Nível de atividade física em jovens escolarizados com excesso de peso: uma revisão sistemática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-0037.2021v23e82375

Palavras-chave:

Adolescentes, Crianças, Obesidade, Atividade motora, Comportamento sedentário

Resumo

O objetivo desta revisão sistemática foi identificar a associação entre excesso de peso, obesidade e nível de atividade física em crianças e adolescentes brasileiros, no ambiente escolar. A busca eletrônica foi realizada nas principais bases de dados de referência (PubMed, LILACS, SciELO, SPORTDiscus, Web of Science, ERIC). A pesquisas nas bases resultaram em 3265 títulos potencialmente relevantes (2775 títulos após análise duplicada); 21 estudos preencheram todos os critérios de inclusão e foram analisados. Os estudos foram realizados entre 2007 e 2019, 47,6 % deles foram realizados no sul do Brasil, e apenas uma pesquisa foi realizada a nível nacional. Foi identificado prevalências de 5,4% a 21% para sobrepeso, 3,5% a 16,9% para obesidade e 11,8% a 40,1% para excesso de peso (obesidade + sobrepeso). De acordo com os resultados, 64,3% dos jovens com sobrepeso, 69,8% dos obesos e 37,7% daqueles com excesso de peso foram considerados insuficientemente ativos. A não padronização dos instrumentos para avaliar os níveis de atividade física e a pouca representatividade de outras regiões brasileiras foram classificadas como lacunas importantes. Os resultados reforçam o aumento da prevalência de excesso de peso em crianças e adolescentes no Brasil, e a alta prevalência de inatividade física entre estes jovens. A cada dez jovens acima do peso, seis são insuficientemente ativos.

Biografia do Autor

Roberto Jeronimo dos Santos Silva, Universidade Federal de Sergipe

Programa de Pós-Graduação em Educação Física - Mestrado em Educação Física

Departamento de Educação Física

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Vigitel Brasil 2018: Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquerito telefônico [Internet]. G. Estatística e Informação em Saúde. 2019. Available from: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/vigitel_brasil_2019_vigilancia_fatores_risco.pdf [2021 may 20].

Singh RK, Kumar P, Mahalingam K. Molecular genetics of human obesity: A comprehensive review. C R Biol. 2017 Feb;340(2):87–108.

Obesity: preventing and managing the global epidemic. Report of a WHO consultation. Vol. 894, World Health Organization technical report series. Switzerland; 2000.

Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade. Mapa da obesidade [Internet]. Mapa da obesidade [Internet]. Abeso. 2021 [cited 2021 May 29].

Simões CF, Lopes WA, Remor JM, Locateli JC, Lima FB, dos Santos TLC, et al. Prevalence of weight excess in Brazilian children and adolescents: A systematic review. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum 2018;20(4):517–31.

Guerra PH, Farias Júnior JC, Florindo AA. Sedentary behavior in Brazilian children and adolescents: a systematic review. Rev Saude Publica 2016;50:9.

Nunes MM, Figueiroa JN, Alves JGB. Overweight, physical activity and foods habits in adolescents from different economic levels, Campina Grande (PB). Rev Assoc Med Bras 2007;53(2):130–4.

Suñé FR, Dias-Da-Costa JS, Olinto MTA, Pattussi MP. Prevalence of overweight and obesity and associated factors among schoolchildren in a southern Brazilian city. Cad Saude Publica 2007;23(6):1361–71.

Cureau FV, Duarte PM, dos Santos DL, Reichert FF, Zanini RR. Sobrepeso/obesidade em adolescentes de Santa Maria-RS: Prevalência e fatores associados. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum 2012;14(5):517–26.

Corso ACT, Caldeira GV, Fiates GMR, Schmitz B, Ricardo GD, de Vasconcelos F de AG. Behavioral factors associated with overweight and with obesity in students in the State of Santa Catarina. Rev Bras Estud Popul 2012;29(1):117–31.

Silva Júnior LM, Santos AP, Souza OF, Farias E dos S. Prevalência de excesso de peso e fatores associados em adolescentes de escolas privadas de região urbana na Amazônia. Rev Paul Pediatr 2012;30(2):217–22.

Casonatto J, Fernandes RA, Batista MB, Cyrino ES, Coelho-e-Silva MJ, de Arruda M, et al. Association between health-related physical fitness and body mass index status in children. J Child Heal Care 2016;20(3):294–303.

Guilherme FR, Molena-Fernandes CA, Guilherme VR, Fávero MTM, Reis EJB Dos, Rinaldi W. Inatividade física e medidas antropométricas em escolares de Paranavaí, Paraná, Brasil. Rev Paul Pediatr 2015;33(1):50–5.

Coledam DHC, Ferraiol PF. Engagement in physical education classes and health among young people: Does sports practice matter? a cross-sectional study. Sao Paulo Med J 2017;135(6):548–55.

