Desafios da Inovação Tecnológica para a Sustentabilidade Intergeracional

Salete Oro Boff

Resumo


A inovação tecnológica causa inquietações entre preservar os valores de sustentabilidade ou atender à pressão de agentes econômicos pela exploração do “novo”. Com esses pressupostos, utilizando-se o método dedutivo, serão analisados os desafios da inovação tecnológica para a sustentabilidade intergeracional. Considera-se que esses temas estão relacionados a valores e a direitos fundamentais do ser humano que superam as percepções do presente, envolvendo a responsabilidade com as futuras gerações. 


Palavras-chave


Sustentabilidade; Inovação Tecnológica; Direitos Fundamentais

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALEXY, Robert. Teoria de los derechos fundamentales. Trad. Ernesto Garzõn Valdés. Madrid: Centro de Estúdios Constitucionales, 1997. p. 89.

AMILS, Ricardo. Impacto de la biotecnologia en el médio ambiente. In: PALACIOS, Marcelo. Bioética. Llanera (Astúrias): Nobel, 2000.

BACON, Francis. Novum Organum ou Verdadeiras Indicações Acerca da Interpretação da Natureza. Trad. e notas: José Aluysio Reis de Andrade [1999]. Disponível em: http://br.egroups.com/group/ acropolis. Acesso em: 01 mar. 2010.

BECK, Ulrich; GIDDENS, Anthony; LASH, Scott. Modernização reflexiva. São Paulo: Unesp, 1997.

BOFF, Salete Oro. A ciência e o desvelar da biotecnologia: a nova relação entre o homem, a técnica e o direito. In: REIS, Jorge Renato: LEAL, Rogerio Gesta. (org.). Direitos sociais & políticas públicas. Santa Cruz do Sul, RS: EDUNISC, 2010. v. 10. p. 3.274-3.304. BOFF, Salete Oro. Proteção jurídica das cultivares na UPOV, no TRIPs e os limites na legislação brasileira: o embate entre interesse público e privado. Anuário Mexicano de Derecho Internacional, [S.l.], v. XIX, p. 433-456, 2019.

BOFF, Salete Oro; MENEGAZZO, Andre F. Apontamentos sobre a Propriedade Intelectual e sustentabilidade: por num limite jurídico da inovação. Revista NOMOS, Fortaleza, v. 38, p. 19-40, 2018. BOFF, Salete Oro; ZAMBAM, Neuro J. Razões que fundamentam o modelo de desenvolvimento sustentável na sociedade contemporânea. Revista Brasileira de Estudos Políticos, [S.l.], v. 106, p. 108-129, 2012.

BOFF, Salete Oro; ZAMBAM, Neuro J. Os direitos fundamentais e o exercício das liberdades substantitvas. Jurispoiesis, Rio de Janeiro, v. 1, p. 355-372, 2012.

BOFF, Salete Oro; BORTOLANZA, Guilherme. A teoria da reconstrução do direito de habermas com foco no princípio da dignidade humana. Revista Jurídica CESUMAR do Mestrado, [S.l.], v. 11, p. 345-356, 2011.

BOFF, Salete Oro; FARIA, Josiane P. Conflitos sociais: igualdade e solidariedade para a reconciliação social. Revista do Direito, Santa Cruz do Sul, v. 36, p. 59-73, 2011.

BOFF, Salete Oro; FARIA, Josiane P. O direito fundamental à tecnologia: algumas reflexões acerca do capital social, do desenvolvimento e da participação sócio-política. Revista de Direitos e Garantias Fundamentais (FDV), [S.l.], v. 9, p. 11-36, 2011.

BROWNE, J. A Origem das Espécies de Darwin: uma Biografia. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

DESCARTES, René. Discurso do Método. Lisboa: Sá e Costa, 1980. 6ª parte.

DOMINGUES, Douglas Gabriel. Privilégios de invenção, engenharia genética e biotecnologia. Rio de Janeiro: Forense, 1989.

FUKUYAMA, Francis. Nosso futuro pós- humano: conseqüências da revolução biotecnológica. Rio de Janeiro: Rocco, 2003.

FURTADO, Lucas Rocha. Sistema de propriedade industrial no direito brasileiro. Brasília, DF: Brasília Jurídica, 1996.

HABERMAS, Jürgen. Técnica e ciência enquanto “ideologia”. São Paulo: Editora Abril, 1980. (Coleção Os pensadores).

HABERMAS, Jürgen. Conhecimento e interesse. São Paulo: Editora Abril, 1983. (Coleção Os Pensadores).

