Cultura organizacional de uma universidade brasileira: Uma análise dos valores e práticas organizacionais na percepção dos docentes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1983-4535.2021.e75461

Palavras-chave:

Cultura organizacional, Universidades, Docentes

Resumo

A cultura da organização exerce reflexos em diversos âmbitos do trabalho e no comportamento organizacional. Por isso, este estudo teve como objetivo identificar a cultura organizacional de uma universidade brasileira. Trata-se de um estudo de caso de abordagem mista. Na etapa quantitativa utilizou-se o Instrumento Brasileiro para Avaliação da Cultura Organizacional, em que se obteve dados de 200 respondentes, submetidos a análises de estatística descritiva e padronização das escalas. A etapa qualitativa deu-se por meio de entrevistas com 8 docentes, que passaram por análise de conteúdo. Os resultados indicam uma percepção positiva a respeito cultura organizacional da universidade, já que todos os fatores foram classificados de moderado a alto. Esses dados foram corroborados pelas análises qualitativas, pelas quais é possível indicar a elaboração de estratégias para modificação gradual da cultura organizacional visando proporcionar um local de trabalho com uma cultura que favoreça ainda mais o desenvolvimento das atividades dos docentes.

Biografia do Autor

Maria Julia Pegoraro Gai, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda em Psicologia na Universidade Federal de Santa Catarina na linha de Processos psicossociais e de saúde no trabalho e nas organizações, Mestre em Administração pela Universidade Federal de Santa Maria (2020) na linha de Gestão de Pessoas e Comportamento Organizacional e Bacharel em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Maria

Vânia Medianeira Flores Costa, Universidade Federal de Santa Maria

Doutora em Administração pela Universidade Federal da Bahia (2008), mestre em Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina (2000) e graduada em Administração pela Universidade Federal de Santa Maria (1992).

Luis Felipe Dias Lopes, Universidade Federal de Santa Maria

Doutor em Engenharia de Produção e Sistemas pela Universidade Federal de Santa Catarina (2001), mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Maria (1994) e graduado em Matemática pela Faculdade Imaculada Conceição (1988).

Natália Funghetto Dapieve, Universidade Federal de Santa Maria

Acadêmica de Administração na Universidade Federal de Santa Maria

Mauren Pimentel Lima, Universidade Federal de Santa Maria

Enfermeira formada pela Universidade Franciscana (UFN), especialista e Gestão da Organização em Saúde pela Universidade Federal de Santa Maria e mestre em Administração pela Universidade Federal de Santa Maria.

Referências

AMARAL, G. A.; BORGES, A. L.; JUIZ A. P. M. Organização do trabalho, prazer e sofrimento de docentes públicos federais. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, 20 (1), 15-28, 2017.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BARALE, R. F.; SANTOS, B. R. Cultura organizacional: Revisão sistemática da literatura. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, 17 (2), 129-136, 2017.

BARBIERI, U. F. Gestão de pessoas nas organizações: conceitos básicos e aplicações. São Paulo: Atlas, 2016.

BARBOSA, L. Cultura e empresas. Rio de Janeiro: Zahar, 2002.

BENDASOLLI, P. F. Work and culture: Approaching cultural and work psychology. Culture & Psychology, 23 (3), 372-390, 2016.

BOSI, A. P. A precarização do trabalho docente nas instituições de ensino superior do brasil nesses últimos 25 anos. Educação & sociedade. 28 (101), 1503-1523, 2007.

CANAN, S. R. & SANTOS, C. F. S. Educação superior em tempos de crise: há espaço nas políticas de educação para a discussão do professor universitário? EccoS Revista Cientifica, 48, 339-36, 2019.

COSTA, S. G. Comportamento organizacional: cultura e casos brasileiros. Rio de Janeiro: LTC, 2014.

DIAS, R. Cultura organizacional: construção, consolidação e mudanças. São Paulo: Atlas, 2013.

FLEURY, M. T. L. Estórias, mitos, heróis: cultura organizacional e relações do trabalho. Revista de Administração de Empresas, 27 (4),7-18, 1987.

FLEURY, M. T. L. Aprendendo a mudar – aprendendo a aprender. Revista de Administração. 30 (3), 5-11, 1995.

FERREIRA, M. C.; ASSMAR, E. M. L.; ESTOL, K. M. F.; HELENA, M. C. C. C.; CISNE, M. C. F. Desenvolvimento de um instrumento brasileiro para avaliação da cultura organizacional. Estudos de Psicologia, 7 (2), 271-280, 2002.

FERREIRA, M. C.; ASSMAR, E. M. L. Cultura Organizacional. In: SIQUEIRA, M. M. M. et al. (Orgs). Medidas do Comportamento Organizacional: ferramentas de diagnóstico e de gestão. São Paulo: Artmed, 2008.

HAIR, JR. J. F.; BLACK, W.C.; ANDERSON, R. E.; TATHAN, R. L. Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman, 2009.

JUST, M. D.; BATISTELLA, C.; TAUFFER, E.; MACKE, J. A. Cultura Organizacional em uma Instituição de Ensino Superior Privado, na Perspectiva de Diferentes Públicos. Contextus - Revista Contemporânea de Economia e Gestão, 16 (1), 8-31, 2018.

LEMOS, D. Trabalho docente nas universidades federais: tensões e contradições. Caderno CRH, 24 (1),105-120, 2011.

LOPES, L. F. D. Métodos Quantitativos Aplicados ao Comportamento Organizacional. Santa Maria: Voix, 266, 2018.

LORENTZIADIS, R. A. B. Cooperação Organizacional: Sua importância e promoção sob os aspectos da motivação e da personalidade. 2002. Dissertação de Mestrado, Administração de Empresas, Escola Brasileira de Administração Pública, Empresas da Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2002.

MARQUESE, E. C.; MORENO, C. R. C. Satisfação no trabalho - uma breve revisão. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional. 30 (112), 69-79, 2005.

PACHANE, G. G.; PEREIRA, E. M. A. Em relação à formação pedagógico-pedagógica e construção de um novo perfil para professores universitários. Revista Ibero-americana de Educação, 35 (1), 1-13, 2004.

PATRUS, R.; DANTAS, D. C.; SHIGAKE, H. B.O produtivismo acadêmico e seus impactos na pós-graduação stricto sensu: uma ameaça à solidariedade entre pares? Cadernos EBAPE.BR, 13 (1), 2015.

PEREZ, F. C.; COBRA, M. Cultura organizacional e gestão estratégica: a cultura como recurso estratégico. São Paulo: Atlas, 2017.

PÉREZ, J. T.; RODRÍGUEZ, J. F. G. La cultura organizacional y la satisfacción laboral en la delegación federal de la secretaría de educación pública (sep) en el estado de tabasco. Hitos De Ciencias Economico Administrativas, 22 (64), 184-202, 2016.

SILVA, M. P., SIMÕES, J. M. O estudo do sentido do trabalho: contribuições e desafios para as organizações contemporâneas. Revista Capital Científico - Eletrônica (RCCe), 13 (3), 2015.

SCHEIN, E. H. Coming to a new awareness of organizational culture. Sloan Management Review. Massachusetts Institute of Technology, 25 (2), 3-16, 1984.

SCHEIN, E. H. Cultura organizacional e liderança. São Paulo: Atlas, 2009.

Downloads

Publicado

2021-05-01

Edição

Seção

Artigos