Santos FK, Moura dos Santos MA, Almeida MB, Nobre IG, Nobre GG, Ferreira e Silva WT, et al. Biological and behavioral correlates of body weight status among rural Northeast Brazilian schoolchildren. Am J Hum Biol 2018;30(3):1–10.

Coledam DHC, Ferraiol PF, Greca JP de A, Teixeira M, de Oliveira AR. Physical education classes and health outcomes in brazilian students. Rev Paul Pediatr 2018;36(2):192–8.

Abbes PT, Lavrador MSF, Escrivão MAMS, Taddei JA de AC. Sedentarismo e variáveis clínico-metabólicas associadas à obesidade em adolescentes. Rev Nutr 2011;24(4):529–38.

Silva DAS, Petroski EL, Gaya ACA. Secular Changes in Aerobic Fitness Levels in Brazilian Children. Rev Bras Med Esporte 2017;23(6):450–4.

Fagundes ALN, Ribeiro DC, Naspitz L, Garbelini LEB, Vieira JKP, Silva AP da, et al. Prevalência de sobrepeso e obesidade em escolares da região de Parelheiros do município de São Paulo. Rev Paul Pediatr 2008;26(3):212–7.

Lamarão SKM, Alberto ÁAD, de Carvalho AP, de Oliveira Assis DF, Moreira DC. Prevalência de excesso de peso em adolescentes de escolas quilombolas e os fatores associados. RBONE-Revista Bras Obesidade, Nutr Emagrecimento 2019;13(81):750–8.

Silva KS, Nahas MV, Hoefelmann LP, Lopes ADS, De Oliveira ES. Associações entre atividade física, índice de massa corporal e comportamentos sedentários em adolescentes. Rev Bras Epidemiol 2008;11(1):159–68.

Moraes ACF, Fernandes CAM, Elias RGM, Nakashima ATA, Reichert FF, Falcão MC. Prevalence of physical inactivity and associated factors in adolescents. Rev Assoc Med Bras 2009;55(5):523–8.

Tassitano RM, Barros MVG, Tenório MCM, Bezerra J, Hallal PC. Prevalence of overweight and obesity and associated factors among public high school students in Pernambuco State, Brazil. Cad saúde pública 2009;25(12):2639–52.

Andreasi V, Michelin E, Rinaldi AEM, Burini RC. Physical fitness and associations with anthropometric measurements in 7 to 15-year-old school children. J Pediatr (Rio J) 2010;86(6):497–502.

Souza CDO, Fiaccone RL, Pinto EDJ, Terezinha L, Pimenta L. Associação entre inatividade física e excesso de peso em adolescentes de Salvador, Bahia - Brasil. Rev Bras Epidemiol 2010;13(3):468–75.

Rech RR, Halpern R, Costanzi CB, Bergmann ML, Alli LR, Mattos AP, et al. Prevalência de obesidade em escolares de 7 a 12 anos de uma cidade Serrana do RS, Brasil. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum 2010;12(2):90–7.

Cardoso LDO, Castro IRR, Gomes FDS, Leite IDC. Individual and school environment factors associated with overweight in adolescents of the municipality of Rio de Janeiro, Brazil. Public Health Nutr 2010;14(5):914–22.

Moher D, Liberati A, Tetzlaff J, Altman DG. Preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: the PRISMA statement. Plos Med 2009;6(7):e1000097.

Downs SH, Black N. The feasibility of creating a checklist for the assessment of the methodological quality both of randomised and non-randomised studies of health care interventions. J Epidemiol Community Health 1998;52(6):377–84.

Rossi CE, Vasconcelos F. Peso ao nascer e obesidade em crianças e adolescentes: uma revisão sistemática. Rev Bras Epidemiol 2010;13(2):246–58.

Thiengo DL, Santos JF, Mason V, Lima LA, Lovisi GM. Associação entre apoio social e depressão durante a gestação: uma revisão sistemática. Cad saúde colet 2011;19(2):129–38.

Silva DAS, Pelegrini A, Christofaro DGD, Ferrari EP, Ferrari GLM, Silva KS, et al. Report Card Brazil: Health indicators for children and adolescents (3rd edition). 2020; Available from: https://osf.io/sjgv9/ [2021 January 06].

Nahas MV. Atividade física, saúde e qualidade de vida. Londrina: Midiograf. 2001;3:278.

Florindo AA, Romero A, Peres SV, Silva MV da, Slater B. Desenvolvimento e validação de um questionário de avaliação da atividade física para adolescentes. Rev Saude Publica 2006;40:802–9.

Duarte Alberto AA, Figueira Junior AJ. Prevalência De Inatividade Física Em Adolescentes E Sua Associação Com Variáveis Socioculturais. Pensar Prát 2016;19(4):800–13.

Downloads

Publicado

2021-12-08

Edição

Seção

Artigos de Revisão