Discursos sobre leitura e interatividade em reformas gráfico-editoriais de jornais impressos em tempos de tecnologias digitais

Autores

  • Ana Elisa Ferreira Ribeiro Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-6924.2010v7n1p110

Palavras-chave:

Jornal Impresso, Reforma Gráfico-Editorial, Projeto Gráfico, Interatividade.

Resumo

 

Este artigo discute, com base em teorias críticas da comunicação e fundamentado especialmente em Dominique Wolton e Lucien Sfez, a utilização do conceito de “interatividade” como argumento de venda na mudança gráfica de jornais impressos. Os casos discutidos são o Estado de Minas e O Tempo, de Minas Gerais, nas reformas gráfico-editoriais ocorridas, respectivamente, em 2004 e 2008. São citadas também reformas da Folha de São Paulo ao longo das décadas de 1980-90. Conclui-se pela existência de uma histórica argumentação em torno de promessas de interatividade de atenção ao leitor.

Biografia do Autor

Ana Elisa Ferreira Ribeiro, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

Doutora em Linguística Aplicada pela UFMG, com pós-doutorado em Comunicação Social pela PUC-Minas. Professora do mestrado em Estudos de Linguagens e do Departamento de Linguagem & Tecnologia do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais.

Downloads

Publicado

2010-04-08

Edição

Seção

Núcleo Temático