A percepção de egressos da Pós-Graduação em Administração sobre o curso e seu Impacto sobre a empregabilidade e a carreira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1983-4535.2020v13n3p75

Palavras-chave:

Pós-graduação, Egressos, Empregabilidade, Carreira, Sucesso na Carreira

Resumo

O presente estudo teve por objetivo investigar as motivações e os impactos da pós-graduação em Administração sobre a carreira e a empregabilidade de egressos de cursos lato sensu e stricto sensu. Além disso, também foi conduzida uma análise comparando esses resultados segundo o tipo curso (lato sensu e stricto sensu) e o perfil sociodemográfico do egresso. A pesquisa, de caráter quantitativo, contou com a participação de 629 respondentes que concluíram a pós-graduação em uma instituição de ensino superior privada. Os dados foram analisados por meio de estatísticas descritivas e análises de variância. Os resultados mostraram que adquirir conhecimentos, crescer na carreira e incrementar o currículo foram os principais fatores que motivaram os egressos a cursar uma pós-graduação. Além disso, os participantes identificaram reflexos positivos em sua carreira, tanto na percepção de maior empregabilidade quanto em medidas de sucesso objetivo e subjetivo, mas com diferenças significativas em função de gênero e faixa etária. Por fim, verificou-se que a pós-graduação stricto sensu tem sido procurada por profissionais mais velhos e em posição mais destacada na carreira, relativamente aos que cursaram a pós-graduação lato sensu.

Biografia do Autor

Lucia Barbosa de Oliveira, FGV-EBAPE - Fundação Getulio Vargas | Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas

Doutora em Administração pelo Instituto Coppead de Administração da UFRJ. É professora da graduação e do mestrado em Administração da EBAPE-FGV.

Juliana Monteiro de Menezes Tenorio, Faculdades Ibmec-RJ

Mestre em Administração de Empresas pelo Ibmec-RJ. Atua como Coordenadora Acadêmica de Ensino a Distância no Ibmec-RJ.

Referências

ARTHUR, M. B.; HALL, D. T.; LAWRENCE, B. S. Generating new directions in career theory: the case for a transdisciplinary approach. In: ARTHUR, M.B.; HALL, D.T.; LAWRENCE, B.S. (eds.). Handbook of career theory. Nova York: Cambridge University Press, 1989.

ARTHUR, M. B.; ROUSSEAU, D. M. Introduction: The boundaryless career as a new employment principle. In: ARTHUR, M. B.; ROSSEAU, D. M. The boundaryless career: a new employment principle for a new organizational era. Nova York: Oxford University Press, 1996.

ARTHUR, M. B. Examining contemporary careers: A call for interdisciplinary inquiry. Human Relations, v. 61, n. 2, p.163-186, 2008.

ARTHUR, M. B.; KHAPOVA S. N.; WILDEROM C. P. M. Career success in a boundaryless career world. Journal of Organizational Behavior, v. 26, n. 2, p. 177-202, 2005.

BARUCH, Y.; LAVI-STEINER, O. The career impact of management education from an average-ranked university: Human capital perspective. Career Development International, v. 20, n. 3, p. 218–237, 2015.

BENDASSOLLI, P. F. Recomposição da relação sujeito-trabalho nos modelos emergentes de carreira. Revista de Administração de Empresas, v. 49, n. 4, p. 387-400, 2009.

BERNSTRØM, V. H.; DRANGE, I.; MAMELUND, S. E. Employability as an alternative to job security. Personnel Review, v. 48, n. 1, p. 234–248, 2019.

BROWN, P.; HESKETH, A.; WILIAMS, S. Employability in a knowledge-driven economy. Journal of Education and Work, v. 16, n. 2, p. 107–126, 2003.

CAPPELLI, P. The new deal at work. Boston: Harvard Business School Press, 1999.

CAPES. Definição dos cursos de pós-graduação. Parecer 977/1965. Disponível em: http://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/Parecer_CESU_977_1965.pdf. Acesso em 04/07/2018.

CAPES. Documento de área: Administração pública e de empresas, Ciências Contábeis e Turismo. Brasília: CAPES, 2017. Disponível em: http://avaliacaoquadrienal.capes.gov.br/documentos-de-area. Acesso em 08/11/2019.

CHANLAT, J. F. Quais carreiras e para qual sociedade? Revista de Administração de Empresas. São Paulo, v. 35, n. 6, p. 67-75, 1995.

CLARKE, M. Plodders, pragmatists, visionaries and opportunists: career patterns and employability. Career Development International, v. 14, n. 1, p. 8–28, 2009.

CLARKE, M. The organizational career: not dead but in need of redefinition. International Journal of Human Resource Management, v. 24, n. 4, p. 684–703, 2013.

CRUZ, J. F. P. Percepção dos alunos sobre o impacto de curto prazo dos cursos de MBA em suas carreiras. Dissertação de Mestrado. São Paulo: EAESP-FGV, 2013.

DEFILLIPPI, R. J.; ARTHUR, M. B. The boundaryless career: A competency-based perspective. Journal of Organizational Behavior, v. 15, n. 4, p. 307–324, 1994.

EAGLY, A. H.; CARLI, L. L. Through the labyrinth: the truth about how women become leaders. Boston: Harvard Business School Press, 2007.

EBY, L.T.; BUTTS, M.; LOCKWOOD, A. Predictors of success in the era of the boundaryless career. Journal of Organizational Behavior, v. 24, n. 6, p. 689-708, 2003.

FUGATE, M.; KINICKI, A. J.; ASHFORTH, B. E. Employability: A psycho-social construct, its dimensions, and applications. Journal of Vocational Behavior, v. 65, n. 1, p. 14-38, 2004.

