Arrebatamento comunicacional pelo sensível e desacontecimento jornalístico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-6924.2021.e80754

Palavras-chave:

Nova Teoria da Comunicação, Cotidiano, Desacontecimento

Resumo

Em dialogia com as reflexões de Ciro Marcondes Filho sobre a Nova Teoria da Comunicação, este artigo busca entrecruzamentos teóricos de um tal escopo com a prática jornalística a partir da noção de desacontecimento noticioso. Enquanto estratégia de narração de fatos não-marcados, o desacontecimento dedica interesse a relatos da cotidianidade do homem ordinário, em contraponto aos tradicionais critérios de desvio e proeminência que atravessam a cobertura hegemônica, colhendo das construções de sentidos rotineiras marcas de resistência íntima e social para tessituras intersubjetivas. O presente estudo inscreve, nessa dinâmica, um horizonte possível a uma mediação jornalística sensível e de acolhimento ao Outro, nas trilhas de uma comunicação como fenômeno arrebatador.

Biografia do Autor

Tayane Aidar Abib, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP)

Mestre e Doutoranda em Comunicação pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). Bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Mauro Ventura, Unesp/ Professor

Professor adjunto do Departamento de Comunicação Social da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Livre- Docente em Jornalismo. Doutor em Teoria Literária e Literatura Comparada pela Universidade de São Paulo (USP).

Referências

BENETTI, M. O jornalismo como acontecimento. In: VII Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor). Anais Eletrônicos... São Paulo: USP, 2004.

BENETTI, M; FONSECA, V. Jornalismo e Acontecimento: mapeamentos críticos. Florianópolis: Insular, 2010.

BUBER, M. Do diálogo e do dialógico. São Paulo: Perspectiva, 1982.

BUBER, M. Eu e tu. 2ª edição revista. São Paulo: Cortez & Moraes, 1979.

CHALABY, J. The invention of journalism. London: MacMillan Press, 1998.

CHARAUDEAU, P. Discurso das mídias. São Paulo: Contexto, 2009.

CERTEAU, M. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

CERTEAU, M.; GIARD, L.; MAYOL, P. A invenção do cotidiano 2: morar, cozinhar. Petrópolis: Vozes, 1996.

DOSTOIEVSKI, F. Os irmãos Karamázov. São Paulo: editora 34, 2012.

ESQUIROL, J. El respirar de los días. Barcelona: Paidós, 2009.

ESQUIROL, J. La resistencia íntima: ensayo de una filosofía de la proximidad. Barcelona: Acantilado, 2015.

ESQUIROL, J. La penúltima bondat: assaig sobre la vida humana. Barcelona: Quaderns Crema, 2018.

GALTUNG, J.; RUGE, M. The structure of foreign news. Journal of Peace Research, v.2, n.1, p.64-91, 1965.

GANS, H. Deciding what is news. Evanston, IL: Northwestern University Press, 2004.

GOMES, W. Jornalismo, fatos e interesses: ensaios de teoria do jornalismo. Florianópolis, Insular/POSJOR-UFSC, 2009.

HALL, S. et al. A produção social das notícias: o mugging nos media. In: TRAQUINA, N. (org.). Jornalismo: questões, teorias e 'estórias'. Lisboa: Vega, 1999.

KÜNSCH, D. Maus pensamentos: os mistérios do mundo e a reportagem jornalística. São Paulo: Annablume: FAPESP, 2005.

LÉVINAS, E. Humanismo de outro homem. Petrópolis, RJ. Vozes, 1993.

LÉVINAS, E. Entre nós: ensaios sobre a alteridade. Petrópolis: Vozes, 1997.

LÉVINAS, E. Ética e infinito. Lisboa: Edições 70, 1982.

MAFFESOLI, M. No fundo das aparências. Petrópolis: Vozes, 1996.

MARCONDES FILHO, C. O rosto e a máquina: o fenômeno da comunicação visto pelos ângulos humano, medial e tecnológico. São Paulo: Paulus, 2013.

