A influência das audiências públicas e dos amicus curiae na construção da resposta certa pelo Supremo Tribunal Federal

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-7055.2022.e85108

Palavras-chave:

Supremo Tribunal Federal, Audiências públicas, Amicus curiae, Dworkin

Resumo

O artigo, por meio da revisão bibliográfica e utilizando como marco teórico Dworkin, revela a necessidade de aprimoramentos no uso dos institutos dos amicus curiae e das audiências públicas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para que esses contribuam para pluralização do debate e para a melhor qualidade das decisões, auxiliando os ministros a desvelarem a moralidade política da comunidade e a construírem a resposta certa para o caso.

Biografia do Autor

Kamila Maria Strapasson, Universidade Federal do Paraná

Mestra em Direito do Estado pela Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Paraná, Brasil. Bacharela em Direito pela mesma instituição de ensino. Pesquisadora do Núcleo Constitucionalismo e Democracia (UFPR). Assistente de Juiz de Direito Substituto no Tribunal de Justiça do Paraná.

Estefânia Maria de Queiroz Barboza , Universidade Federal do Paraná e UNINTER

Professora Doutora no Mestrado e Doutorado da Universidade Federal do Paraná e no Mestrado em Direito da UNINTER. Menção Honrosa no Prêmio Capes de Tese de 2012. Doutora e Mestre em Direito pela PUCPR, com estágio doutoral (doutorado sanduíche) e bolsa CAPES na Osgoode Hall Law School (York University). Professora visitante nas Universidades de Toronto (2016) e Messina (2019) Vice-Presidente da Associação Ítalo-brasileira de Professores de Direito Administrativo e de Direito Constitucional. Co-chair da Seção brasileira do ICON-S. Professora Pesquisadora do CCONS - Centro de Estudos da Constituição.

Referências

ALMEIDA, E. M. de. Capacidades institucionais dos amici curiae no Supremo Tribunal Federal: acessibilidade, admissibilidade e influência. Rev. Direito Práxis. Rio de Janeiro, v. 10, n. 1, p. 678-707, Mar. 2019. Disponível em: https://bit.ly/2WS5dxs. Acesso em: 13/12/2019. http://dx.doi.org/10.1590/2179-8966/2019/39502.

BAHIA, A. M. F. de M; MATOS, A. M. de. Amici curiae e audiências públicas no Supremo Tribunal Federal: uma análise da participação de grupos minoritários à luz da concepção deliberativa de democracia. In: VIEIRA, J. R.; CAMARGO, M. M. L.; LEGALE, S. (coord.). Jurisdição constitucional e direito constitucional internacional. E-book. Belo Horizonte: Fórum, 2016.

BARBOZA, E. M. de Q. Stare decisis, Integridade e Segurança Jurídica: Reflexões Críticas a Partir da Aproximação dos Sistemas de Common Law e Civil Law na Sociedade Contemporânea. 264 p. Tese (Doutorado em direito) - PUCPR, Curitiba, 2011.

CHUEIRI, V. K. de. Filosofia do direito e modernidade: Dworkin e a possibilidade de um discurso instituinte de direitos. Curitiba: JM, 1995.

CHUEIRI, V. K. de; SAMPAIO, J. M. de A. Como levar o Supremo Tribunal Federal a sério: sobre a suspensão de tutela antecipada n.91. Revista Direito GV, [S.l.], v. 5, n. 1, p. 045-066, jan. 2009. Disponível em: https://bit.ly/2Z3G0me. Acesso em: 18/06/2019.

DWORKIN, R. Levando os direitos a sério. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

DWORKIN, R. O império do direito. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

DWORKIN, R. Uma questão de princípio. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

FERREIRA, D. C.; BRANCO, P. G. G. Amicus curiae em números. Nem amigo da corte, nem amigo da parte? Revista de Direito Brasileira, São Paulo, SP, v. 16, n. 7, p. 169 – 185, Jan./Abr. 2017. doi: 10.5585/rdb.v16i7.497

GODOY, M. G. de. Devolver a constituição ao povo: crítica à supremacia judicial e diálogos interinstitucionais. 266 p. Tese (Doutorado em direito) – UFPR, Curitiba, 2015.

GODOY, M. G. de. Mais um passo para um supremo monocrático. In: FALCÃO, J.; ARGUELHES, D. W.; PEREIRA, T.; RECONDO, F. (org.). O Supremo e o processo eleitoral. Belo Horizonte: Letramento; Casa do Direito; FGV Direito Rio; Supra; Jota. 2019.

GUIMARÃES, L. G. Participação Social no STF: repensando o papel das audiências públicas. Revista Direito e Práxis, [S.l.], jul. 2019. Disponível em: https://bit.ly/3bpNvXe. Acesso em: 18/12/2019.

KOZICKI, K. Conflito e estabilização: comprometendo radicalmente a aplicação do direito com a democracia nas sociedades contemporâneas. 266 f. Tese (Doutorado em direito) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2000.

