A gestão do conhecimento na Universidade Federal de Mato Grosso: um estudo de caso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1983-4535.2020v13n3p1

Palavras-chave:

Gestão do conhecimento, Gestão da informação, Inteligência competitiva

Resumo

Diante de um ambiente cada vez mais competitivo, globalizado e tecnológico, o surgimento da Internet e das tecnologias da informação fez com que a quantidade de dados disponíveis com suporte digital fosse ampliada e como consequência, o aumento da circulação das informações. As Instituições de Ensino Superior geram inúmeras informações, sejam para órgãos de controle, sejam para o Ministério da Educação, são informações armazenadas em seus bancos de dados, que se fossem coletadas, processadas e disseminadas, poderiam ser utilizadas para dar suporte ao planejamento estratégico, contribuindo assim, na tomada de decisão dos gestores. Neste sentido, é importante discutir a gestão da informação e do conhecimento nas organizações universitárias para que estas busquem a eficiência e eficácia. O objetivo deste trabalho é identificar as práticas de Gestão de Informação e do Conhecimento utilizadas pela gestão da Universidade Federal de Mato Grosso, através de um estudo de caso, realizado por meio de análise documental e de entrevistas com os Pró-reitores e Secretários. Como resultado, verificou-se que existem na instituição, iniciativas isoladas de gestão da informação, assim como não há uma estratégia explícita de gestão do conhecimento, sendo esta incipiente, uma vez que não se encontra disseminada na Instituição e por esta razão, é desconhecida da maioria dos servidores.

Biografia do Autor

Josiane de Oliveira Lobato, Universidade Nove de Julho

Doutora em Administração pelo PPG em Administração da Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Mestra em Agronegócios e Desenvolvimento Regional pela Universidade Federal de Mato Grosso (2011). Especialista em Tecnologia de Gestão Pública e Responsabilidade Fiscal pela Escola Superior Aberta do Brasil (2009). Graduada em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Mato Grosso (2003). Atualmente atuo como economista da Universidade Federal de Mato Grosso, lotata na Pró-Reitoria de Planejamento no cargo de Gerente de Avaliação Institucional.

Elida Furtado da Silva Andrade, Universidade Nove de Julho

Doutora em Administração pelo PPG em Administração pela Universidade Nove de Julho (UNINOVE), mestra em Ciências da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003). Graduada em Administração pela Universidade Federal de Mato Grosso (2010) e em Tecnologia Processamento de Dados pelas Faculdades Integradas Cândido Rondon (1999). Fui professora na Faculdades Integradas Cândido Rondon e no Instituto Cuiabano de Educação, onde adquiri experiência na docência em informática aplicadas aos cursos de Administração, Ciências Contábeis e Pedagogia. Atualmente atuo como administradora na Universidade Federal de Mato Grosso, lotada na Pró-reitoria de Ensino de Pós-graduação, auxiliando na gestão dos cursos de pós-graduação stricto sensu da instituição.

Emerson Antonio Maccari, Universidade Nove de Julho

Livre Docente em Administração pela Universidade de São Paulo - USP (2015). Doutor em Administração pela USP (2008) com Estágio Doutoral na University of Massachusetts Amherst - USA. Mestre em Administração pela Universidade Regional de Blumenau - FURB (2002). Graduado em Administração (2000) e em Ciências da Computação (1996) pela FURB. Especialista em Tecnologia da Informação aplicada à Gestão de Negócios pela FURB/INPG (1999). Pesquisador Bolsista de Produtividade (PQ2/CNPq). Foi Diretor do Mestrado Profissional em Administração: Gestão de Projetos - MPA-GP - UNINOVE (2010-2012). Foi Diretor do Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA - UNINOVE (2012-2018). Pesquisa nos seguintes temas: Gestão da Pós-Graduação; Gestão Estratégica da Pós-Graduação; Sistema de Avaliação da Pós-Graduação; Sistema de Avaliação da CAPES; Estratégia em Projetos Educacionais; Administração da Tecnologia da Informação. Participou da elaboração de propostas para implantação de Programas de Mestrado e Doutorado no Sistema APCN da CAPES nas áreas: Administração, Contabilidade, Turismo, Educação, Engenharia, Direito e Saúde. Desde 1999, vem acompanhando programas de Pós-Graduação na avaliação da CAPES, com destaque para os Programas de Mestrado e Doutorado da UNINOVE e Programa de Pós-Graduação em Administração da USP. Participou do desenvolvimento de periódicos científicos no sistema OJS (Open Journal System). Atuou como editor adjunto da Revista de Administração e Inovação - RAI (2009-2010). A partir de 2016 passou a ser editor da Revista de Gestão e Projetos - GeP e editor de Seção da Revista Eletrônica de Ciência Administrativa - RCADM. Atuou como líder de track do ENANPAD e Simpósio/ANPAD nos tracks: "Inovação e Gestão de Projetos" (2010-2012). Participou, em 2010 da Avaliação Trienal (2007-2009) realizada pela CAPES na condição de consultor Ad hoc. Participa de visitas a programas de pós-graduação na área de administração atendendo solicitações da CAPES. Membro do Comitê Organizador do International Academy of Management and Business - IAMB 2014. Coordenador do Consórcio Doutoral da ANPAD - 2014.