GAZIER, B. Employability: the complexity of a policy notion. In: Weinert, P. et al. (eds.), Employability: from theory to practice. New York: Transaction Publishers, p. 3-23, 2001.

GREENHAUS J. H.; PARASURAMAN S.; WORMLEY W. M. Effects of race on organizational experiences, job performance evaluations, and career outcomes. Academy of Management Journal, v. 33, p. 64-86, 1990.

HALL, D. T. The protean career: A quarter-century journey. Journal of Vocational Behavior, v. 65, n. 1, p. 1–13, 2004.

HELAL, D. H. Flexibilização organizacional e empregabilidade individual: proposição de um modelo explicativo. Cadernos EBAPE.BR, v. 3, n. 1, p. 01-15, 2005.

HELAL, D. H.; ROCHA, M. O discurso da empregabilidade: o que pensam a academia e o mundo empresarial. Cadernos EBAPE.BR, v. 9, n. 1, p. 139–154, 2011.

HESLIN, P. Conceptualizing and evaluating career success. Journal of Organizational Behavior, v. 26, n. 2, p. 113-136, 2005.

HOPER EDUCAÇÃO. Análise setorial do ensino superior privado. Foz do Iguaçu, PR: Hoper Educação, 2014.

HOPER EDUCAÇÃO. Análise setorial da educação superior privada – Brasil 2018. Foz do Iguaçu, PR: Hoper Educação, 2019.

IBGE (INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA). Estatísticas de Gênero: Indicadores sociais das mulheres no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2018. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101551_informativo.pdf. Acesso em: 02/11/2019.

JUDGE, T. A. et al. An empirical investigation of the predictors of executive career success. Personnel Psychology, v. 48, n. 3, p. 485–519, 1995.

KEHOE, R. R.; COLLINS, C. J. Human resource management and unit performance in knowledge-intensive work. Journal of Applied Psychology, v. 102, n. 8, p. 1222–1236, 2017.

LABSSJ. Primeira gestão. Relatório de Pesquisa. São Paulo: LAB SSJ. 2013. Disponível em: https://issuu.com/labssj/docs/report-final3. Acesso em 03/04/2019.

LEMOS, A. H. C.; COSTA, A. M. A Dimensão simbólica da empregabilidade: mercado, políticas públicas e organização social do trabalho. Sociedade, Contabilidade e Gestão, v. 7, n. 2, p. 85–103, 2012.

LIMA, G. S. et al. O teto de vidro das executivas brasileiras. Revista PRETEXTO, v. 14, n. 4, p. 65–80, 2014.

MADALOZZO, R. CEOs e composição do conselho de administração: a falta de identificação pode ser motivo para existência de teto de vidro para mulheres no Brasil? Revista de Administração Contemporânea, v. 15, n. 1, p. 126–137, 2011.

MAINIERO, L. A.; SULLIVAN, S. E. Kaleidoscope careers: An alternate explanation for the “opt-out” revolution. Academy of Management Perspectives, v. 19, n. 1, p. 106–123, 2005.

MARINO, J.; RIVERO, A. G.; DABOS, G. E. MBAs and career development: a literature review from the human capital perspective. Cuadernos de Administración, v. 35, n. 64, p. 109–126, 2019.

NÁDER, F. M.; OLIVEIRA, L. B. Empregabilidade: uma análise histórica e crítica. In: Encontro Nacional de Pós-Graduação em Administração, 31, Rio de Janeiro, Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2007.

NICHOLSON, N.; WALL-ANDREWS, W. Playing to win: Biological imperatives, self-regulation, and trade-offs in the game of career success. Journal of Organizational Behaviour, n. 26, n. 2, p. 137-154, 2005.

OLIVEIRA, D. M. A. S. et al. Educação executiva e carreira: promessas não cumpridas? In: Encontro Nacional da ANPAD, 39, Belo Horizonte, Anais... Belo Horizonte: ANPAD, 2015.

PATTERSON, S. E.; DAMASKE, S.; SHEROFF, C. Gender and the MBA: Differences in career trajectories, institutional support, and outcomes. Gender and Society, v. 31, n. 3, p. 310–332, 2017.

SILVA, P. T. M.; GODOY, A. S. MBA – O que alunos e ex-alunos pensam a respeito do curso realizado, seu aprendizado, e do impacto em suas carreiras. Revista GUAL, v. 9, n. 3, p. 292–314, 2016.

SPURK, D.; HIRSCHI, A.; DRIES, N. Antecedents and outcomes of objective versus subjective career success: competing perspectives and future directions. Journal of Management, v. XX, n. X, p. 1–35, 2018.

STUMPF, S. A. A longitudinal study of career success, embeddeness, and mobility of early professionals. Journal of Vocational Behavior, v. 85, n. 2, p. 180-190, 2014.

STURGES, J. et al. A longitudinal study of the relationship between career management and organizational commitment among graduates in the first ten years at work. Journal of Organizational Behavior, v. 23, n. 6, p. 731–748, 2002.

SULLIVAN, S. E.; ARTHUR, M. B. The evolution of boundaryless career concept: Examining physical and psychological mobility. Journal of Vocational Behavior, v. 69, p.19-29, 2006.

SULLIVAN, S. E.; BARUCH, Y. Advances in career theory and research: A critical review and agenda for future exploration. Journal of Management, v. 35, p. 1542-1571, 2009.

TAUIL, A.; MAINARDES, E. W. Escolha de cursos de pós-graduação lato sensu e os seus fatores determinantes. Revista GUAL, v. 8, n. 3, p. 219–239, 2015.

VAN DER HEIJDEN, B. Prerequisites to guarantee life-long employability. Personnel Review, v. 31, n. 1, p. 44–61, 2002.

Publicado

2020-09-01

Edição

Seção

Artigos