LEAL, F. O mito da sociedade aberta de intérpretes da Constituição. In: FALCÃO, J.; ARGUELHES, D. W.; PEREIRA, T.; RECONDO, F. (org.). O Supremo e o processo eleitoral. Belo Horizonte: Letramento; Casa do Direito; FGV Direito Rio; Supra; Jota. 2019.

LEAL, F.; HERDY, R.; MASSADAS, J. Uma década de audiências públicas no Supremo Tribunal Federal (2007-2017). Revista de Investigações Constitucionais, Curitiba, vol. 5, n. 1, p. 331-372, jan./abr. 2018. Disponível em: https://bit.ly/2yKQ4WL. Acesso em: 19/12/2019. doi: 10.5380/rinc.v5i1.56328.

LEAL, M. C. H. As audiências públicas no âmbito do Supremo Tribunal Federal brasileiro: uma nova forma de participação?. Novos Estudos Jurídicos, [S.l.], v. 19, n. 2, p. 327-347, jul. 2014. Disponível em: https://bit.ly/3bwHrvY. Acesso em: 10 dez. 2019.

MACEDO JR., R. P. Do xadrez à cortesia: Dworkin e a teoria do direito contemporânea. São Paulo: Saraiva, 2013.

MACHADO, I. S. Os medos de Dworkin e a jurisdição constitucional brasileira: o Direito entre a Moral e a Política na prática. Revista Novos Estudos Jurídicos - Eletrônica, Vol. 19, n. 2, mai-ago 2014.

MAIA, S. J.; ALBAN, C. E. As assimetrias da esfera pública e a efetivação dos direitos das minorias: as audiências públicas do STF a partir dos novos movimentos sociais. Revista da AGU, v. 17, n. 2, 29 jun. 2018. Disponível em: https://bit.ly/3buKsgn. Acesso em: 10/12/2019. doi: https://doi.org/10.25109/2525-328x.v.17.n.2.2018.1043

MARONA, M. C.; ROCHA, M. M. da. Democratizar a jurisdição constitucional? O caso das audiências públicas no Supremo Tribunal Federal. Rev. Sociol. Polit., Curitiba , v. 25, n. 62, p. 131-156, jun. 2017 . Disponível em: https://bit.ly/2zxjqb0. Acesso em: 15/12/2019. http://dx.doi.org/10.1590/1678-987317256206.

MELLO, P. P. C. Nos bastidores do Supremo Tribunal Federal: constituição, emoção, estratégia e espetáculo. 477 f. Tese (Doutorado em Direito) –Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014.

MENDES, C. H. Constitutional courts and deliberative democracy. Oxford: Oxford University Press, 2013.

PINHÃO, K. A. G. A inserção das audiências públicas: reforço ou enfraquecimento da legitimidade democrática das decisões do Supremo Tribunal Federal?. Rei - Revista Estudos Institucionais, [S.l.], v. 4, n. 1, p. 459-483, ago. 2018. Disponível em: https://bit.ly/3fFphLU. Acesso em: 05 dez. 2019. doi:https://doi.org/10.21783/rei.v4i1.216.

PUGLIESE, W. S. A ratio da jurisprudência: coerência, integridade, estabilidade e uniformidade. 310 f. Tese (Doutorado em Direito) - Setor de Ciências Jurídicas, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2016.

ROCHA, V. Y. B. da. Amicus curiae, para que? O papel dos amicus curiae na jurisdição constitucional e seus desafios à luz no novo Código de Processo Civil de 2015. 109 f. Dissertação (Mestrado em direito) – Universidade Católica de Pernambuco, Recife, 2017.

SOMBRA, T. L. S. Supremo Tribunal Federal representativo? O impacto das audiências públicas na deliberação. Rev. direito GV, São Paulo , v. 13, n. 1, p. 236-273, Abr. 2017. Disponível em: https://bit.ly/3cHaj64. Acesso em: 19/12/2019. http://dx.doi.org/10.1590/2317-6172201710.

VALE, A. R. do. Argumentação Constitucional: Um estudo sobre a deliberação nos Tribunais Constitucionais. 415 f. Tese (Doutorado em direito) - Universidade de Brasília (UnB) em regime de cotutela com a Universidade de Alicante (UA), Brasília-Alicante, 2015.

Downloads

Publicado

2023-02-01

Como Citar

MARIA STRAPASSON, Kamila; DE QUEIROZ BARBOZA , Estefânia Maria. A influência das audiências públicas e dos amicus curiae na construção da resposta certa pelo Supremo Tribunal Federal. Seqüência Estudos Jurídicos e Políticos, Florianópolis, v. 43, n. 91, p. 1–28, 2023. DOI: 10.5007/2177-7055.2022.e85108. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/sequencia/article/view/85108. Acesso em: 25 jun. 2024.