A leitura como encontro da outra palavra e da palavra outra: Proposições teórico-metodológicas para o trabalho docente em língua portuguesa

Josa Coelho Irigoite, Marielly Agatha Machado

Resumo


Este artigo tem como tema formação de leitores na educação básica e se organiza com o objetivo de promover proposições teórico-epistemológicas que sirvam de ancoragem para práticas metodológicas desenvolvidas por professores de Língua Portuguesa. Partindo da concepção de encontro (PONZIO, 2010), propõe-se trabalhar a leitura nas duas dimensões que a integram: intrassubjetiva e intersubjetiva. A ancoragem teórica é histórico-cultural, partindo da psicologia da linguagem de Lev Vigotski e da filosofia da linguagem de Bakhtin. Trata-se de um estudo qualitativo de enfoque documental, cuja geração de dados incluiu análise de excertos de pesquisas do Grupo de Pesquisa Cultura Escrita e Escolarização, vinculado à Universidade Federal de Santa Catarina, e documentos parametrizadores da educação. Os resultados compõem a proposição de um encaminhamento teórico-epistemológico materializado em um diagrama de Integração Didática, a partir do qual é possível desenvolver um trabalho com leitura que dê conta dos níveis social e linguístico do texto-enunciado.


Palavras-chave


Leitura; Encontro; Dimensão Intersubjetiva; Dimensão Intrassubjetiva

Texto completo:

PDF/A

Referências


IRIGOITE, J. C d S. Vivências escolares em aulas de Português que não acontecem: a (não) formação do aluno leitor e produtor de

texto. 2011. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2011.

IRIGOITE, J. C. d S. Aula de Português como encontro entre a outra palavra e a palavra outra: um estudo sobre a ecologia da

apropriação da escrita na esfera escolar. 2015. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2015.

BAKHTIN, M. M. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 5. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010 [1979].

BAKHTIN, M. M. O Freudismo: um esboço crítico. Trad. Paulo Bezerra. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 2012 [1927].

BAKHTIN, M. M. Os gêneros do discurso. In: BAKHTIN, Mikhail M. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 5. ed. São

Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010 [1952/53], p. 261-306.

BAKHTIN, M. M. Para uma filosofia do ato responsável. Trad. Valdemir Miotello e Carlos Alberto Faraco. São Carlos: Pedro e João

Editores, 2010 [1920/24].

BRASIL, MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. A área de Linguagens. In: BRASIL, MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Base nacional

comum curricular:educação é a base. 2016, p. 59-114.

BRITTO, L. P. L.e. A sombra do caos: ensino de língua x tradição gramatical. Campinas, SP: ALB: Mercado de Letras, 1997. – (Coleção Leituras no Brasil).

BRITTO, L. P. L. Inquietudes e desacordos: a leitura além do óbvio. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2012.

BUNZEN, C.. A fabricação da disciplina escolar Português. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 11, n. 34, p. 885-911, set./dez.

CERUTTI-RIZZATTI, M. E.. Ensino de língua portuguesa e inquietações teórico-metodológicas: os gêneros discursivos na aula de Português e a aula de Português como gênero discursivo. Alfa: Revista de Linguística, v. 56, p. 249, 2012.

CERUTTI-RIZZATTI, M. E.; CHRAIM, A. M.. Entrelugares e lugares na docência em Língua Portuguesa. Letra Magna, ano 13, n. 21, p. 56-78, 2017.

CERUTTI-RIZZATTI, M. E.; DAGA, A.C.; DIAS, S.C. Intersubjetividade e intrassubjetividade no ato de ler: a formação de leitores na educação básica. Calidoscópio, v. 12, n. 2, p. 226-238, mai./ago. 2014.

CERUTTI-RIZZATTI, M. E.; MOSSMANN, S. S; IRIGOITE, J.C. S.a. Estudos em cultura escrita e escolarização: uma proposição de simpósio entre ideários teóricos de base histórico-cultural na busca de caminhos metodológicos para pesquisas em Linguística Aplicada. In: Fórum Linguístico, v. 10, n. 1, p. 48-58, 2013.

