Análise de saque e devolução de saque em em diferentes tipos de quadra em jogadores de tênis de elite

Autores

Palavras-chave:

Análise de dados, Desempenho atlético, Esportes de raquete

Resumo

O objetivo do presente estudo foi analisar as interações dos jogadores em situações de saque e retorno de saque e examinar como os pontos foram decididos em função do posicionamento em quadra e dos tipos de superfície. Quatorze partidas do torneio ATP 1000 foram analisadas (7 em superfície dura; 7 em superfície de saibro). O tipo de piso não influenciou a forma como os pontos são definidos (χ²=9,26; p > 0,05), mas apresentou efeito sobre o posicionamento vertical na devolução de saque (χ²=270,86; p < 0.001). O posicionamento na devolução de saque, tanto vertical como lateral (no lado de iguais χ² = 92,68; p < 0,001 e no lado da vantagem χ²=78,98; p < 0,001), e o tipo de saque (χ²=45,13; p < 0.001) afetaram a forma como os pontos foram definidos. Os resultados do presente estudo sugerem que os tenistas devem usar, ou pelo menos buscar, estratégias de jogo baseadas na agressividade e consistência do 1º saque. Os resultados também indicam que na devolução do 2º saque os jogadores são mais ofensivos, e que nas superfícies duras os jogadores ficam alguns passos dentro da quadra para devolver o saque, diferentemente das superfícies de saibro. Recomenda-se que devoluções de saque combinem agressividade, por posicionamento dentro da quadra, e acurácia.

Referências

Hughes MD, Bartlett RM. The use of performance indicators in performance analysis. J Sports Sci. 2002;20(10):739-54.

O’Donoghue P, Liddle S. A match analysis of elite tennis strategy for ladies’ singles on clay and grass surface. In: Proceedings of the science and racket sports II. London, FN Spon; 1998. p. 247-53.

O’ Donoghue P, Ingram B. A notational analysis of elite tennis strategy. J Sports Sci. 2001;19(2):107-15.

Capel-Davies J, Page J, Chong N. ITF approved tennis balls, classified surfaces & recognised courts 2015. London, International Tennis Federation; 2015.

Cross R, Pollard G. Grand Slam men’s singles tennis 1991-2009 serve speeds and other related data. ITF Coach Sport Sci Rev. 2009;16(49):8-10.

Collinson L, Hughes M. Surface effect on the strategy of elite female tennis players. J Sports Sci. 2003;21(4):266-7.

Hizan H, Whipp PR, Reid M. Validation of match notation (a coding system) in tennis. J Quant Anal Sports. 2010;6(3):1-13.

Haake S, Rose P, Kotze J. Reaction time testing and grand slam tie-break data. In: Proceedings of the tennis science and technology. Oxford, Blackwell Science; 2000. p. 269-78

Gillet E, Leroy D, Thouvarecq R, Stein JF. A notational analysis of elite tennis serve and serve-return strategies on slow surface. J Strength Cond Res. 2009;23(2):532-9.

Carvalho J, Araújo D, Travassos B, Esteves P, Pesanha L, Pereira F, Davids K. Dynamics of players relative positioning during baseline rallies in tennis. J Sport Sci. 2013;31(14):1596-605.

Palut Y, Zanone PG. A dynamical analysis of tennis: concepts and data. J Sports Sci. 2005;23(20):1021-32.

Gullikson T, MacCurdy D. Fast court tactics - part 2. ITF Coach Sport Sci Rev. 2002;28(1):2-3.

Kleinoder H, Mester J. Strategies for the return of 1st and 2nd serves. In: Proceedings of the tennis science and technology. Oxford, Blackwell Science; 2000. p. 401-8.

Hughes M, Franks I.. Notational analysis: a review of the literature. In: Notational analysis of sport. London: Routledge; 2004. p. 59-106.

Takahashi H, Wada T, Maeda A, Kodama M, Nishizono H, Kurata H. The relationship between court surface and tactics in tennis using a computerized scorebook. Int J Perf Anal Spor. 2006;6(2):15-25.

Downloads

Publicado

2021-03-10

Edição

Seção

Artigos Originais