Para Traduzir o Plurabello Chamber Music (com exemplos de poesia italiana do século xx)

Autores

  • Caléu N. Moraes UFSC

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-4237.2010n8p289

Palavras-chave:

Estudos da Tradução, James Joyce

Resumo

Arthur Simons, numa carta a Elkin Mathews que data de outubro de 1906, escreveu que, poeta talentoso, James Joyce, então “a young Irishman” [um jovem irlandês], não pertencia ao movimento céltico das letras da Irlanda; todavia, mesmo Yeats lhe enxergava algum mérito (Deming, 1997: 36).Simons lera A Book of Thirty Songs for Lovers, velho título de Chamber Music, e mostrou-se entusiasmado pelos versos de Joyce. Estes, Thomas Kettle, em resenha de 1907, chamou, talvez acertadamente, “delicados” (Deming, 1997: 37).

Biografia do Autor

Caléu N. Moraes, UFSC

Possui graduação em História (2005). Tem experiência em tupinologia e epistemologia histórica. Concluiu o mestrado em Antropologia Social pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) (2009).

Downloads

Publicado

2010-12-17

Edição

Seção

Ensaios & Entrevistas / Essays & Interviews