Violência e socioeducação: uma interpelação ética a partir de contribuições da Justiça Restaurativa

Autores

  • Beatriz Gershenson Aguinsky PUCRS - Porto Alegre - RS
  • Lúcia Capitão FASE - Porto Alegre - RS

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1414-49802008000200011

Palavras-chave:

Violência, Socioeducação, Justiça Restaurativa, Violence, Socioeducation, Restorative Justice

Resumo

O presente trabalho debruça-se sobre a violência na contemporaneidade e a construção social do preconceito em relação à juventude em conflito com a lei. Desvela-se a socioeducação privativa de liberdade em suas premissas punitivas e tutelares que produzem um sistema de frágil resolutividade do atendimento. A proposta da Justiça Restaurativa é apresentada como uma possibilidade de avanço naquilo que preconiza o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), por instituir práticas socioeducativas democráticas articuladas à rede de atendimento das políticas públicas da infância e juventude, oportunizando assim co-responsabilidades nas intervenções institucionais, na perspectiva de um Sistema de Garantia de Direitos para adolescentes privados de liberdade.

Biografia do Autor

Beatriz Gershenson Aguinsky, PUCRS - Porto Alegre - RS

Possui graduação em Serviço Social pela PUCRS (1982), graduação em Ciências Jurídicas e Sociais pela UFRGS (1985) e doutorado em Serviço Social pela Pontifícia PUCRS Sul (2003). Atualmente é professor adjunto da PUCRS, assistente social - Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul, editora da Revista Textos e Contextos da Faculdade de Serviço Social da PUCRS, avaliador de instituto de educação superior do Ministério da Educação e membro do conselho editorial científico da Revista Katalysis da UFSC. Tem experiência na área de Serviço Social, com ênfase em Infância e Juventude, atuando principalmente nos seguintes temas: serviço social, justiça restaurativa, direitos humanos, ética e formação profissional.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Lúcia Capitão, FASE - Porto Alegre - RS

Possui graduação (1985) e pós-graduação - mestrado (2008) em Serviço Social pela PUCRS. Atualmente é assistente social da Fundação de Atendimento Socio Educativo do Rio Grande do Sul - FASE. Tem experiência na área de Serviço Social, com ênfase na área da Infância e Juventude, atuando principalmente nos seguintes temas: vulnerabilidade social, sócio-educativo, ético-politico e rede social.

Downloads

Publicado

2008-01-01