Walter Benjamin em Gotham City: sobre a violência pura

Andityas Soares de Moura Costa Matos

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/2177-7055.2016v37n74p137

O presente trabalho reflete brevemente sobre as ideias de violência pura e de estado de exceção efetivo no pensamento de Walter Benjamin (1892-1940), lançando na seção 2 a hipótese de que são resultados de uma longa meditação que começa com o texto Sobre a crítica da violência (1921), passa pelo denso fragmento O caráter destrutivo (1931) e chega à obra intitulada Teses sobre o conceito de história (1940), quando Benjamin percebe com clareza à impossibilidade de se negociar com as instituições democrático-liberais, as quais funcionam como estruturas desaceleradoras (katéchonta) do tempo da revolução, leitura apresentada na seção 1 mediante a profanação do conceito original schmittiano. O artigo passa então na seção 3 a interpretar as ideias de Benjamin em um cenário de ficção – a trilogia Batman de Christopher Nolan – que a cada dia parece mais terrivelmente real, concluindo com um parágrafo de sabor agambeniano sobre o direito-que-vem (seção 4).


Palavras-chave


Walter Benjamin; Katéchon; Estado de exceção; Violência pura; Batman; Direito-que-vem

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2177-7055.2016v37n74p137

Seqüência. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, ISSNe 2177-7055