de análise linguística na formação inicial de professor de Língua Portuguesa

Nivea Rohling, Maria de Lourdes Rossi Remenche

Resumo


Este artigo tematiza as concepções de prática de análise linguística, materializadas em atividades elaboradas por licenciandos de um curso de Letras Português-Inglês em uma universidade pública no sul do Brasil. Os enunciados analisados constituem-se de 08 (oito) conjuntos de atividades de análise linguística, elaborados por ocasião de escrita de projeto de Estágio Supervisionado de Língua Portuguesa. A fundamentação teórico-metodológica embasou-se nos estudos teóricos que iniciaram a reflexão sobre análise linguística e ensino no Brasil na década de 1980 (GERALDI, 1984; 1997; FRANCHI, 1991), bem como se orientou pelas recentes pesquisas na área (MENDONÇA, 2006; REINALDO; BEZERRA, 2013). A análise evidenciou uma concepção de análise linguística que preconiza a linguagem em uso e uma perspectiva mais reflexiva da língua. No entanto, o discurso da tradição em ensino de língua portuguesa mostrou-se saliente em algumas atividades elaboradas pelos licenciandos. Dessa forma, o estudo aponta não só um movimento de prospecção, mas também de retroação, visto que é possível constatar um processo de assimilação das novas demandas de ensino da língua na escola, e, ao mesmo tempo, se faz presente a reprodução de modelos e práticas gramaticais tradicionais.


Palavras-chave


Formação inicial de professor; Análise linguística; Concepções de ensino-aprendizagem de língua materna

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-8412.2015v12n3p827

Direitos autorais 2015 Fórum Linguístico

Creative Commons License

Esta publicação está regida por uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Fórum Linguístico, ISSNe 1984-8412, Florianópolis (Santa Catarina), Brasil