Políticas de tradução: um tema de políticas linguísticas?

Silvana Aguiar dos Santos, Camila Francisco

Resumo


Neste ensaio, parte-se do pressuposto de que a falta de articulação entre políticas de tradução e políticas linguísticas torna invisíveis algumas iniciativas realizadas em nosso país. A proposta deste ensaio é apresentar e dialogar de forma sucinta com diferentes elementos que atravessam os processos tradutórios e interpretativos e que constituem temas de interesse das políticas de tradução. Para essa reflexão, recuperam-se as contribuições de Baker (2006a, 2006b), Tymoczko (2007) e Panda (2013), as quais apresentam reflexões sobre a tradução e a interpretação, o papel que elas desempenham e as políticas adotadas por diversos governos. A partir deste debate, sugerimos um diálogo articulado entre políticas de tradução e políticas linguísticas. Consideramos que esta conexão pode ser um caminho para compreender que toda ação em torno da língua, seja ela econômica, social, cultural ou linguística, gera efeitos de cunho tradutório.


Palavras-chave


Políticas de Tradução; Políticas Linguísticas; Tradução-Interpretação

Texto completo:

PDF/A PDF/A (English)


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-8412.2018v15n1p2939

Direitos autorais 2018 Fórum Linguístico

Creative Commons License

Esta publicação está regida por uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Fórum Linguístico, ISSNe 1984-8412, Florianópolis (Santa Catarina), Brasil