As vozes insurgentes são feministas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1806-9584-2020v28n72260

Palavras-chave:

Gênero e Sexualidade, Mulheres, epistemologias feministas

Resumo

Apresentação.

Biografia do Autor

Leonardo Ferreira Peixoto, Universidade do Estado do Amazonas

Professor do Centro de Estudos Superiores de Tabatinga da Universidade do Estado do Amazonas.  Líder do Grupo de Pesquisa Redes Indígenas: povos indígenas e redes educativas. Possui graduação em Pedagogia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, mestrado em Educação pela Universidade Católica de Petrópolis e doutorado em Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Larissa Pelúcio, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Larissa Pelúcio é Livre-Docente em Estudos de Gênero, Sexualidade e Teorias Feministas. Atua como professora de Antropologia na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (campus Bauru Departamento de Ciências Humanas FAAC), integra o quadro de docentes do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais na mesma instituição (campus Marília), é também pesquisadora colaboradora do Núcleo de Estudos de Gênero Pagu. Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), realizou Pós-doutorado na Université Paris 8 - Vincennes - Saint Denis. Suas pesquisas abordam temas como gênero, sexualidade, saúde, mídias digitais a partir de diálogos com a teoria queer, as epistemologias feministas e os Saberes subalternos. É autora do livro Abjeção e Desejo - uma etnografia travesti sobre o modelo preventivo de aids e Amor em Tempos de Aplicativos - masculinidades heterossexuais e a nova economia do desejo (Annablume). A pesquisadora integra o comitê editorial da coleção Annablume Queer, é assessora da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). Atuou como coordenadora do módulo "Gênero" junto ao Programa de Educação a distancia Gênero e Diversidade na Escola (GDE- UFSCar e UNESP).

Referências

BIROLI, Flávia. “Uma mulher foi deposta: sexismo, misoginia e violência política”. In: RUBIM, Linda; ARGOLO, Fernanda (Orgs.). O golpe na perspectiva de gênero. v. 1, 1. ed. Salvador: EDUFBA, 2018. p. 75-84.

BRITO, Milena. “Primavera Feminista: A Internet e as Manifestações de Mulheres em 2015 no Rio de Janeiro”. SEMINÁRIO INTERNACIONAL FAZENDO GÊNERO 11 & 13TH WOMEN’S WORLDS CONGRESS, 2017, Florianópolis, UFSC, Anais... Florianópolis: UFSC/Instituto de Estudos de Gênero, 2017. p. 1-11.

BRUM, Eliane. “O homem mediano assume o poder. O que significa transformar o ordinário em ‘mito’ e dar a ele o Governo do país?”. El País, 2019. Disponível em https://brasil.elpais.com/brasil/2019/01/02/opinion/1546450311_448043.html. Acesso em 26/04/2020.

DESLANDES, Keila. “Sobre disputas anti-igualitárias e políticas públicas: mais argumentos para o debate”. Interface, Botucatu, v. 23, Epub June 13, 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-32832019000100402&script=sci_arttext. Acesso em 20/04/2020.

DI GIOVANNI, Julia Ruiz. “Jovens, feministas, em movimento: a Marcha Mundial das Mulheres no III Acampamento Intercontinental da Juventude”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 11, n. 2, p. 655-660, dez. 2003. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2003000200024&lng=en&nrm=iso. Acesso em 27/04/2020.

GERALDES, Elen Cristina et al. (Orgs.). Mídia, misoginia e golpe. Brasília, DF: FACUnB, 2016.

GOMES, Carla; SORJ, Bila. “Corpo, geração e identidade: a Marcha das vadias no Brasil”. Sociedade e Estado, Brasília, v. 29, n. 2, p. 433-447, ago. 2014. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922014000200007&lng=en&nrm=isso. Acesso em 20/03/2020.

JÚNIOR, Clério O. S. O Dia Do Golpe: A Farsa Propagada Pela Mídia Brasileira. Create Space/Kindle, 2016.

NASCIMENTO, Alcileide Cabral do. “A primavera feminista. Vozes de luta da emancipação feminina no Brasil e Uruguai”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 26, n. 2, e57191, 2018. Disponível em https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2018000200601. Acesso em 28/07/2020.

OLIVEIRA, Bárbara N.; SILVA, Franciele J. G. “Feminismo nas Mídias Sociais: Atualidades e Potencialidades”. SEMINÁRIO NACIONAL DE SOCIOLOGIA DA UFS, 1, 2016, São Cristóvão, UFS. Anais... São Cristóvão: EdUFS/PPGS, 2016. p. 796-809.

SANTINI, Rose Marie; TERRA, Camyla T.; ALMEIDA, Alda Rosa. “Feminismo 2.0: A Mobilização das Mulheres no Brasil Contra o Assédio Sexual Através das Mídias Sociais (#Primeiroassedio)”. P2P Inovação, v. 3, p. 148-164, 2016. Disponível em http://revista.ibict.br/p2p/article/view/2341/2390. Acesso em 28/07/2020.

Downloads

Publicado

2020-12-18

Edição

Seção

Dossiê Inflexões feministas e agenda de lutas no Brasil contemporâneo