Comércio internacional e padrões trabalhistas: a falácia do discurso humanitário

Autores

  • Roberto Di Sena Júnior

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Palavras-chave:

Padrões trabalhistas, Comércio internacional, Direitos humanos, Protecionismo, Organização Mundial do Comércio (OMC), Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Resumo

O presente artigo analisa a tentativa de se assegurar padrões trabalhistas através das regras comerciais multilaterais existentes no âmbito da Organização Mundial do Comércio (OMC). O artigo discorre sobre a origem e a evolução do tema no cenário internacional, dando ênfase ao argumento humanitário. O objetivo fundamental do trabalho é evidenciar as contradições e insuficiências do argumento humanitário, o qual é freqüentemente invocado por aqueles que advogam a vinculação entre comércio internacional e padrões trabalhistas.

Biografia do Autor

Roberto Di Sena Júnior

Roberto Di Sena Júnior é graduado em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Mestre em Direito e Relações Internacionais pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e doutorando pela Université Laval (Québec). Fez curso de aperfeiçoamento em Direito Internacional Privado na Academia de Direito Internacional de Haia, da qual foi bolsista. Foi professor dos cursos de graduação em Direito e Relações Internacionais da Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), sendo coordenador deste último de agosto de 2004 a fevereiro de 2007. Publicou diversos artigos em periódicos especializados e anais de congresso, sendo autor/organizador de 3 livros e 6 capítulos de livros. Atua na área do Direito Internacional, com ênfase no Direito Internacional Público e Relações Econômicas Internacionais.

Downloads

Publicado

2003-01-01

Edição

Seção

Artigos