Prevalência de atividade física global entre jovens: uma atualização de revisão sistemática para o Report Card - Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-0037.2021v23e82643

Palavras-chave:

Adolescente, Brasil, Exercício, Saúde do adolescente, Saúde pública

Resumo

Este estudo objetivou atualizar a revisão do documento Report Card do Brasil, sobre a prevalência de atividade física (AF) global entre crianças e adolescentes brasileiros. A revisão sistemática incluiu uma busca eletrônica em 8 bases de dados (PubMed, Scopus, Web of Science, LILACS, SPORTDiscus, BIREME, Scielo e Google Scholar) e uma busca manual nas referências de estudos recuperados. Estudos publicados em 2018 e 2019 e que avaliaram a AF global entre jovens brasileiros foram incluídos na atualização. Uma abordagem narrativa em relação aos resultados foi adotada. A busca inicial atingiu 1892 títulos potencialmente relevantes (1244 títulos após análise duplicada); 62 (47 estudos diferentes) preencheram todos os critérios de inclusão. A maioria dos estudos da atualização foi realizada nas regiões Sul (40.4%) e Sudeste (25.5%) do Brasil. Seis estudos trouxeram dados sobre levantamentos nacionais (12,8%), e um estudo incluiu crianças pré-escolares (< 5 anos de idade). Dez estudos realizaram a medida objetiva de AF (acelerômetros ou pedômetros). Nos estudos da atualização, a proporção geral de jovens que eram fisicamente ativos variou de 9,8% a 79,6%. Três pesquisas nacionais relataram a prevalência de estudantes fisicamente ativos, variando de 18,4% a 78,8%. Observou-se um avanço nos levantamentos com medidas objetivas de AF e com crianças menores de 12 anos de idade com os estudos de 2018 e 2019. Contudo, lacunas importantes de pesquisa (p.ex., variações na mensuração da AF global até no mesmo estudo) devem ser consideradas para aprimorar o monitoramento e a avaliação da AF global no Brasil.

Referências

Bull FC, Al-Ansari SS, Biddle S, et al. World Health Organization 2020 guidelines on physical activity and sedentary behaviour. Br J Sports Med. 2020;54(24):1451-1462. doi:10.1136/bjsports-2020-102955

The Active Healthy Kids Global Alliance. The Global Matrix 4.0 on Physical Activity for Children and Youth. https://www.activehealthykids.org

Aubert S, Barnes JD, Abdeta C, et al. Global Matrix 3.0 Physical Activity Report Card Grades for Children and Youth: Results and Analysis From 49 Countries. J Phys Act Health. 2018;15(s2):S251-S273. doi:10.1123/jpah.2018-0472

Barbosa Filho VC, Costa RM da, Knebel MTG, Oliveira BN, Silva CB de A, Silva KS. The prevalence of global physical activity among young people: a systematic review for the Report Card Brazil 2018. Rev Bras Cineantrometria E Desempenho Hum. 2018;20(4):367-387. doi:http://dx.doi.org/10.5007/1980-0037.2018v20n4p367

Troiano RP, Stamatakis E, Bull FC. How can global physical activity surveillance adapt to evolving physical activity guidelines? Needs, challenges and future directions. Br J Sports Med. 2020;54(24):1468-1473. doi:10.1136/bjsports-2020-102621

Caspersen CJ, Powell KE, Christenson GM. Physical activity, exercise, and physical fitness: definitions and distinctions for health-related research. Public Health Rep Wash DC 1974. 1985;100(2):126-131. doi:10.2307/20056429

Lubans D, Richards J, Hillman C, et al. Physical Activity for Cognitive and Mental Health in Youth: A Systematic Review of Mechanisms. PEDIATRICS. 2016;138(3):e20161642-e20161642. doi:10.1542/peds.2016-1642

Poitras VJ, Gray CE, Borghese MM, et al. Systematic review of the relationships between objectively measured physical activity and health indicators in school-aged children and youth. Appl Physiol Nutr Metab. 2016;41(6):S197-S239. doi:10.1139/apnm-2015-0663

Karas M, Bai J, Strączkiewicz M, et al. Accelerometry Data in Health Research: Challenges and Opportunities: Review and Examples. Stat Biosci. 2019;11(2):210-237. doi:10.1007/s12561-018-9227-2

Migueles JH, Cadenas-Sanchez C, Ekelund U, et al. Accelerometer Data Collection and Processing Criteria to Assess Physical Activity and Other Outcomes: A Systematic Review and Practical Considerations. Sports Med. 2017;47(9):1821-1845. doi:10.1007/s40279-017-0716-0

Downloads

Publicado

2021-12-09

Edição

Seção

Artigos de Revisão