Referências

BADARACCO, J. et al. The knowledge link: How firms compete through strategic alliances. Harvard Business Press, 1991.

BATTAGLIA, M. G. B. L. Intelligence compétitive comme support pour la construction d’un modèle de Système d’Information des Clients pour la FINEP. Rio de Janeiro/Marseille, CEIC/DEA. Mémoire en vue de l’obtention du Diplome d’Etudes Approfondies–DEA, 1998.

BORGHOFF, U.; PARESCHI, R. Information technology for knowledge management. Berlin: Springer-Verlag, 1998.

BRAGA, A. A gestão da informação. Millenium, 2000.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Sinopses Estatísticas da Educação Superior 2017. Brasília: Inep, 2018. Disponível em: http://inep.gov.br/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior. Acesso em: 17 mar. 2019.

CHOO, C. W. Information Management for the intelligent Organization: The art of scanning the environment, 3rd. Medford, NJ: Information Today. 1998.

CHOO, C. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: Senac São Paulo, 2003.

CORREIA, C. C. Getting Competitive: Competitive Intelligence is a Smart next Step for Information Pros. Library journal, v. 131, n. 7, p. 52, 2006.

DAVENPORT, T. H. Reengenharia de processo: como inovar na empresa através da tecnologia da informação. Rio de Janeiro: Campus, 1994.

DAVENPORT, T. H.; PRUSAK, L. Conhecimento empresarial: como as organizações gerenciam o seu capital intelectual. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

DAVIS, I; STEPHENSON, E. Ten trends to watch in 2006. The McKinsey Quarterly, v. 1, p. 1-5, 2006.

DAY, G. S. Manutenção da vantagem competitiva: criação e sustentação das vantagens em ambientes competitivos dinâmicos. DAY, G. S.; REIBSTEIN, D. J. A dinâmica da estratégia competitiva. Rio de Janeiro: Campus, p. 59-85, 1999.

DISHMAN, P. L.; CALOF, J. L. Competitive intelligence: a multiphasic precedent to marketing strategy. European Journal of Marketing, v. 42, n. 7/8, p. 766-785, 2008.

DRUCKER, P. F. Produtividade – A chave do futuro. Diálogo, v. 26, n. 4, p. 33, 1993.

FIALHO, A. S. Análise do uso da Inteligência Competitiva no setor da construção de imóveis residenciais na cidade de Porto Alegre. 180f. Dissertação (Mestrado em Administração e Negócios)-Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

FROEHLICH, T. J. The foundations of information science in social epistemology. In: [1989] Proceedings of the Twenty-Second Annual Hawaii International Conference on System Sciences. Volume IV: Emerging Technologies and Applications Track. IEEE, p. 306-314. 1989.

FULD, L. M. Inteligência competitiva: como se manter à frente dos movimentos da concorrência e do mercado. Elsevier, 2007.

GOMES, E.; BRAGA, F. Inteligência competitiva: como transformar informação em um negócio lucrativo. Campus, 2001.

HERRING, J, P. Key intelligence topics: a process to identify and define intelligence needs. Competitive Intelligence Review: Published in Cooperation with the Society of Competitive Intelligence Professionals, v. 10, n. 2, p. 4-14, 1999.

HERRING, J. P. Create an Intelligence Program: for Current and Future Business Needs. Competitive Intelligence Magazine, v. 8, n. 5, p. 20-27, 2005.

KAHANER, L. Competitive intelligence: how to gather analyze and use information to move your business to the top. Simon and Schuster, 1997.

LEV, B. Sharpening the intangibles edge. Harvard Business Review, v. 6, p. 109-116, 2004.

