Em prol de textos multimodais no contexto escolar: quais, como e por quê?

Autores

  • Cláudia Regina Ponciano Fernandes Doutoranda em Linguística na Universidade Federal da Paraíba Docente no Instituto Federal de Educação , Ciência e Tecnologia da Paraíba http://orcid.org/0000-0002-2083-696X

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8412.2020v17n2p4919

Palavras-chave:

Textos multimodais, Escola, Abordagem crítica

Resumo

Na sociedade contemporânea, embora o professor não seja mais a fonte principal de informações para o aluno, continua desempenhando a função de despertá-lo para uma leitura crítica de discursos implícitos de significados culturais, ideológicos e hegemônicos que circulam em textos multimodais. Este ensaio discute possíveis caminhos para uma análise crítica desses discursos. Desenvolve-se a partir de uma concepção de texto e descrição das abordagens teórico-metodológicas sugeridas para textos multimodais, a saber, a Análise Crítica do Discurso (FAIRCLOUGH, 2001; MEURER, 2005) e a Gramática do Design Visual (KRESS; VAN LEEUWEN, [1996] 2006). Em seguida, apresenta exemplos de estudos voltados para textos multimodais analisados e tece argumentos em prol do trabalho com textos multimodais na escola. Ao final, destacam-se três pontos relevantes: participação do professor em formações continuadas regulares, o conhecimento de ferramentas analíticas aplicáveis às novas configurações textuais e a inserção de textos multimodais do cotidiano como leitura crítica na escola. 

 

Biografia do Autor

Cláudia Regina Ponciano Fernandes, Doutoranda em Linguística na Universidade Federal da Paraíba Docente no Instituto Federal de Educação , Ciência e Tecnologia da Paraíba

Professora de língua inglesa do Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia, campus Guarabira. Possui mestrado em Linguística , especialização em língua inglesa e graduação em letras pela Universidade Federal da Paraíba. Possui experiência profissional em institutos de idiomas, em escolas privadas, em escolas públicas da Paraíba e no Ensino a Distância. Atualmente é doutoranda em Linguística na área de concentração Linguística e Práticas Sociais e membro do Grupo de Pesquisa em Semiótica Visual e Multimodalidade (GPSM).

Referências

ALMEIDA, D. L. B. Icons of contemporary childhood: a visual and lexicogrammatical investigation of toy advertisements. 2006. Tese (Doutorado em Letras) - Universidade Federal de Santa Catarina. Florianopólis, 2006.

BEZERRA, F. A análise crítica do discurso e os multiletramentos: o papel da linguagem no fazer docente contemporâneo. In: NÓBREGA, C.; ARCOVERDE, R.; BRANCO, S. E. F. W. Educação linguística e literária: discursos, políticas e práticas. Campina Grande: UFCG, 2016. p. 189-204.

CALDAS-COULTHARD, C. R.; VAN LEEUWEN, T. Stunning, shimmering, irisdescent: toys as the representation of gendered social actors. In: LITOSSELITI, L.; SUNDERLAND, J. Gender identity and discourse analysis. Amsterdam: John Benjamins, 2002. p. 91-108.

CALDAS-COULTHARD; VAN LEEUWEN, T. Discurso crítico e gênero no mundo infantil: Brinquedos e a representação de atores sociais. Linguagem em (dis)curso, Tubarão, SC, 4, set/dez 2004. 11-33.

CALLEGARO, E. K.; MARTINS, N. B.; KADER, C. C. C. Análise do prédio da Reitoria da Universidade Federal de Santa Maria sob a ótica da Semiótica Espacial. Caminhos em Linguística Aplicada, Tabauté, v. 10, n. 1, p. 127-146, 2014.

FAIRCLOUGH, N. Discurso e mudança social. Tradução de Izabel Magalhães. Brasília: Universidade de Brasilia, 2001.

GUERREIRO, A.; SOARES, N. M. M. Os memes vão além do humor: uma leitura multimodal para a construção de sentidos. Texto digital, Florianopólis, 12, n. n.2, Dezembro 2016. 185-208.

HALLIDAY, M. A. K. Language as Social Semiotic. London: Arnold, 1978.

HEBERLE, V. Multimodalidade e multiletramento: pelo estudo da linguagem como prática social multissemiótica. In: SILVA, K. A. et al. A formação de professores de íinguas: novos olhares. Campinas: Pontes Editora, v. II, 2012. p. 83-106.

KRESS, G.; VAN LEEUWEN, T. Reading images: the grammar of visual design. London: Routledge, 2006 [1996].

MEURER, J. L. Gêneros Textuais na Análise Crítica de Fairclough. In: BONINI, A.; MOTTA-ROCH, D. Gêneros: teorias, métodos, debates. São Paulo: Parábola Editorial, 2005. p. 81-106.

MOTTA-ROTH, D. Entrevista sobre o estado da arte em Linguistica Aplicada Contemporânea no Brasil. Letra Magna, n. 15, 2012.

NASCIMENTO, R.; BEZERRA, F.; HEBERLE, V. Multiletramentos: iniciação à análise de imagens. Linguagem e Ensino, Pelotas, 14, Jul/dez. 2011. 529-552.

PIERCE, C. S. Semiótica e filosofia. Trad. Octanny Silveira da Mota e Leonidas Hegenberg. São Paulo: Cultrix, 1975.

RAVELLI, L. Analysing space: adapting and extending multimodal frameworks. In: UNSWORTH, L. Multimodal semiotics: functional analysis in contexts of education. Londres: Bloombury Academic, 2011.p. 17-33.

RAVELLI, L. J.; MCMURTIE, R. J. Multimodality in the built environment> spatial discourse analysis. London and New York: Routledge, 2016.

RAVELLI, L.; HERBELE, V. Bringing a museum of language to life: the use of multimodal resources for intetactional engagement in the Museu da Língua Portuguesa. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 16, n. 4, p. 521-546, jun. 2016.

RAVELLI, L.; STENGLIN, M. Feeling space: interpersonal communication and spatial semiotics. In: ANTOS, G.; VENTOLA, E.; WEBER, T. Handbook of Applied Linguistucs. Berlim e Nova York: Mouton de Gruyter, v. 2: Interpersonal Communication, 2008. Cap. 13.

RAVELLI.L. Beyond shopping: constructing the Sydney Olympics in three-dimensional text. Text, Berlin/Boston, v. 20, n.4, p. 489-515, 2000.

RESENDE, V.; RAMALHO, V. Análise de discurso crítica. São Paulo: Contexto, 2006.

RODRIGUES, R. H. Entrevista sobre o estado da arte em Linguistica aplicada contemporãnea no Brasil. Letra Magna, n. 15, 2012.

ROJO, R. Pedagogia dos multiletramentos: diversidade cultural e de linguagens na escola. In: ROJO, R. E. M. E. Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editoria, 2012. p. 11-31.

STENGLIN, M. Packaging Curiosities: toward a grammar of three dimensional space. University of Sydney. Sidney, p. 513. 2004.

STENGLIN, M. Space odyssey: a guided tour through the semiosis of three dimensional space. Visual Communication, Los Angeles et al, v. 8, n.1, p. 35-64, 2009.

Publicado

2020-09-02

Edição

Seção

Ensaio