HABERMAS, Jürgen. Mudança Estrutural na Esfera Pública. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1984.84.

HABERMAS, Jürgen. Teoria analítica da ciência e dialética. In. BENJAMIN, Walter. Textos escolhidos: os pensadores. São Paulo: Editora Abril, 1980. v. XLVIII.

HOTTOIS, Gilbert. O paradigma bioético. Trad. Paula Reis. Lisboa: Salamandra, 1990.

JAPIASSU, Hilton. O mito da neutralidade científica. Rio de Janeiro: Imago, 1975.

JONAS, Hans. El principio de responsabilidad. Trad. Javier M. Fernandez Retenaga. Barcelona: Heder, 1995.

JONAS, Hans. Técnica, medicina y ética. Trad. Carlos Fortea Gil. Buenos Aires: Paidós, 1997.

KAUL, Inge; GRUNBERG, Isabelle; STERN, Marc A. Introdução. In: KAUL, Inge; GRUNBERG, Isabelle; STERN, Marc A. Bens Públicos Globais: cooperação internacional no século XXI. Rio de Janeiro: Record, 2012.

KUHN, Thomas. A Estrutura das Revoluções Científicas. Trad. Beatriz Vianna Boeira e Nelson Boeira. São Paulo: Perspectiva, 2006.

LENOBLE, Robert. História da idéia de natureza. Lisboa: Edições 70, 1990.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Antropologia estrutural. Tradução de Chaim Samuel Katz e Eginardo Pires. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1975.

LÉVI-STRAUSS, Claude. O Pensamento selvagem. Tradução de Maria Celeste da Costa e Souza e Almir de Oliveira Aguiar. São Paulo. Editora: Nacional, 1976.

MAIA, Newton Freire. A ciência por dentro. Petrópolis: Vozes, 2004, p. 128-129

MARCUSE, Herbert. A ideologia da sociedade industrial: o homem unidimensional. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1982.

MORIN, Edgar. Ciência com consciência. Lisboa: Publicações EuropaAmérica, 1984.

MOSER, Antônio. Biotecnologia e Bioética: para onde vamos? Petrópolis: Vozes, 2004.

OLIVEIRA, Bernardo Jefferson de; CONDÉ, Mauro Lúcio Leitão. Thomas Kuhn e a nova historiografia da ciência. [2010]. Disponível em: www.portal.fae.ufmg.br/seer/index.php/ensaio/article/.../48/79. Acesso em: 13 mar. 2010.

OLIVEIRA, Manfredo Araújo de. Desafios éticos da globalização. São Paulo: Paulinas, 2001. p. 175.

PESSINI, Leo; BARCHIFONTAINE, Christian de Paul de. Problemas atuais de Bioética. 5. ed. São Paulo: Loyola, 2000.

PIMENTEL, Luiz Otávio. Direito industrial: as funções do direito de patentes. Porto Alegre: Síntese, 1999.

POPPER, Karl. La Logica de la Investigación Científica. Trad. de V. Sanchez de Zavala. Madrid: Tecnos, 1973.

RIFKIN, Jeremy. O Século da biotecnologia. Trad. Arão Sapiro. São Paulo: Makron Books, 1999.

ROSSI, Paolo. O nascimento da ciência moderna na Europa. São Paulo: EDUSC, 2001.

SANTOS, Boaventura de Souza. Um discurso sobre as ciências. Porto: Afrontamento, 1987.

SARLET, Ingo Wolfgang. Dignidade da pessoa humana e direitos fundamentais na Constituição Federal de 1988. 2. ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2002.

SCHOLZE, Simone H. C. Patentes, transgênicos e clonagem. Brasília, DF: UnB, 2002.

SERRA, Paulo. O devir e os limites da ciência. Coleção Lusofilosofia. Covilhã: Lusofilosofia, 2008.

TOURAINE, Alain. Crítica da modernidade. Petrópolis: Vozes, 1999. VASQUES, Guilhermo Hoyos. Bioética e moral comunicativa. In. GARRAFA, Volnei; PESSINI, Leo. Bioética: poder e injustiça. São Paulo: Loyola, 2004. p. 509-516.

WEBER, Max. Ensaios de Sociologia. London: Routledge & Kegan Paul Ltd., 1957. WEBER, Max. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Martin Claret, 2001.




DOI: https://doi.org/10.5007/2177-7055.2019v41n82p265

Seqüência. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, ISSNe 2177-7055