A “dueña” de Quevedo y Villegas: aspectos tradutórios ao português

Autores

  • Andréa Cesco Universidade Federal de Santa Catarina
  • Beatrice Távora Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-4237.2014n15p270

Palavras-chave:

Sonhos, Dueña, Tradução, Quevedo y Villegas

Resumo

Este artigo apresenta e discute alguns aspectos das escolhas da tradutora Liliana Raquel Chwat referentes ao termo “dueña” e suas consequências para o leitor em língua portuguesa, na obra Sonhos do escritor barroco Francisco de Quevedo y Villegas (1580-1645), publicada pela editora Escala em 2005. Ela, que é considerada uma obra satírica, foi escrita no período compreendido entre os anos 1605 e 1622 e apresenta uma coleção de caricaturas sociais. A obra é fruto da genialidade de um mestre na utilização de figuras de linguagem, que utiliza palavras precisas a descrever cenas repletas de detalhes e capazes de transportar o leitor ao ambiente que retrata. A “dueña” aparece nestas cenas com características marcadamente culturais, cuja compreensão exige um conhecimento apurado de aspectos sócio-históricos envolvidos no texto de partida que se constituem desafios para o tradutor e que são aqui problematizados.

ABSTRACT

Some aspects of the translation choices of the term “dueña” – including its consequences to Brazilian readers – made by Liliana Raquel Chwat in her translation into Portuguese of the satirical book Sueños y Discursos, written in the 17th century by Francisco de Quevedo y Villegas, compose the subject of this article. The translation was published by Escala in 2005. Quevedo y Villegas’ satirical stories were written in the period between 1605 and 1622, and they showcase a collection of social caricatures. His work is the result of a master’s genius in the use of figures of speech, as he employed precise words to describe scenes full of details that are able to transport the reader to the environment they portray. The term “dueña” appears in such scenes with markedly cultural characteristics whose understanding requires a thorough knowledge of socio-historical aspects embedded in the source text, which in turn constitute challenges for the translator and are here critically discussed.

Keywords: Sueños y Discursos; Dueña; Translation; Quevedo y Villegas

Biografia do Autor

Beatrice Távora, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina (1991). Atualmente cursa graduação em Letras Licenciatura-Língua Espanhola e Literaturas pela Universidade Federal de Santa Catarina. Participa do Núcleo Quevedo de Estudos Literários e Traduções do Século de Ouro e também do Núcleo de estudos de literatura, oralidades e outras linguagens (NELOOL) da Universidade Federal de Santa Catarina. Integra o projeto de construção do Corpus Online do Espanhol Escrito com Marcas de Oralidade (CEEMO) da Universidade Federal de Santa Catarina. Pesquisa a literatura do Século de Ouro com particular interesse pela obra de Francisco de Quevedo y Villegas. Pesquisa teorias da tradução.

Downloads

Publicado

2014-12-19