Autonomia do jornalista, ética e política editorial: as implicações do enquadramento da notícia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-6924.2020v17n1p96

Palavras-chave:

Enquadramento da notícia, Ética da comunicação, Construtivismo

Resumo

Este trabalho pretende contribuir para o aprofundamento do estado da arte dos estudos de jornalismo, com relação à autonomia do jornalista quanto à política editorial dos veículos, a partir da avaliação das implicações éticas envolvidas na questão epistemológica da guinada linguística/pragmática dos paradigmas científicos tradicional positivista para o construtivista. Neste contexto, são abordadas questões controversas no campo de estudo do jornalismo como o conceito de objetividade e a autoria do jornalista na construção da notícia. Este propósito é perseguido desde os aportes pragmáticos de George Mead e Charles Peirce até as suas continuidades em teorizações mais recentes. A reflexão problematiza o compromisso do jornalismo com a ética da comunicação e uma postura moral pós-convencional fundamentada no compromisso do jornalismo com o fortalecimento da autoridade do público e o empoderamento da cidadania.

Biografia do Autor

Heitor Costa Lima Rocha, Universidade Federal de Pernambuco

Professor Associado do Departamento de Comunicação Social e do Programa em Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco. E-mail: hclrocha@gmail.com.

Anabela Maria Alves Gradim Alves, Universidade da Beira Interior/Portugal

Professora Auxiliar com Agregação, Coordenadora do Grupo de Comunicação e Media do LabCom e Diretora do Doutoramento em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior/Portugal. E-mail: agradim@gmail.com.

Referências

Carlson, Matt (2017), Journalistic Authority: Legitimating News in the Digital Era. New York: Columbia University Press

Correia, João Carlos F. (2016). “Prefácio”. In: Gradim, Anabela., Framing – O enquadramento das notícias. Lisboa: Livros Horizonte.

Entman, Robert (1993). “Framing: Toward clarification of a fractured paradigm”. Journal of communication, 43 (4), 51-58.

Gitlin, Todd (1980). The whole world is watching: Mass media in the making & unmaking of the new left: Univ of California Press.

Gradim, Anabela (2017). “Para uma leitura semiótica das teorias de framing: reinterpretando o enquadramento com base na categoria peirceana de terceiridade”. Revista Galáxia (35), 21-31. doi:http://dx.doi.org/10.1590/1982-2554127832

Gradim, Anabela (2016), Framing – O enquadramento das notícias. Lisboa: Livros Horizonte.

Gradim, Anabela (2006). Comunicação e Ética. O sistema semiótico de Charles S. Peirce. Covilhã: Labcom Books.

Habermas, Jurgen (1989), Consciência moral e agir comunicativo. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.

Habermas, Jurgen (1997), Direito e democracia: entre facticidade e validade (vol. 2). Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.

Habermas, Jurgen (2012), Teoria do agir comunicativo: sobre a crítica da razão funcionalista (vol. 2). São Paulo: Martins Fontes.

Hallin, Daniel C., & Mancini, Paolo (2004). Comparing media systems: Three models of media and politics. Cambridge: Cambridge University Press.

Kohlberg, Lawrence (1981), The meaning and measurement of moral development. Worcester, Mass. (EUA): Clark University Press.

Lakoff, George, & Johnson, Mark (2008). Metaphors we live by. Chicago: University of Chicago Press.

Lippman, Walter, 1922 (1998), Public Opinion, United Kingdom: Transaction Publishers.

Luhmann, Niklas (1993), A Improbabilidade da Comunicação. Lisboa: Vega

Mead, George (1967), Mind, self & society. Chicago: The University of Chicago Press.

Mindich, David (1998), Just the Facts – How “Objectivity” Came to Define American Journalism, New York and London: New York University Press.

Noelle-Neuman, Elizabeth (2017). A espiral do silêncio: nossa pele social. Florianópolis: Estudos Nacionais.

Park, Robert E., 1940 (1999), “News as a form of knowledge”, in Tumber, Howard (ed.), 1999, News – A Reader, UK: Oxford University Press.

Peirce, Charles Sanders, Collected Papers, vols. 1-8, ed. HARTSHORNE, Charles, WEISS, Paul, BURKS, William, 1931-1958, Harvard University Press, Cambridge, Massachusetts; Electronic Edition by Intelex Corporation, Charlottesville.

Schudson, Michael (2010), Descobrindo a notícia: uma história social dos jornais nos Estados Unidos. Petrópolis: Vozes.

Traquina, Nelson, 2004, A tribo jornalística. Lisboa: Editorial Notícias.

Tuchman, Gaye, (1972), “Objectivity as Strategic Ritual: An Examination of Newsmen's Notions of Objectivity”, in The American Journal of Sociology, Vol. 77, No. 4, p. 660-679, The University of Chicago Press.

Underhill, James W. (2011). Creating Worldviews: Metaphor, Ideology and Language. Edinburgh: Edinburgh University Press.

Wittgenstein, Ludwig (1975) Investigações Filosóficas. In: Os Pensadores, vol. XLVI, São Paulo: Abril.

Downloads

Publicado

2020-06-18