Sobre o método da história oral em sua modalidade trajetórias de vida

Autores

  • Rita de Cássia Gonçalves UFSC - Florianópolis - SC
  • Teresa Kleba Lisboa UFSC - Florianópolis - SC

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1414-49802007000300009

Palavras-chave:

Pesquisa qualitativa, Pressupostos epistemológicos, História oral, Trajetórias de vida, Qualitative research, Epistemological presumptions, Oral history, Life trajectories

Resumo

Este artigo busca explorar o potencial da pesquisa qualitativa, apresentando o método da história oral na sua modalidade trajetórias de vida, com o propósito de discutir a possibilidade de sua utilização em investigações científicas na profissão de Serviço Social. Situa os fundamentos epistemológicos da história oral, conferindo-lhe o caráter científico. Apresenta a modalidade trajetórias de vida como um constructo histórico e social que utiliza diferentes técnicas de entrevista para dar voz aos sujeitos até então invisíveis, anunciando as principais etapas dos procedimentos metodológicos utilizados nesta abordagem. Destaca, nas conclusões, a importância da construção desse modelo, sua projeção como uma proposta investigativa que implica um processo de compreender e analisar os universos sociais contextualizados e interconectados à luz da realidade das trajetórias de vida dos sujeitos pesquisados.

Biografia do Autor

Rita de Cássia Gonçalves, UFSC - Florianópolis - SC

Possui graduação em Serviço Social, especialização e mestrado em Serviço Social pela UFSC. Atuando principalmente no seguinte tema: significado do envelhecimento do mercado de trabalho.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Teresa Kleba Lisboa, UFSC - Florianópolis - SC

Possui graduação em Serviço Social pela UFSC, mestrado em Sociologia Política pela UFSC e doutorado em Sociologia pela UFRS do Sul. Atualmente é professora adjunta da UFSC. Tem experiência na área de Serviço Social, com ênfase em Serviço Social e Relações de Gênero, atuando principalmente nos seguintes temas: eqüidade de gênero nas políticas públicas, mulheres chefes de família e excluídas dos direitos mínimos, violência de gênero, empoderamento e cidadania.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Downloads

Publicado

2007-05-05