MENEZES, E. M. Inteligência competitiva: uma revisão de literatura. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, v. 3, n. 2, p. 103-130, 2005.

MILLER, J. Qualificações e treinamento para a inteligência. O milênio da inteligência competitiva. Porto Alegre: Bookman, cap, 4, p. 79–92, 2002.

MORAES, CRB; FADEL, B. Triangulação metodológica para o estudo da gestão da informação e do conhecimento em organizações. Gestão da informação e do conhecimento. São Paulo: Polis, p. 27-40, 2008.

MORESI, E. A. D. Inteligência organizacional: um referencial integrado. Ciência da informação, v. 30, n. 2, 2001.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. The knowledge-creating company: How Japanese companies create the dynamics of innovation. Oxford university press, 1995.

NONAKA, Ikujiro; TAKEUCHI, Hirotaka. Criação de conhecimento na empresa: como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. 9. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

PEREIRA, F. A. B. et al. A Gestão de Conhecimento na Modernização da Gestão Universitária: o caso da UERN (RN), 2011.

QUEIROZ, M. I. P. O pesquisador, o problema da pesquisa, a escolha de técnicas: algumas reflexões. LANG, ABSG, org. Reflexões sobre a pesquisa sociológica. São Paulo, Centro de Estudos Rurais e Urbanos, p. 13-29, 1992.

RODRIGUES, L. C.; MACCARI, E. A. Gestão do conhecimento em instituições de ensino superior. Revista de Negócios, v. 8, n. 2, 2003.

RODRIGUES, L. C.; RICCARDI, R. Inteligência competitiva: nos negócios e organizações. Maringá: Unicorpore, 2007.

RODRIGUES, L. C.; SIERRA, J. C. V.; RECHZIEGEL, W. Maturidade Organizacional em Inteligência Competitiva – O Caso de uma Instituição Financeira Brasileira. Revista de Ciências da Administração, v. 16, n. 38, p. 126-139, 2014.

RODRIGUES, L. C.; TOLEDO, L. A. Alinhamento entre sistema de inteligência competitiva e gerenciamento da tecnologia de informação. Revista Inteligência Competitiva, v. 1, n. 1, p. 40-62, 2011.

SACKMANN, S. A. Culture and subcultures: An analysis of organizational knowledge. Administrative science quarterly, v. 37, n. 1, p. 140-161, 1992.

SEELEY, C. P.; DAVENPORT, T. H. KM MEETS BUSINESS INTELLIGENCE Knowledge and data have long been maintained as separate entities, but is it now time to formally integrate the two? Knowledge Management Review, v. 8, n. 6, p. 10, 2006.

SILVA, P. N.; MUYLDER, C. F. Inteligência competitiva e cooperação na percepção dos atores do arranjo produtivo local de software da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 20, n. 2, p. 134-157, 2015.

SIQUEIRA, M. C. Gestão estratégica da informação. Brasport, 2005.

SPENDER, J. C. Organizational knowledge, learning and memory: three concepts in search of a theory. Journal of organizational change management, v. 9, n. 1, p. 63-78, 1996.

STAREC, C. et al. Gestão da informação, inovação e inteligência competitiva: como transformar a informação em vantagem competitiva nas organizações. São Paulo: Saraiva, 2012.

SVEIBY, K. E. A nova riqueza das organizações. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

TANAKA, I. Gestão do Conhecimento. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

TARAPANOFF, K. Referencial teórico: introdução. In: TARAPANOFF, K. Inteligência organizacional e competitiva. Brasília: UnB, p. 33-49, 2001.

TARAPANOFF, K. Inteligência, informação e conhecimento em corporações. Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), 2006.

TREHAN, R. Core or competitive competence in hospitality industry. National Hotel Exchange and CBK Family, v. 3, p. 89, 2005.

UFMT, Universidade Federal de Mato Grosso. Portal da Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT. Disponível em: http://www.ufmt.br/ufmt/site/. Acesso em: 12 fev. 2017.

VALENTIM, M. L. P. et al. O processo de inteligência competitiva em organizações. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 4, n. 3, p. 1-23, 2003.

WILSON, T. D. Information Management. In: International Encyclopedia of Information and Library Science, (Routledge), 187–196, 1997.

YIN, Robert K. Estudo de Caso: Planejamento e Métodos. Bookman editora, 2015.

ZANELLA, Liane Carly Hermes. Metodologia de estudo e de pesquisa em administração. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração/UFSC, 2009.

Downloads

Publicado

2020-09-01

Edição

Seção

Artigos