O julgamento de Sócrates

Autores

  • Arnaldo Sampaio de Moraes Godoy

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Resumo

Trata da historiografia jurídica e das relações entre direito, história e verdade. Vale-se de referências literárias ao julgamento de Sócrates, colhida em textos de contemporâneos do  filósofo, identificando tessitura de narrativas que atestam incongruência, relativismo e construído cultural clássico na tradição ocidental. Indica abordagens mais recentes, como a de Isidor Stone, não aceita pela tradição acadêmica. Instiga, na medida em que pretende invocar que a história do direito é menos o que aconteceu e mais o que o narrador pretende inventariar. Denuncia aspectos da miragem helênica, contribuindo na construção dos saberes críticos na feição contemporâneo dos textos de filosofia do direito.

Biografia do Autor

Arnaldo Sampaio de Moraes Godoy

Arnaldo Sampaio de Moraes Godoy fez seus estudos de pós-doutoramento na Boston University (2002-2003), na qualidade de Hubert Humphrey Fellow, pesquisando o direito norte-americano. Na ocasião conheceu Roberto Mangabeira Unger, de quem traduziu um livro e sobre quem escreveu dois outros trabalhos. Doutorou-se pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2002) com tese sobre os usos da história no direito. Pela mesma universidade obteve o título de mestre (2000) com dissertação inovadora, relacionando direito e literatura, a partir de Monteiro Lobato. É professor do programa de Mestrado em Direito da Universidade Católica de Brasília. Colabora eventualmente em instituições de Brasília, de reconhecida excelência, a exemplo do Instituto Rio Branco, onde é professor assistente. É também colaborador na Escola Nacional de Administração Fazendária-ESAF, na Escola Nacional de Administração Pública-ENAP e no Instituto Brasiliense de Direito Público-IDP. É professor de Direito Tributário do Instituto de Educação Superior de Brasília - IESB.

Downloads

Publicado

2003-01-01

Como Citar

GODOY, Arnaldo Sampaio de Moraes. O julgamento de Sócrates. Seqüência Estudos Jurídicos e Políticos, Florianópolis, v. 24, n. 46, p. 11–28, 2003. DOI: 10.5007/%x. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/sequencia/article/view/15289. Acesso em: 13 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos