Os impactos econômicos da atuação do sistema penal: vida virtual, isolamento e encarceramento em massa

Autores

  • Sergio Francisco Carlos Graziano Sobrinho Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-7055.2014v35n69p133

Resumo

http://dx.doi.org/10.5007/2177-7055.2014v35n69p133

Este artigo objetiva compreender a atuação do sistema penal brasileiro a partir dos índices de encarceramento dos últimos 20 anos, interagindo o conceito econômico da maximização dos lucros com o discurso criminológico da seletividade do sistema penal. As transformações discursivas no campo das políticas criminais, caracterizadas por uma constante e forte repressão penal, passando do “previdenciarismo penal” (correção) ao aumento das punições, sofrem importante interferência do modelo econômico, em especial modulando as práticas de encarceramento com interesses privados e produzindo significativo aumento dos índices de encarceramento, permanente seletividade da atuação do sistema penal e transformações, tanto no modo de vida contemporâneo como na atuação e nas estruturas dos órgãos de controle e de justiça criminais.

Biografia do Autor

Sergio Francisco Carlos Graziano Sobrinho, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Graduação - Direito UFSC

Mestrado - Direito UFSC

Doutorado - PUC - RJ

Pós doutorado (PNPD) - PUC/RS (em andamento)

Downloads

Publicado

2014-12-17

Como Citar

GRAZIANO SOBRINHO, Sergio Francisco Carlos. Os impactos econômicos da atuação do sistema penal: vida virtual, isolamento e encarceramento em massa. Seqüência Estudos Jurídicos e Políticos, Florianópolis, v. 35, n. 69, p. 133–158, 2014. DOI: 10.5007/2177-7055.2014v35n69p133. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/sequencia/article/view/2177-7055.2014v35n69p133. Acesso em: 13 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos