A categoria ideologia em Marx e a questão da “falsa consciência”

Luiz Agostinho de Paula Baldi

Resumo


O presente artigo versa sobre a categoria ideologia em Marx e seu debate em torno da questão da “falsa consciência”. Para tanto, se baseia nas formulações de Marx sobre alienação e fetichismo da mercadoria, que possibilitam apreender esta categoria. Posteriormente, expõe uma aproximação ao debate corrente na tradição marxista, por meio de alguns autores contemporâneos que trabalharam o tema, explicitando polêmicas analíticas que implicam na questão se a ideologia deve ser apreendida apenas em seu sentido negativo, como “falsa consciência”, ou também num sentido mais amplo, considerando as formulações do campo do trabalho, críticas à ideologia dominante, como positivamente ideológicas, apontando para a superação do modo de produção capitalista. O resultado deste estudo assinala a importância de se apreender a ideologia em seu sentido negativo, considerando a centralidade da dimensão de “falsa consciência”, desde que compreendida numa perspectiva dialética, como consciência invertida de uma sociedade que se apresenta de modo invertido.


Palavras-chave


Ideologia; Alienação; Fetichismo; Consciência; Falsa consciência

Texto completo:

PDF/A

Referências


EAGLETON, T. O que é ideologia? In: EAGLETON, T. Ideologia: uma introdução. São Paulo: Boitempo: Editora da Universidade Estadual Paulista,1997. p. 15-40.

IASI, M. Alienação e ideologia: a carne real das abstrações ideais. In: IASI, M. Política, Estado e Ideologia na trama conjuntural. São Paulo: Instituto Caio Prado Jr., 2017. p. 85-112.

IASI, M. Consciência e revolução no pensamento marxista. In: IASI, M. O dilema de Hamlet: o ser e o não ser da consciência. São Paulo: Viramundo, 2002. p. 91-138.

KONDER, L. A questão da ideologia em Marx. In: KONDER, L. A questão da ideologia. São Paulo: Companhia das Letras, 2002. p. 30-50.

KONDER, L. Introdução. In: KONDER, L. A questão da ideologia. São Paulo: Companhia das Letras, 2002. p. 9-14.

LÖWY, M. Ideologia. In: LÖWY, M. Ideologias e ciência social: elementos para uma análise marxista. 20. ed. São Paulo: Cortez, 2015. p. 17-45.

LUKÁCS, G. A reificação e a consciência do proletariado. In: LUKÁCS, G. História e consciência de classe: estudos sobre a dialética marxista. São Paulo: Martins Fontes, 2003. p. 193-240.

MARX, K. Capítulo 1. A mercadoria. In: MARX, K. O Capital: crítica da economia política. Livro I. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2017. p. 113-158.

MARX, K. Prefácio. In: MARX, K. Contribuição à crítica da economia política. 2. ed. São Paulo: Expressão popular, 2008. p. 47-52.

MARX, K.; ENGELS, F. Primeira parte. In: MARX, K.; ENGELS, F. A Ideologia Alemã. São Paulo: Boitempo, 2007. p. 29-95.

MARX, K. Trabalho estranhado e propriedade privada. In: MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2010. p. 79-90.

MÉSZÁROS, I. Transformações materiais e formas ideológicas. In: MÉSZÁROS, I. Estrutura social e formas de consciência II: a dialética da estrutura e da história. São Paulo: Boitempo, 2011. p. 105-176.

PAULO NETTO, J. Capitalismo e reificação. São Paulo: Ciências Humanas, 1981.




DOI: https://doi.org/10.1590/1982-02592019v22n3p631

R. Katál. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil eISSN: 1982-0259  

Licença Creative Commons Adota a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.