Programa Leitorado Brasileiro: um olhar sobre os critérios dos editais da CAPES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8412.2021.e72629

Palavras-chave:

Leitorado, Português como Língua Adicional, Políticas Educacionais Linguísticas

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo analisar os editais de seleção de professores ao Programa Leitorado vinculado à CAPES. Para tanto, são estudados os documentos que compreendem o período de 2008 a 2018, com relação aos países e Instituições de ensino superior (IES) estrangeiras, formação acadêmica e experiência com o Exame de proficiência Celpe-Bras exigidas dos candidatos à vaga de leitor. Ao empreender tal análise, pretende-se contribuir com estudos acerca de programas de internacionalização da Língua Portuguesa e discutir o modo como são implementadas as políticas educacionais linguísticas (SHOHAMY, 2006; BOWE; BALL; GOLD, 1992; BALL, 1994a), sobretudo no que concerne à atuação do profissional que está à frente das ações políticas relacionadas ao ensino de português como língua adicional no exterior.

 

Biografia do Autor

Leticia Grubert dos Santos, UFRGS - Programa de Pós Graduação em Letras

Doutoranda em Linguística Aplicada pela UFRGS

Simone Sarmento, UFRGS

Professora do departamento de Letras UFRGS e do Programa de Pós-graduação em Letras UFRGS

Referências

AGUIAR, A. L. R. O Programa de Leitorados do Ministério das Relações Exteriores do Brasil: o ex- leitor José Maria Rodrigues relata suas experiências durante os quatro anos de leitorado no território paraguaio. Estação Científica, Macapá, v. 5, n. 2, p. 103-110, jul./dez. 2015.

BALL, S.J. Educational reform: a critical and post-structural approach. Buckingham: Open University Press, 1994.

BOWE, R.; BALL, S.; GOLD, A. Reforming education & changing schools: case studies in policy sociology. London: Routledge, 1992.

BRASIL. Ministério das Relações Exteriores. Portaria Interministerial nº 01/2006. Dispõe sobre os termos de criação do Programa Leitorado. Brasília, DF: Gabinete do Ministro, 2006. Disponível em: http://www.jusbrasil. com.br/diarios/505063/dou-secao-1-22-03-2006-pg-28. Acesso em: 15 jul. 2019.

BRASIL. Programa Leitorado. Editais. Brasília, DF: Disponível em https://www.capes.gov.br/bolsas-e-auxilios-internacionais/pais/218-multinacional/10088-programa-leitorado. Acesso em: 20 mar. 2019.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Credenciamento de Postos tem critérios definidos. Brasília, DF: INEP, 2013. Disponível em:http://download.inep.gov.br/outras_acoes/celpe_bras/legislacao/2013/portaria_n334_2013.pdf Acesso em: 27 abr. 2018.

BRASIL. Programa Leitorado para Instituição Universitária Estrangeira. Edital DRI/CGCI nº. 009/2009. Brasília, 20 de abril de 2009, 2009b. Disponível em: http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/programa-leitorado. Acesso em: 15 fev. 2019.

BRASIL. Programa Leitorado para Instituição Universitária Estrangeira. Edital DRI/CGCI nº. 023/2009. Brasília, 23 de outubro de 2009, 2009c. Disponível em: http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/programa-leitorado. Acesso em: 15 fev. 2019.

BRASIL. Programa Leitorado para Instituição Universitária Estrangeira. Edital DRI/CGCI nº. 23/2010. Brasília, 03 de maio de 2010, 2010a. Disponível em: http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/programa-leitorado. Acesso em: 15 fev. 2019.

BRASIL. Programa Leitorado para Instituição Universitária Estrangeira. Edital DRI/CGCI nº. 062/2010. Brasília, 21 de outubro de 2010, 2010b. Disponível em: http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/programa-leitorado. Acesso em: 15 fev. 2019.

BRASIL. Programa Leitorado para Instituição Universitária Estrangeira. Edital DRI/CGCI nº. 029/2011. Brasília, 15 de julho de 2011, 2011b. Disponível em: http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/programa-leitorado. Acesso em: 15 fev. 2019.

CALVET, L.-J. Sociolinguística: uma introdução crítica. São Paulo: Parábola, 2002.

CARNEIRO, A.S.R. O Programa Leitorado do Governo Brasileiro: ideologias linguísticas e práticas de ensino em um contexto situado. Línguas e Instrumentos Línguísticos, n. 43, p.259-289, jan./jun.,2019. Disponível em: http://www.revistalinguas.com/edicao43/d/artigod5.pdf. Acesso em: 10 ago. 2019.

CARNEIRO, A.S.R. O Leitorado Brasileiro da Universidade da Cidade do Cabo, África do Sul: uma experiência com o ensino de Português como Língua Adicional em um contexto pós-colonial. Calidoscópio, São Leopoldo, v.17, n.1, p. 121-144, jan./abr.2019. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/calidoscopio/article/view/cld.2019.171.07. Acesso em: 10 ago. 2019

CARNEIRO, A.S.R. O Programa Leitorado do Governo Brasileiro: Ideologias Linguísticas e Práticas de ensino em um contexto situado. Línguas e Instrumentos Línguísticos, n. 43, p.259-289,jan./jun.,2019.Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8658373. Acesso em:20 jul.2019

CARVALHO, S.; SCHLATTER, M. Ações de Difusão Internacional da Língua Portuguesa. Cadernos do IL, Porto Alegre, n. 42, p. 260-284, jun. 2011. Disponível em http://www.seer.ufrgs.br/cadernosdoil. Acesso em: 22 fev.2012.

