O julgamento de Sócrates

Arnaldo Sampaio de Moraes Godoy

Resumo


Trata da historiografia jurídica e das relações entre direito, história e verdade. Vale-se de referências literárias ao julgamento de Sócrates, colhida em textos de contemporâneos do  filósofo, identificando tessitura de narrativas que atestam incongruência, relativismo e construído cultural clássico na tradição ocidental. Indica abordagens mais recentes, como a de Isidor Stone, não aceita pela tradição acadêmica. Instiga, na medida em que pretende invocar que a história do direito é menos o que aconteceu e mais o que o narrador pretende inventariar. Denuncia aspectos da miragem helênica, contribuindo na construção dos saberes críticos na feição contemporâneo dos textos de filosofia do direito.

Palavras-chave


Historiografia Jurídica; Julgamento de Sócrates; Relativismo; Direito e uso do passado.

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Seqüência. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, ISSNe 2177-7055