Gênero, reciprocidade e mercado no cuidado de idosos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1806-9584-2019v27n145553

Palavras-chave:

cuidado, gênero, demandas emocionais do trabalho, reciprocidade

Resumo

Este texto discute o tema do trabalho das cuidadoras de idosos que têm seus serviços agenciados por empresa de cuidado, com base num estudo de caso no centro da cidade do Rio de Janeiro. O trabalho destas mulheres é analisado a partir da tensão entre duas lógicas: uma que prevê o cuidado plasmado por valores associados à reciprocidade e solidariedade, tidos como femininos, e outra marcada pela necessidade de profissionalização e de controle dos sentimentos. Os resultados da pesquisa sugerem que as duas lógicas – a da reciprocidade e a do mercado – competem na produção de demandas morais e emocionais do trabalho de cuidado, e que algumas cuidadoras operam estratégias de distanciamento do modelo familiar do cuidado de modo a valorizar seu próprio trabalho.

Biografia do Autor

Anna Bárbara Araujo, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Atualmente curso o segundo ano do doutorado em Sociologia e Antropologia na Universidade Federal do Rio de Janeiro, sob orientação da professora Bila Sorj. Desde a graduação venho estudando a temática do cuidado, sob a perspectiva da divisão sexual do trabalho, já tendo inclusive publicado sobre o tema em diferentes revistas acadêmicas (Sociedade e Estado, Askesis) e apresentado resultados de pesquisa em congressos como SBS, ANPOCS e RBA.  Entre 2013 e 2015 fui assistente editorial da Revista Current Sociology.

Downloads

Publicado

2019-05-09

Edição

Seção

Artigos