Balanço e perspectivas da lexicografia

Autores

  • Félix Bugueño Miranda Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2013v2n32p15

Palavras-chave:

metalexicografia, lexicografia, linguística

Resumo

O objetivo do presente artigo é demonstrar como tem evoluído a lexicografia, de uma atividade eminentemente prática a uma reflexão teórica sobre o dicionário. A primeira questão a ser discutida é o status da própria disciplina, se se considera, por exemplo, que há lexicógrafos, tais como Atkins; Rundell (2008), que negam a existência de uma teoria lexicográfica. Em segundo lugar, e assumindo que há – e há – uma reflexão teórica sobre o dicionário, serão apresentados os principais avanços na área, a partir da árdua discussão em torno da classificação de dicionários, passando pelos critérios para estabelecer o universo léxico que constitui a listagem dos dicionários (macroestrutura), o conjunto de informações que se oferece em cada verbete (microestrutura), o sistema de remissões (medioestrutura) e, finalmente, o estado em que se encontra a discussão sobre os componentes externos do dicionário

 

Biografia do Autor

Félix Bugueño Miranda, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Licenciatura en Lengua y Literatura Hispánica pela Universidad Católica de Valparaíso (1987) e doutorado em Filologia Românica pela Ruprecht-Karls-Universität Heidelberg 1993). Atualmente é Professor Adjunto da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil . E-mail: felixv@uol.com

 

Downloads

Publicado

2013-08-07

Edição

Seção

Artigos