CERUTTI-RIZZATTI, M. E.; MOSSMANN, S. d S.; IRIGOITE, J. C. S.. Olhares para encontros mediados pela escrita: uma proposta de reconfigurações conceituais e metodológicas. In: KLEIMAN, A.B.; ASSIS, J.A. (org..). Significados e ressignificações do letramento: desdobramentos de uma perspectiva sociocultural sobre a escrita. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2016, p. 143-166. – (Coleção Letramento, Educação e Sociedade).

CERUTTI-RIZZATTI, M. E.; PEREIRA, H.M.. Por uma dimensão também conceitual da educação em linguagem: uma abordagem

vigotskiana. Fórum Linguístico, Florianópolis, v. 13, n. 4, p. 1587-1598, out./dez.2016.

DUARTE, N.. Vigotski e o “aprender a aprender”: crítica às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. 5. ed.

Campinas, SP: Autores Associados, 2011 [2000].

FARACO, C. A.. O estatuto da análise e interpretação dos textos do círculo de Bakhtin. In: GUIMARÃES, A. M. de M.; MACHADO, A. R.; COUTINHO, A. (org.). O interacionismo sociodiscursivo: questões epistemológicas e metodológicas. Campinas/SP: Mercado de Letras, 2007.

FLORIANÓPOLIS. Proposta Curricular da Rede Municipal de Educação de Florianópolis: Área de Linguagens. 2016.

GERALDI, J. W.. A aula como acontecimento. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010.

GERALDI, J. W. (org.). O texto na sala de aula. 4. ed. São Paulo: Ática. 2006 [1984].

GERALDI, J. W.. Portos de passagem. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003 [1991].

HELLER, A.. O cotidiano e a história. Trad. Carlos Nelson Coutinho e Leandro Konder. 10. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2014 [1970].

LAJOLO, M.P.. O texto não é pretexto. In: ZILBERMAN, Regina (org.). Leitura em crise na escola: as alternativas do professor. 11.ed. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1993 [1982], p. 51-62.

LAJOLO, M. P.. O texto não é pretexto. Será que não é mesmo? In: ZILBERMAN, R.; ROSING, T. (org.). Escola e leitura: velha crise,

novas alternativas. São Paulo: Global, 2009, p. 99-112.

MARCUSCHI, L. A.. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONÍSIO, Â. P.; MACHADO, A. R.; BEZERRA, M. A.

(org..). Gêneros textuais e ensino. Rio de Janeiro: Editora Lucerna, 2002, p. 19-36.

MATENCIO, M. L. M.. Estudo da língua falada e aula de língua materna: uma abordagem processual da interação professor/alunos.

Campinas, SP: Mercado das Letras, 2001. – (Coleção Letramento, Educação e Sociedade).

PONZIO, A. Procurando uma palavra outra. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010.

RODRIGUES, R. H.. Os gêneros do discurso na perspectiva dialógica da linguagem: a abordagem do Círculo de Bakhtin. In: MEURER, José Luiz; BONINI, Adair; MOTTA-ROTH, Désirée (org.). Gêneros: teorias, métodos, debates. São Paulo: Parábola, 2005, p. 152-183.

SANTA CATARINA. Secretaria de Estado da Educação, Ciência e Tecnologia. Proposta Curricular de Santa Catarina. Florianópolis: SED, 2014.

SAVIANI, D.. Escola e democracia. 42. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2012 [1983]. – (Coleção polêmicas do nosso tempo; 5).

VIGOTSKI, L. S.. A construção do pensamento e da linguagem. Trad. Paulo Bezerra. 2. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2009 [1934].

VOLÓSHINOV, V. N.. El Marxismo y la filosofía del linguaje. Trad. Tatiana Bubnova. Buenos Aires: Ediciones Godot, 2009 [1929].

VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas III: problemas del desarrollo de la psique. Trad. Lydia Kuper. Madrid: Visor, 2000 [1931].

WEEDWOOD, B.. História concisa da lingüística. Trad. Marcos Bagno. 5. ed. São Paulo: Parábola, 2002.




DOI: https://doi.org/10.5007/1984-8412.2019v16n4p4198

Direitos autorais 2020 Fórum Linguístico

Creative Commons License

Esta publicação está regida por uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Fórum Linguístico, ISSNe 1984-8412, Florianópolis (Santa Catarina), Brasil