Amores e vapores: sauna, raça e prostituição viril em São Paulo

Élcio Nogueira Santos, Pedro Paulo Gomes Pereira

Resumo


Este artigo busca se aproximar da economia do desejo em seus íntimos vínculos com
as relações raciais que marcam as saunas de michê em São Paulo. Depois de descrever
algumas características de uma etnografia nas saunas de michê e indagar sobre suas
especificidades, o texto passa a analisar a dupla inserção do corpo negro (como objeto de
desejo e, simultaneamente, como objeto de repulsa) nesses espaços, bem como a refletir
sobre a categoria “moreno”. O artigo finaliza sugerindo que as saunas apresentam um desejo
racializado.


Palavras-chave


Raça; Sexualidade; Sauna

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/%25x

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.