MARCONDES FILHO, C. Para entender a comunicação: conceitos antecipados com a nova teoria. São Paulo: Paulus, 2008.

MARCONDES FILHO, C. Comunicação do sensível. São Paulo: ECA/USP, 2019.

MARCONDES FILHO, C. O espelho e a máscara: o enigma da comunicação no caminho do meio. São Paulo: Discurso Editorial; Ijuí: Unijuí, 2002.

MARCONDES FILHO, C. O escavador de silêncios: formas de construir e desconstruir sentidos na comunicação. São Paulo: Paulus, 2004.

MARCONDES FILHO, C. Para entender a comunicação: conceitos antecipados com a nova teoria. São Paulo: Paulus, 2008.

MARTINI, S. Periodismo, noticia y noticiabilidad. Buenos Aires: Editorial Norma, 2000

MEDINA, C. O signo da relação: comunicação e pedagogia dos afetos. São Paulo: Paulus, 2006.

MEDINA, C. Ciência e jornalismo: da herança positivista ao diálogo dos afetos. São Paulo: Summus, 2008.

MEDINA, C. Atravessagem: reflexos e reflexões na memória de repórter. São Paulo: Summus, 2014.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

MORAES, F. Subjetividade: Ferramenta para um jornalismo mais íntegro e integral. Extraprensa, São Paulo, v. 12, n. 2, p. 204 – 219, jan./jun. 2019.

PATOCKA, J. El movimiento de la existencia humana. Encuentro, 2004.

PEUCER, T. Os relatos jornalísticos. Revista Estudos em Jornalismo e Mídia, v.1, n.2, p.13-29, 2004.

PONTE, C. Os jornalistas como “comunidade interpretativa transnacional”. Estudos em Jornalismo e Mídia (Florianópolis), v. 6, nº. 1, 2009.

RODRIGUES, A. O acontecimento. In: TRAQUINA, Nelson (Org). Jornalismo: questões, teorias e “estórias”. Lisboa: Vega, 1999.

ROSHCO, B. Newsmaking. Chicago: The University of Chicago Press, 1975.

SCHUDSON, M. The socology of news production. Media, Culture, and Society. v.11, n. 3, p. 263-282, 1989.

SHOEMAKER, P. News and newsworthiness: a commentary. Communications, v.31, p.105-111, 2006.

SILVA, G.; SILVA, M.; FERNANDES, M. (Orgs). Critérios de noticiabilidade: problemas conceituais e aplicações. Florianópolis: Insular, 2014.

SILVA, M. As dissonâncias cotidianas nas rotinas dos jornais. Estudos em Jornalismo e Mídia, v.7, n.1, p.69-84, jan/jun. 2010.

SILVA, M. Como os acontecimentos se tornam notícia. Estudos em Jornalismo e Mídia, v. 10, n.1, p.173-184, jan/jun. 2013.

SODRÉ, M. A narração do fato: notas para uma teoria do acontecimento. Petrópolis: Vozes, 2009.

SODRÉ, M. A ciência do comum: notas para o método comunicacional. Petrópolis: Vozes, 2014.

TRAQUINA, N. Teorias do jornalismo: a tribo jornalística – uma comunidade interpretativa transnacional. Vol. 2. Florianópolis: Insular, 2005.

TUCHMAN, G. Making news: a study in the construction of the reality. New York, The Free Press, 1978.

WOLF, M. Teorias da Comunicação. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

WOLTON, D. É preciso salvar a comunicação. São Paulo: Paulus, 2006.

WOLTON, D. Pensar a comunicação. Brasília: Ed. Da UnB, 2004.

ZELIZER, B. Os jornalistas enquanto comunidade interpretativa. In: TRAQUINA, Nelson (Org.). Jornalismo 2000. Lisboa: Relógio d’água, 2000.

Downloads

Publicado

2022-01-03