Cidadania e eqüidade de gênero: políticas públicas para mulheres excluídas dos direitos mínimos

Autores

  • Teresa Kleba Lisboa UFSC - Florianópolis - SC
  • Daniele Beatriz Manfrini MPSC - Balneario Camboriu - SC

DOI:

https://doi.org/10.1590/%25x

Palavras-chave:

Cidadania, Eqüidade de gênero, Famílias monoparentais, Políticas públicas, Citizenship, Gender equity, Single parent families, Public policies

Resumo

 

Este artigo originou-se de um projeto de pesquisa, desenvolvido pelo do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Serviço Social e Relações de Gênero (NUSSERGE), que teve como objetivo discutir políticas públicas destinadas a mulheres excluídas dos direitos mínimos. A maioria das decisões públicas, que afeta as mulheres, é guiada por preferências masculinas e não por necessidades femininas. Pretende-se neste artigo, discorrer sobre os difíceis percursos que têm marcado a história das mulheres na conquista de sua cidadania e empoderamento, enfocar a necessidade de considerar a eqüidade de gênero na elaboração de políticas, chamar atenção e sobre o descaso do poder público em relação à questão da violência contra mulheres. Enfim, destacar o papel do Estado em relação à demanda de políticas públicas para mulheres excluídas para que elas possam exercer de fato sua verdadeira cidadania.

Biografia do Autor

Teresa Kleba Lisboa, UFSC - Florianópolis - SC

Possui graduação em Serviço Social pela UFSC, mestrado em Sociologia Política pela UFSC e doutorado em Sociologia pela UFRS do Sul. Atualmente é professora adjunta da UFSC. Tem experiência na área de Serviço Social, com ênfase em Serviço Social e Relações de Gênero, atuando principalmente nos seguintes temas: eqüidade de gênero nas políticas públicas, mulheres chefes de família e excluídas dos direitos mínimos, violência de gênero, empoderamento e cidadania.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Daniele Beatriz Manfrini, MPSC - Balneario Camboriu - SC

Possui graduação em Serviço Social pela UFSC (2004). Atualmente é assistente social do Ministério Público do Estado de Santa Catarina e mestranda em Serviço Social no Programa de Pós Graduação em Serviço Social da UFSC. Tem experiência na área de Serviço Social, atuando principalmente nos seguintes temas: Ministério Público, Serviço Social, gênero, políticas públicas e famílias chefiadas por mulheres.

Downloads

Publicado

2005-01-01