Competitividade e estratégia: novos desafios para coordenadores de cursos de IES privadas no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1983-4535.2020v13n2p252

Resumo

O cenário do ambiente organizacional das Instituições de Ensino Superior privadas (IESP) no Brasil vêm se alterando com a formação de grandes grupos educacionais, por meio de fusões e incorporações e do desenho de um novo contexto da educação superior, diante de um ambiente de alta competição, pautado pela busca de vantagens competitivas e pela diferenciação. Nesse contexto, o objetivo dessa pesquisa foi o de analisar as competências utilizadas pelos coordenadores de curso para responderem às novas demandas estratégicas em uma IES privada que sofreu um processo de aquisição, passando a fazer parte de um grande grupo econômico da área educacional. Quanto à metodologia, trata-se de uma investigação qualitativa, exploratória, de amostra não-probabilística. Os resultados indicaram que o papel dos coordenadores de cursos vem sofrendo mudanças, sendo que alguns desses profissionais que já possuem experiência em gestão, adaptam-se mais facilmente; enquanto outros, sem experiência gerencial, através do sensemaking atribuem novo sentido às tarefas para serem capazes de desempenhar as funções. Concluiu-se que o cenário de alta competitividade das IESP tem impactado na atuação dos coordenadores, diminuindo a sua atuação acadêmica e o uso de competências para o gerenciamento do curso como uma unidade de negócios.

Biografia do Autor

Patrícia Guimarães Rocha Saboya, Mestre em Administração pela Universidade da Amazônia (UNAMA)

Mestre em Administração pela Universidade da Amazônia (UNAMA)professora do curso de graduação em Administração da Universidade da Amazônia (UNAMA)

Fernando Antônio Colares Palácios, Universidade da Amazônia - UNAMA Universidade do Estado do Pará - UEPA

Professor Pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade da Amazônia (UNAMA)Professor da Universidade do Estado do Pará (UEPA)Doutor em Administração (USP)

Márcia Athayde Moreira, Universidade da Amazônia - UNAMA Universidade Federal do Pará - UFPA

Doutora em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo (USP)Professora e pesquisadora da Universidade da Amazônia (UNAMA) e da Universidade Federal do Pará (UFPA)

Naiara Silva Ferreira, Universidade da Amazônia - UNAMA Universidade Federal Rural da Amazônia - UFRA

Professora e pesquisadora no curso de graduação em Administração da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA)Mestre em Administração pela Universidade da Amazônia (UNAMA)Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Administração da Universidade da Amazônia (UNAMA)

Referências

ARAÚJO, Christine Veloso Barbosa; SILVA, Viviane Nascimento; DURÃES, Sarah Jane. Processo de Bolonha e mudanças curriculares na educação superior. Educação e Pesquisa, v. 44, p. e174148-e174148, 2018.

BALDRIDGE, J. V. et. al. Organizational Characteristics of Colleges and Universities. In: J. V. Baldridge & Del (editors). The Dynamics of Organizational Change in Education.Berkeley: McUtchan, 1983, p. 38-59.

BARDIN, L. Análise de conteúdo (L. de A. Rego & A. Pinheiro, Trads.). Lisboa: Edições 70, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/Manual1.pdf. Acesso em: 02/10/2017.

BIRNBAUM, Robert. Management fads in higher education: Where they come from, what they do, why they fail. San Francisco: Jossey-Bass, 2000.

BOYATZIS, R. E. The competence manager: A model for effective performance. New York: John Wiley & Sons, 1982.

CEZARINO, Luciana Oranges; CORRÊA, Hamilton Luiz. Interdisciplinaridade no ensino em Administração: visão de especialistas e coordenadores de cursos de graduação. Administração: ensino e pesquisa, v. 16, n. 4, p. 751-784, 2015.

DERVIN, B. Sense-Making the ory and practice: An overview of user interests in knowledge seekingand use. Journal of Knowledge Management, v.2, n.2, Dec, p.36-46. 1998.

DURAND, Thomas. FormsofIncompetence. In: Sanchez, R. Heene, A. TheoryDevelopment for Competence-Based Management, v. 6. Advances in Applied Business Stractegy, Lawrence Foster, series editor, Greenwich, CT: JAI Press, 1998.

ENDERS J. Higher Education Management. International Encyclopedia of the Social & Behavioral Sciences: Second Edition, p. 845-849, 2015.

FARIAS FILHO, Milton C. Elaboração de Artigo para Publicação: Um Guia para as Ciências Sociais, Sociais Aplicadas e Humanidades. São Paulo. Serie Produção Científica – Volume 1, Ed. Motres, 2018, 118 p.

FARINELLI, Clairna Andresa. MELO, Marlene Catarina de Oliveira Lopes. A Gerência Intermediária da IES: A Coordenação de Curso e o Coordenador como Gestor. In: IX COLÓQUIO INTERNACIONAL SOBRE GESTÃO UNIVERSITÁRIA NA AMÉRICA DO SUL. Florianópolis. Nov.2009.

FIORILLO, Aurélio; MACCARI, Emerson Antonio; MARTINS, Cibele Barsalini. A EaD no Brasil e a importancia de competencias subjacentes para o reconhecimento de cursos de acordo com a percepcao de coordenadores de curso. Administração: Ensino e Pesquisa, v. 16, n. 1, p. 141-178, 2015.

