Trajetórias sociais de gays e lésbicas moradores de rua de Florianópolis (SC), 2016

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/%25x

Palavras-chave:

Moradores de Rua, Gay, Lésbica, Trajetória Social, Construcionismo Social

Resumo

Este artigo analisa os efeitos das relações de gênero nas trajetórias sociais de moradores de rua que se identificam como lésbicas e gays no município de Florianópolis/SC. A pesquisa foi desenvolvida em janeiro e fevereiro de 2016, com postura construcionista social. Realizaram-se entrevistas individuais e registros da observação participante com pessoas LGBT moradores de rua. Os conflitos e violências familiares oriundos das fobias de gênero, balizadas pela heteronormatividade, apresentam-se como principal estopim da ida de lésbicas e gays para a rua, todavia, aspectos socioeconômicos pregressos aparecem enquanto fatores determinantes para que a rua fosse o caminho escolhido. Apesar das violências constantes na rua, que extrapolam as fobias de gênero, as narrativas apontaram que o espaço atual se configura como um lugar melhor para seguirem suas vidas, quando comparados com os cenários anteriores. 

Biografia do Autor

Dalvan Antonio de Campos, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorando

Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva

Universidade Federal de Santa Catarina

Rodrigo Otávio Moretti-Pires, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva/UFSC

Sociologo

Departamento de Saúde Pública

Universidade Federal de Santa Catarina

Downloads

Publicado

2018-08-13

Edição

Seção

Artigos