DINIZ, L. R. A. Política linguística do Estado brasileiro na Contemporaneidade: a institucionalização de mecanismos de promoção da língua nacional no exterior. 2012. 378f. Tese (Doutorado em Linguística) - Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2012.

DORIGON, T. O Celpe-Bras como instrumento de política linguística: um mediador entre propósitos e materializações.2016.128f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) - Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

FERREIRA, L. O Leitorado Brasileiro na Tailândia: Uma contribuição para o debate a respeito do papel do professor-leitor. Revista do GEL, São Paulo, v. 11, n. 1, p. 10-29, 2014.

KNIGHT, J. Higher Education in Turmoil: the Changing World of Internationalization. Rotterdam: Sense Publishers, 2008.

MACHADO, L. E. W. As ações do Estado brasileiro para a promoção da língua, da literatura e da cultura do Brasil no Paraguai. Revista Vozes dos Vales- Publicações Acadêmicas UFVJM, Minas Gerais, ano II, n. 4, out. 2013.

MACHADO, L. Programa de leitorado brasileiro: algumas considerações sobre sua configuração e sobre o espaço dedicado à literatura. Cadernos de Pós-graduação em Letras, São Paulo, v. 19, n. 1, p. 178-193, 2019.

MAINARDERS, J. Abordagem do ciclo de políticas: uma contribuição para a análise de políticas educacionais. Educação e Sociedade, v. 27, n. 94, p. 47-69, jan./abr. 2006. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/es/v27n94/a03v27n94.pdf. Acesso em: 13 abr. 2018.

MORELO, B.; COSTA, E.V. da.; KRAEMER, F.F. Ensino e Aprendizagem de língua Portuguesa e Cultura Brasileira Pelo Mundo: Experiências Do Programa de Leitorado Do Brasil. Roosevelt, NJ: Boavista Press, 18 de jul. de 2018.

NÓBREGA, M. H. de. Políticas linguísticas e internacionalização da língua portuguesa: desafios para a inovação. Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, v. 24, n. 2, p. 417-445, 2016.

OLIVEIRA, G. M. de; DORNELLES, C. Políticas internacionales del portugués. Real Instituto Elcano, v. 01, p. 1-7, 2007. Disponível em: http://www.realinstituto elcano.org/analisis/ARI2007/ARI135-2007_Muller Acesso em: 05 jan. 2016.

OLIVEIRA, L. M. Programa de Leitorado: diálogo entre política linguística externa e professores de PFOL no Brasil. 2017. 276f. Tese (Doutorado em Filologia e Língua Portuguesa) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

OLIVEIRA, L. M. Programa de leitorado do Brasil: discussões sobre o perfil do leitor. Matraga, RJ. v. 25, n. 44, p. 252-271, maio/ago. 2018. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/matraga/article/view/34153 Acesso em: 20 jun. 2018

SARMENTO, S.; KIRSCH, W. Inglês sem fronteiras: uma mirada ao contexto de prática pelo prisma da formação de professores. Ilha do Desterro. Florianópolis, v. 68, n.1, p. 47-59, Florianópolis, jan/abr 2015. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/desterro/article/view/2175-8026.2015v68n1p47. Acesso em: 05 jan. 2016.

SCHLATTER, M.; SCARAMUCCI, M. V. R.; PRATI, S.; ACUÑA, L. Celpe-Bras e CELU: impactos da construção de parâmetros comuns de avaliação de proficiência em português e espanhol. In: ZOPPI-FONTANA, M. G. (org.). O português do Brasil como língua transnacional. Campinas: RG. 2009. p. 95-122.

SCHOFFEN, J. R.; MARTINS, A. F. Políticas linguísticas e definição de parâmetros para o ensino de português como língua adicional: perspectivas portuguesa e brasileira. ReVEL,v. 14, n. 26, p. 271-306. 2016. Disponível em: www.revel.inf.br. Acesso em: 10 mar. 2017.

SERRANO, G.P. Educação em valores: como educar para a democracia. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2002.

SERRAVALLE DE SÁ, D. O leitorado brasileiro em Manchester: política linguística e o ensino de português como língua estrangeira. Cadernos de Letras da UFF- Dossiê: Difusão da Língua Portuguesa, v. 39, p. 31-40, 2009. Disponível em: http://www.cadernosdeletras.uff.br/joomla/images/stories/edicoes/39/artigo1.pdf. Acesso em: 22 fev. 2018.

SHOHAMY, E. G. Language policy: hidden agendas and new approaches. New York: Routledge, 2006.

WALL, D.; ALDERSON, J.C. Does whashback exist? Applied Linguistics, v.14, n.2, p. 115-129, jun. 1993.

UNESCO. Relatório Final. In: CONFERÊNCIA MUNDIAL SOBRE EDUCAÇÃO SUPERIOR, 2009, Paris: United National Educational. Paris. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0018/001892/189242e.pdf Acesso em: 15 mar. 2018.

Downloads

Publicado

2021-04-06