Trajetórias sociais de gays e lésbicas moradores de rua de Florianópolis (SC), 2016

Dalvan Antonio de Campos, Rodrigo Otávio Moretti-Pires

Resumo


Este artigo analisa os efeitos das relações de gênero nas trajetórias sociais de moradores de rua que se identificam como lésbicas e gays no município de Florianópolis/SC. A pesquisa foi desenvolvida em janeiro e fevereiro de 2016, com postura construcionista social. Realizaram-se entrevistas individuais e registros da observação participante com pessoas LGBT moradores de rua. Os conflitos e violências familiares oriundos das fobias de gênero, balizadas pela heteronormatividade, apresentam-se como principal estopim da ida de lésbicas e gays para a rua, todavia, aspectos socioeconômicos pregressos aparecem enquanto fatores determinantes para que a rua fosse o caminho escolhido. Apesar das violências constantes na rua, que extrapolam as fobias de gênero, as narrativas apontaram que o espaço atual se configura como um lugar melhor para seguirem suas vidas, quando comparados com os cenários anteriores. 


Palavras-chave


Moradores de Rua; Gay; Lésbica; Trajetória Social; Construcionismo Social

Texto completo:

PDF/A


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Rev. Estud. Fem., ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.