FLEURY, Maria Tereza L. FLEURY, Afonso. Construindo o Conceito de Competência. RAC, Edição Especial 2001: 183-196

FONSECA, Marília. FONSECA, Dirce M. A gestão acadêmica da pós-graduação lato sensu: o papel do coordenador para a qualidade dos cursos. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 42, n.1, p. 151 – 164, jan./ mar. 2016.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar Projetos de Pesquisa. São Paulo. Editora Atlas, 2002.

GIOIA, D. A. e MEHRA, A. Sensemaking in Organizations. Academy of Management Review, v.21, n.4, p.1226-1230. 1996.

HAMLIN, Robert G.; PATEL, Taran. Perceived managerial and leadership effectiveness within higher education in France, Studies in Higher Education, 42:2, 292-314 2017, DOI: 10.1080/03075079.2015.1045480

MAINARDES, Emerson. FERREIRA, João. TONTINI, Gerson. Vantagens Competitivas em Instituições de Ensino Superior: proposta e teste de um modelo. In: IX COLÓQUIO INTERNACIONAL SOBRE GESTÃO UNIVERSITÁRIA NA AMÉRICA DO SUL. Florianópolis, 2009.

MARCON, Silvana R. A. Atribuições dos cargos de coordenação e subcoordenação de cursos de graduação. In: XI COLÓQUIO INTERNACIONAL SOBRE GESTÃO UNIVERSITÁRIA NA AMÉRICA DO SUL. II Congresso Internacional IGLU. Florianópolis, dez, 2011.

MEYER JR, Victor. A prática da administração universitária: contribuições para a teoria.Universidade em Debate, jan-dez2014.

NUNES, Simone Costa. O discurso e a prática da formação baseada em competências: um estudo em cursos de graduação em Administração. Administração: Ensino e Pesquisa, v. 11, n. 3, p. 395-424, 2010.

PEREIRA, Cleber Augusto; ARAUJO, Joaquim Filipe Ferraz Esteves; DE LOURDES MACHADO-TAYLOR, Maria. The Brazilian higher education evaluation model:“SINAES” sui generis?. International Journal of Educational Development, v. 61, p. 5-15, 2018.

POTGIETER, Ingrid. BASSON, Johan. COETZEE, Melinde. Management Competencies for the development of heads of department in the higher education contexto: a literature overview. South African Journal of Labour Relations, v. 35, n. 1, 2011.

KOK, Seng Kiat; MCDONALD, Claire. Underpinning excellence in higher education – an investigation into the leadership, governance and management behaviours of high-performing academic departments.Studies in Higher Education, 42:2, 210-231, 2017. DOI: 10.1080/03075079.2015.1036849

RECKWITZ, A. Toward a theory of social practices: a development in culturalist theorizing. European Journal of Social Theory. n.5, v. 2, p. 243-263, London: Sage, 2002.

REIS, Fábio. Destruição Criativa no Ensino Superior: O rompimento de modelos convencionais de ver e presentar uma fase de transição, que privilegie a inovação. Log da Fnesp com Fábio Reis. Jun., 2016. Disponível em: http://fnesp.com.br/blog/destruicao-criativa-no-ensino-superior/. Acesso m 26/11/2016.

RUAS, Roberto. Gestão das competências gerenciais e a aprendizagem nas organizações. Artigo EA/PPGA/UFRGS, 2002.

SAMPAIO, Helena. Ensino superior no Brasil - o setor privado. São Paulo: Fapesp/Hucitec, 2000.

SCHATZKI, T. R. Introduction – Practice Theory. In: SCHATZKI, T. R.; KNORR CETINA, K.; VON SAVIGNY, E. (eds) The Practice Turn in Contemporary Theory. London and New York: Routledge, 2001.

SVEIBY, K. E. The Knowledge Company: Strategy Formulation in Knowledge-Intensive Industries. Int. Review of Strategic Management. Vol. 3 D. E. Hussey ed. John Wileyand Sons Ltd, 1992

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e Relatórios de Pesquisa em Administração. São Paulo. Editora Atlas, 2014.

VIEIRA, Ricardo S. G. FONSÊCA, Francisco R. B. O Sensemaking como Ferramenta Estratégica para o Desenvolvimento de Redes de Relacionamentos de Negócios no Contexto das Empresas de Base Tecnológica. In: IV ENCONTRO DE ESTUDO EM ESTRATÉGIA. ANPAD. Recife, jun., 2009.

WATERMAN, R. Jr, Adhocracy: The Power to Change, Whittle Direct Books, Memphis. 1990.

WEICK, Karl. Educational organizations as loosely coupled systems. Administrative Science Quarterly, 21 (1976), 1-9 (part).

WEICK, Karl. Sensemaking in organizations. Thousand Oaks: Sage Publications. 1995.

YANG, R. Globalisation and higher education development: a critical analysis. International Review of Education, 493-4: 269-291. The Netherlands: Kluwer, 2003.

ZANETIN, Roseli. Poder, cultura e instituições de ensino superior particulares (IES): desempenho e comunicação. Tese de doutorado apresentada ao Programa de Pós-graduação em Comunicação, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2006.

ZAMBERLAN, Carlos Otávio. CERETTA, Paulo Sérgio. GHILARDI, Wanderlei José. MINELLO, Ítalo Fernando. Orientação para competências na gestão de Instituições de Ensino Superior públicas e privadas: um estudo da região de Santa Maria – RS. In: III SEGeT – SIMPÓSIO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO E TECNOLOGIA. Rio Grande do Sul, 2010.

ZARIFIAN, Philippe. Objetivo Competência: Por Uma Nova Lógica. São Paulo: Editora Atlas, 2012.

Downloads

Publicado

2020-05-28

Edição

Seção

Artigos