A web como o banco de dados mais rico em amostras da norma coloquial: as expressões idiomáticas

Autores

  • Camila Maria Corrêa Rocha Doutorado em Estudos Linguísticos pela Unesp- Ibilce, docente do Instituto Federal Catarinense (IFC)- campus Brusque.

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8412.2020.70622

Palavras-chave:

Dicionário geral, Expressão idiomática, Web

Resumo

As expressões idiomáticas têm recebido a atenção dos linguistas, especialmente daqueles que têm o léxico como objeto de estudo (ORTIZ ÁLVAREZ; XATARA, 2001). Entretanto, apesar da sua recorrência na variante coloquial e do crescente interesse nelas por estudiosos, estudos anteriores mostraram que os dicionários gerais não as apresentam e, quando o fazem, a inclusão é assistemática, não condizente com suas especificidades léxico-semânticas. Nesta linha, tem-se como objetivo, neste estudo, verificar, no buscador Google, o número de ocorrências de um corpus de expressões idiomáticas, com vistas a comprovar a necessidade de que recebam um tratamento lexicográfico que condiga com suas especificidades. A utilização da web como instrumento de busca justifica-se posto que ela é, na atualidade, o banco de dados mais rico em amostras da norma coloquial – nível de linguagem em que se inserem as EIs.

Biografia do Autor

Camila Maria Corrêa Rocha, Doutorado em Estudos Linguísticos pela Unesp- Ibilce, docente do Instituto Federal Catarinense (IFC)- campus Brusque.

Possui Graduação em Letras com habilitação em Língua Espanhola pela Universidade Estadual de Londrina (2004), Especialização em Ensino de Línguas Estrangeiras pela Universidade Estadual de Londrina (2005), Mestrado em Estudos da Linguagem pela Universidade Estadual de Londrina (2008) e Doutorado em Estudos Linguísticos pela Unesp/ IBILCE- Universidade Estadual Paulista (2014). Tem experiência na área de Letras, com ênfase nas Línguas Portuguesa e Espanhola.

Referências

ALCARAZ, R. C. Dicionário: alcance e limites. Fragmentos, Florianópolis, n. 30, p. 121-127, 2006.

AZORÍN FERNANDEZ, D. La lexicografia como disciplina linguística. In: MEDINA GUERRA, A. M. (coord.). Lexicografía española. Espanha: Ariel Linguística, 2003. p. 33-52.

BIDERMAN, M. T. C.. O dicionário como norma na sociedade. In: CARVALHO, N. M. de; SILVA, M. E. B.. Lexicologia, lexicografia e terminologia: questões gerais do GT de lexicologia, lexicografia e terminologia da ANPOLL. Rio de Janeiro: UFRJ, 1998. p. 161-180.

CASTILLO CARBALLO, M. A. La macroestructura del diccionario. In: MEDINA GUERRA, A. M. (coord.). Lexicografía española. Espanha: Ariel, 2003. p. 79-100.

CORREIA, M. Lexicografia no início do século XXI: novas perspectivas, novos recursos e suas consequências. In: ALEXANDRE JÚNIOR, M. (coord.). Actas do colóquio. Lisboa: Centro de Estudos Clássicos, 2008. p. 1-13.

FERREIRA, A. B. de H. Novo dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. 4. ed. Curitiba: Positivo, 2009.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. de S. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2004.

KRIEGER, M. da G. et al. O século XX, cenário dos dicionários fundadores da lexicografia brasileira: relações com a identidade do português do Brasil. Alfa, São José do Rio Preto, v. 50, n. 2, p. 173-187, 2006.

KRIEGER, M. da G. Lexicografia: o léxico no dicionário. In: SEABRA, M. C. T. C. (org.). O léxico em estudo. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2006a. p. 157-172.

LAPA, M. R. Estilística da língua portuguesa. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

LARA, L. F. O dicionário e suas disciplinas. In: ISQUIERDO, A. N.; KRIEGER, M. da G. (org.). As ciências do léxico: lexicología, lexicografía, terminología. Campo Grande: UFMS, 2004. p. 133-152.

MICHAELIS. Moderno dicionário da língua portuguesa. São Paulo: Companhia Melhoramentos, 2002.

NOBLE, G. D. Comparación de las expresiones idiomáticas del portugués al español. Cadernos do Instituto de Letras, Porto Alegre, n. 21/22, 2002.

ORTÍZ ALVAREZ, M. L. Expressões idiomáticas do português do Brasil e do espanhol de Cuba: estudo contrastivo e implicações para o ensino de português como língua estrangeira. 2000. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) - Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas, 2000.

ORTÍZ ALVAREZ, M. L. Dicionário de expressões idiomáticas ou dicionário fraseológico? Revista Línguas & Letras, Cascavel, v. 2, n. 2, p. 83-96, 2001.

PORTO DAPENA, J. A. Manual de técnica lexicográfica. Madrid: Arco Libros, 2002.

REY-DEBOVE, J. Léxico e dicionário. Tradução de Clóvis Barleta de Morais. Alfa, São Paulo, v. 28, p. 45-69, 1984.

RIVA, H. C. Dicionário onomasiológico de expressões idiomáticas usuais na língua portuguesa do Brasil. 2008. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) - Universidade Estadual Paulista, São José do Rio Preto, 2008.

RIVAS GONZÁLEZ, M. Tratamiento de las expresiones fraseológicas en los principales diccionarios de español: propuesta para el aprendizaje de español como lengua extranjera. In: CONGRESO INTERNACIONAL DE ASELE, 16., 2005, Sevilla. Anales […]. Sevilla: Secretariado de Publicaciones de la Universidad de Sevilla, 2005.

RONCOLATTO, E. Critérios para a organização de dicionários fraseológicos. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, v. 46, n. 1, p. 43-52, 2004.

XATARA, C. M. O resgate das expressões idiomáticas. Alfa, São Paulo, v. 39, p. 195-210, 1995.

XATARA, C. M. O campo minado das expressões idiomáticas. Alfa, São Paulo, v. 42, p. 147-159, 1998.

XATARA, C. M. A web para um levantamento de frequência. In: MAGALHÃES, J. S.; TRAVAGLIA, L. C. (org.). Múltiplas perspectivas em linguística. Uberlândia: EDUFU, 2008, p. 770-777.

XATARA, C. M.; RIVA, H. C.; RIOS, T. H. C. As dificuldades na tradução de idiomatismos. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 2, n. 8, p. 183-194, 2001. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/5892/5572. Acesso em: 25 ago. 2013.

Downloads

Publicado

2020-11-20